TCE “limpa” envolvido em escândalos de corrupção

Do Blog do Jorge Vieira

Afilhado de Sarney deu desfalque de R$ 100 milhões

O ex-secretário de Cidades do Governo Roseana Sarney (PMDB) e ex-prefeito de Pinheiros, Filuca Mendes, acusado pela Controladoria Geral do Estado de desviar mais de R$ 100 milhões dos recursos destinados ao combate das cheias no Maranhão, em 2009, está limpo e pode concorrer a qualquer cargo na próxima eleição, apesar de ser um Ficha Suja.

Filuca, homem de confiança do deputado Sarney Filho e do senador José Sarney, que segundo a Controladoria deu desfalque milionário nas verbas destinadas aos flagelados maranhenses, jamais teve uma conta rejeitada pelo Tribunal de Contas do Estado, instituição dominada por conselheiros indicados pela oligarquia.

A constatação de que Filuca escapou da Ficha Limpa é um verdadeiro escândalo. Isto porque o governo o demitiu e o TCE o livra de todas as prestações de contas. Desde o tempo que ele era gerente regional, até as contas da prefeitura de Pinheiro. Um esquema de dá nojo.

Com o julgamento da Lei Complementar 135 (Ficha Limpa), a decisão dos TCE´s não precisa mais passar pela Câmara de Vereadores. Isso significa dizer que a oligarquia moribunda do coronel Sarney pode perseguir politicamente seus adversários utilizando o Tribunal de Contas e aliviando para seus seguidores, como é o caso de Filuca.

Diante do que se observa, conclui-se que no Maranhão os amigos do Rei Sarney continuarão impunes, como Filuca, mesmo sendo um corrupto reconhecido até pelos órgãos de fiscalização do governo a que serviu.

O TCE, como todo no Maranhão sabe, é composto por pessoas escolhidas a dedo pela oligarquia que massacra o povo humilde e desamparado do Estado, por isso, quando se digita o nome de Filuca não aparece nada contra ele, embora quem milite na política saiba perfeitamente do que ele capaz de fazer com dinheiro público.


Roseana Sarney tenta outra vez adiar audiência de cassação do mandato

Do Blog do Jorge Vieira

O Ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Arnaldo Versianni, relator do processo de cassação da governadora Roseana Sarney (PMSB), determinou expressamente que o juiz do TRE, Sérgio Muniz, cumpra a ordem para concluir as oitivas das testemunhas até o dia 10 de março, sendo que até esta data, de uma forma ou de outra, seja devolvida imediatamente a carta de ordem ao TSE.

Diante da contundência do despacho do Ministro Versianni, que atendeu aos pedidos dos advogados Rodrigo Lago e Rubens Junior, Sérgio Muniz designou a audiência para o dia 05 de março, ocasião em que determinou que Roseana Sarney e Washington Macaxeira, se quiserem, apresentem suas testemunhas na audiência, como manda a Lei.

Roseana Sarney tenta, no entanto, adiar pela quarta vez a audiência, e entrou com um recurso (agravo regimental), nesta sexta-feira, 24 de fevereiro, no TRE do Maranhão, para que o juiz Sérgio Muniz determine que as testemunhas de defesa sejam intimadas pelos Correios, através de aviso de recebimento, em vez de apresentadas na audiência do dia 05 de março. Ou seja, a governadora não quer nem mesmo levar suas testemunhas de defesa para a audiência. Coisa inédita, os acusados não querem que suas testemunhas, na sua quase totalidade auxiliares do governo e aliados políticos de Roseana e Washington, compareçam espontaneamente à audiência, mas que sejam intimadas.

Esse recurso deverá ser julgado novamente pelo plenário do TRE, o mesmo que retirou o juiz federal Nelson Loureiro do processo e retornou o juiz Sérgio Muniz, filho de auxiliar da governadora, para a condução da carta de ordem. Novo tumulto criado por Roseana e Washington visa mais um adiamento.

Segundo os advogados de acusação, “a Lei Eleitoral é bem clara quando diz que as partes do processo é quem devem apresentar suas próprias testemunhas na audiência. O que, aliás, ocorreu no caso Jackson Lago. Mas Roseana não quer se submeter à Lei que todos estão obrigados a cumprir”, denunciam.

