Blog publica lista de vereadores favoritos para eleição de outubro

O Blog Bequimão Agora fez um levantamento com base em pesquisas e análise de políticos e observadores experimentados em eleições no município de Bequimão sobre a eleição para a Câmara de Vereadores.

A partir dos dados coletados, o blog prospectou o quociente eleitoral, as possibilidades de cada coligação proporcional e os candidatos favoritos para a eleição.

Cinco coligações disputam as 11 vagas para a Câmara: Unidos Somos Fortes (PDT, PPS, PSDB/PHS); Unidos Para Vencer (PSB/PTC); Mudança e Renovação (PMDB/PP/PTN); Bequimão Para Todos (PV/PSL/PTB) e Construindo Uma Nova Bequimão (PT/PCdoB).

Com base no quociente eleitoral que deve ficar entre 1.200 e 1.300 votos para eleger um vereador, têm-se os seguintes prognósticos por coligação: a coligação “Unidos Somos Fortes (PDT, PPS, PSDB/PHS)” deverá eleger quatro vereadores; “Unidos Para Vencer (PSB/PTC)” poderá eleger dois ou três vereadores; “Mudança e Renovação (PMDB/PP/PTN)” elegerá entre dois e três vereadores; “Bequimão Para Todos” (PV/PSL/PTB)” elegerá um vereador com possibilidade de um segundo ser eleito na sobra, enquanto a coligação “Construindo Uma Nova Bequimão (PT/PCdoB)” provavelmente não elegerá vereador.

Os favoritos por coligação:

Unidos Somos Fortes PDT/PPS/PSDB/ PHS: Danilo (PDT), Doutor (PDT), Elanderson (PPS), Janderson (PDT), Preta (PDT)

Unidos Para Vencer PSB/PTC: Mário Gusmão (PTC), Raquel Paixão (PTC), Sinhôr (PSB)

Mudança e Renovação (PMDB/PP/PTN): Carlinhos Severaldo (PTN), Deninho (PMDB), Jorge Filho (PP), Robson Cheira (PTN)

Bequimão Para Todos (PV/PSL/PTB: Creuber (PV), França (PV)

Construindo Uma Nova Bequimão PT/PCdoB: Não deve eleger vereadores

Clique na imagem abaixo e veja a lista dos candidatos mais cotados vencer as eleições:


Othelino Neto acusa o governo de promover 'farra' com a liberação de convênios; 'Bequimão não recebeu um centavo'

Othelino: Bequimão não recebeu recursos porque o prefeito é do PDT

O deputado Othelino Neto (PPS) criticou o Governo do Estado, na manhã desta quarta-feira (29), acusando-o de ter promovido, em meados do ano, uma “farra de liberação de convênios” com prefeituras de municípios do interior do Maranhão.

Para o deputado, houve falta de critério na celebração destes convênios. Ele citou, como exemplo, o município de Pinheiro: “A cidade de Pinheiro, terra do pai da governadora, sede da Baixada Maranhense, cidade referência naquela região com 78.147 habitantes pelo Censo 2010 do IBGE, não recebeu nenhum centavo do Governo do Estado”, afirmou Othelino Neto.

Ele comparou o município de Pinheiro com o município de Dom Pedro, que tem 22 mil habitantes – menos de um terço da população de Pinheiro, e recebeu R$ 7,79 milhões somente no período de janeiro a julho de 2012. Segundo Othelino Neto, de 2009 para cá, no mandato da governadora Roseana Sarney, Dom Pedro recebeu R$ 19 milhões.

“Se fosse aplicar uma proporção pela população, Pinheiro deveria ter recebido pelo menos de R$ 22 a R$ 23 milhões. Então, a cidade de Dom Pedro deve ter algo muito especial porque, se com um terço da população de Pinheiro recebeu R$ 22 milhões, deve ter algo muito especial naquela cidade ou então a prefeita é uma correligionária de primeira hora e de maior grandeza do Governo do Estado”, declarou o deputado.

Ele fez também uma comparação da cidade de Pinheiro com outros municípios, como São Bento, que tem 37 mil habitantes, quase a metade da população de Pinheiro, e recebeu R$ 2,173 milhões. O município de São João Batista, que tem 19 mil habitantes, recebeu R$ 3,516 milhões. O município de Presidente Sarney, com 14 mil habitantes, recebeu R$ 960 mil.

“Eu gostaria que São Bento, São João Batista e Presidente Sarney tivessem que receber até mais recursos, mas eu não concordo é tratar com desigualdade a principal cidade da Baixada, que é a cidade de Pinheiro, que, aliás, só tem sido perseguida pelo governo do Estado, que retirou o hospital que ia ser construído e para o qual o então governador Jackson Lago deixou recursos assegurados no Orçamento”, frisou.

Depois de enfatizar que o prefeito de Pinheiro, José Arlindo, está sendo perseguido politicamente pelo Governo do Estado, Othelino Neto frisou que considera entristecedor ver que enquanto cidades pequenas, como Nina Rodrigues, receberam R$ 1,2 milhão, Mata Roma recebeu R$ 3 milhões, Governador Eugênio Barros recebeu R$ 2 milhões, a cidade de Pinheiro não recebeu nada.

“A cidade de Bequimão”, acrescentou Othelino Neto, “tem 18 mil habitantes e não recebeu um centavo só porque o prefeito é do PDT. A cidade de Matões não recebeu nada. Quanto a Caxias, eu não consegui achar um centavo de convênio. Então, no Maranhão, os recursos públicos só servem para ser conveniados e para aplicar nos municípios