A intenção de Roseana Sarney e Washington Macaxeira é apenas criar impasses, tumulto processual, chincanas, pois intimação das 10 testemunhas de defesa, pelos Correios, algo inédito em se tratando de processo eleitoral, levaria meses, até, para concluir todas as intimações.

Tudo leva a crer que o Ministro Arnaldo Versianni, do TSE, atenda ao pedido dos advogados de José Reinaldo, autor do processo de cassação, para que venha pessoalmente em São Luís realizar a audiência.

Pelo visto o temor de cassação do mandato de Roseana deixou de ser um fantasma ou mera hipótese para se tornar algo real. Antes, a Oligarquia desdenhava do processo movido pelo ex-governador José Reinaldo, mas, agora, é motivo de agonia diária para o clã Sarney. E tudo fazem desesperadamente para que o processo não ande e empaque na esperança de ganhar alguns meses a mais no governo. A cassação bate às portas de Roseana Sarney.


Deputados afirmam ter encontrado “ortiga, cobra cascavel, maxixe, menos gente sendo tratada” nos hospitais de Roseana

Do Blog do John Cutrim

Os deputados federais Domingos Dutra (PT) e Simplício Araújo (PPS) realizaram, nesta sexta-feira, uma diligência pelo interior do Estado para inspecionar as obras de construção dos 72 hospitais do “Programa Saúde é Vida” do governo Roseana Sarney. Os parlamentares visitaram as unidades de saúde de Alto Alegre, Matões do Norte, Peritoró, Bernardo do Mearim, Lago dos Rodrigues, Lago do Junco, Conceição do Lago Açu e Marajá do Sena.

O objetivo da inspeção, segundo os deputados, foi de verificar a estrutura e as condições de funcionamento dos hospitais. “Na região do Médio Mearim, apenas em Lago dos Rodrigues o hospital se encontra em funcionamento. Matões do Norte, Alto Alegre, Marajá do Sena, Peritoró e Bernardo do Mearim, a situação é calamitosa”, afirmou Simplício Araújo, após percorrer, em peregrinação, as unidades hospitalares.

De acordo com Dutra, em Matões do Norte a unidade hospitalar sequer tinha vigia de plantão. Segundo o petista, o hospital da cidade contém 20 leitos hospitalares, abandonados, sem equipamentos, onde a principal atividade desenvolvida é o plantio de maxixe e de fedegoso. No local, populares revelaram que o único parto que aconteceu fora de uma jumenta que sofria de dores.

“O que presenciamos em Matões do Norte foi um quadro de muito mato, sem qualquer vigilância ao patrimônio público e uma plantação de maxixe, que fazia a decoração do lugar. Aqui a gente viu ortiga, cobra cascavel, maxixe, menos gente sendo tratada”, disse Dutra, que chegou a apanhar alguns maxixes do local. “É pra colocar no feijão”, justificou, para em seguida brincar:

“Aqui deve ter uns preazinhos, uma cobra cascavel…”, contou Dutra. “Toma cuidado, se você for picado não tem nem onde te leve, teremos que te levar para Teresina”, alertou Simplício o colega do perigo.

Em Alto Alegre, “onde era pra ser chamado de hospital”, conforme Simplício, “existia apenas um prédio totalmente abandonado”. “Também no hospital de Peritoró não foi encontrado funcionários. A situação não foi diferente no hospital de Bernardo do Mearim e Lago do Junco, também com as estruturas totalmente comprometidas e sem funcionamento”, relatou o socialista.

Dutra e Simplício disseram ainda que em Alto Alegre do Maranhão, o hospital de 50 leitos possui alguns equipamentos, no entanto, uma parte foi incendiada, não havendo água encanada e muito menos vigilância. Da mesma forma, em Peritoró, na qual a unidade se encontra pronta, mas sem funcionar. (Com informações do blog Pedras Verdes e União Juventude)

Confira no vídeo abaixo a visita dos deputados aos hospitais

 


Pedro Simon diz que hospitais estão tratando vidas como se fossem mercadorias

Ao lembrar a morte do filho do ex-deputado Flavio Dino, dizendo que a perda de um filho é a mais profunda das dores, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) lamentou a postura de muitos hospitais brasileiros, que ignoram a dor física e da alma dos pacientes que os procuram e, por burocracia ou interesse econômico, jogam com a vida dos cidadãos.

Em discurso nesta quinta-feira (23), Simon disse que a vida – em instituições saúde públicas ou privadas – tem se transformado em uma mercadoria sob o jugo das leis de mercado, ignorando-se toda compaixão e solidariedade, quando alguém deixa de ser atendido por não ter, por exemplo, plano de saúde. – Eu não vejo diferença entre o bandido que mata e o profissional que deixa de atender premeditadamente um ser humano que agoniza. Eu vejo crime na omissão de socorro, não só do médico, mas de qualquer outra pessoa que desdenha a dor alheia, qualquer dor, a do corpo e a da alma – disse.

Além disso, o senador criticou a situação da saúde no país, que tem se tornado, com cada vez mais frequência, caso de polícia. Ainda em uma referência a Marcelo Dino, que morreu por complicações de uma crise de asma no hospital Santa Lúcia, ele disse ser inconcebível que no século 21, após tantos avanços científicos, alguém perca a vida por uma doença que era grave no tempo de seus avós.


Morre a ex-primeira dama e ex-vereadora Joanice Cantanhede

Morreu na tarde deste sábado, 25, a ex-primeira dama e ex-vereadora do município de Bequimão Joanice Cantanhede. Ela estava internada há cerca de duas semanas no Hospital Centro Médico em São Luís.

Mãe do atual vice-prefeito César Cantanhede e mulher do ex-prefeito Leonardo Cantanhede, Joanice foi vereadora entre os anos de 2001 e 2004 pelo PMDB.

Nas eleições de 2000, quando Leonardo Cantanhede elegeu-se prefeito do município pela segunda vez, a então peemedebista foi a quinta vereadora mais votada com 304 votos, 2,84% dos votos válidos na eleição proporcional.

O Blog Bequimão Agora se solidariza com a família e amigos da sra. Joanice neste momento de dor.


Entrevista – Flávio Dino fala pela primeira vez sobre a morte do filho de 13 anos

Do Correio Braziliense


Como o senhor tem acompanhado as investigações sobre a morte do seu filho?
Eu só quero que o (Hospital) Santa Lúcia responda a uma pergunta: é comum um garoto de 13 anos morrer de asma dentro de uma UTI? Se eles conseguirem provar por meio de estatísticas ou através da literatura médica que isso é normal, eu me calo. Mas o que eu tenho ouvido de vários profissionais é que o meu filho estaria vivo hoje se os procedimentos adotados fossem corretos. Se o Marcelo tivesse morrido dentro da escola, eu não iria responsabilizar a instituição de ensino, mas, dentro de um hospital e dentro de uma UTI, é inadmissível aceitar que uma criança morra dessa forma. Quero que o hospital, em respeito à memória do meu filho, diga o que ocorreu naquele dia, pois eles receberam o meu filho vivo e me entregaram morto.

O que leva a família a acreditar que houve erro da equipe médica?
Eu não classifico o que ocorreu como erro médico. Eu quero que a polícia investigue se houve um crime ou não. Até agora, o Santa Lúcia não me deu nenhuma explicação. Eles (gestores do hospital) fizeram uma reunião a portas fechadas e depois divulgaram para a imprensa uma nota omissa, que não diz nada. Eu passei o dia anterior inteiro andando de bicicleta com ele. Ele se comportava bem, com saúde. O que ele teve na escola foi uma crise como tantas outras, uma asma leve que sempre foi contornada sem maiores problemas.

O que o senhor viu antes da morte do Marcelo?
Eles aplicaram uma medicação no meu filho e, em seguida, ele começou a ter dificuldades para respirar. A médica demorou a chegar e o meu filho morreu. Sem contar que eles não fizeram a entubação no Marcelo quando ele começou a passar mal e, para piorar, ainda solicitaram material quando ele estava passando mal. Como uma UTI não é equipada com todos os recursos necessários para prestar socorro imediato? Quando o meu filho já estava morto, registrei um funcionário entrando com um aparelho, acho que era um respirador. A enfermeira olhou para o rapaz e disse: “Não precisa mais”. O meu filho estava internado por conta de uma crise asmática e, ao que tudo indica, não tinha um aparelho para tratar essa crise.

O senhor chegou a pedir providências inclusive ao governador Agnelo. Tem conseguido ajuda?
Eu, como pai e consumidor, tenho cobrado do Hospital Santa Lúcia, da polícia, do Ministério Público e do governo esclarecimentos. Podem tomar qualquer atitude, porém, o mais importante, eu nunca mais vou ter, que é o meu filho de volta.


Absurdo! Prefeitura escora parede de escola com perna-manca

Do Blog do Gilberto Léda

As imagens que ilustram este post são de um leitor do blog na cidade de Bequimão, na Baixada Maranhense.

Elas retratam a “qualidade” da obra de construção de uma escola municipal no povoado Mafra.

A Unidade Integrada Rui Barbosa – Anexo Mafra, segundo conta nosso interlocutor, foi recém-inaugurada pela Prefeitura Municipal.

Mas já está em vias de cair.

Como se vê, uma das paredes possui diversas rachaduras e, para prevenir uma possível queda, a prefeitura teve a brilhante ideia de escorar a estrutura com pernas-mancas.

Um perigo!

Atenção, Ministério Público!

Leia também

PONTE DO BALANDRO: MORADORES INTERDITAM MA EM PROTESTO; VEJA IMAGENS DA OBRA ABANDONADA PELO GOVERNO ROSEANA

COMPROVADA OUTRA MENTIRA DO GOVERNO ROSEANA SARNEY

OBRAS ABANDONADAS SÃO ATRAÇÕES EM BEQUIMÃO

ATÉ QUANDO? OBRA DE AGÊNCIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL PARALISADA


O sentimento beija-flor

Do Blog do JM Cunha Santos

Do coração dos maranhenses emerge o sentimento beija-flor. É o sentimento de R$ 10 milhões desperdiçados numa avenida de tristezas políticas que se alonga no tempo e no espaço até não mais ter fim. Nela desfila o povo maranhense carregando um imenso estandarte de desalento e frustração.

O sentimento beija-flor é o sentimento do pai que contempla escolas fechadas e atravessa o futuro de um lado a outro sabendo que seu filho não chegará a lugar nenhum. É o sentimento das cracolândias a céu aberto, do policial desarmado e perseguido pelo governo; o sentimento de um surdo furado que marca o samba desafinado de uma administração que vive de carnavais. É o sentimento de tamborins que gemem num aeroporto que não para de cair.

O sentimento beija-flor é o sentimento de um Estado sem rumo que perdeu o último centavo em mesas de Pif Paf antes de mancar na ala dos passistas em plena avenida das desilusões. É o sentimento de um carro alegórico que se desmonta durante o desfile tendo como destaque um povo que corre de pistoleiros e não tem onde plantar; o sentimento de professores sem giz, de fundações afundando a memória brasileira.

O sentimento beija-flor é o sentimento da mortalidade infantil, de famílias empobrecidas comendo o pão que o diabo amassou com meio salário mínimo por mês. É o sentimento do analfabetismo crônico desfilando para o espetáculo de bilionários empreendimentos internacionais; é o sentimento de uma comissão de frente que não veio porque um índice de desenvolvimento quase humano deixou a maioria sem ter para onde ir.

O sentimento beija-flor aflora em meio a uma incompetência tão grande que fez até a Beija-Flor de Nilópolis perder o carnaval. Mas o sentimento beija-flor sabe que as notas daqueles jurados não foram contra o enredo “São Luís o poema encantado do Maranhão”, foram contra os atos secretos do Senado, o nepotismo, o Troféu Algemas de Ouro, o coronelismo, as oligarquias, a corrupção e toda essa prática política que saqueia o Brasil e, com todo apoio do ex-presidente Lula, afunda num eterno carnaval de tristezas e ingerências o nosso Maranhão.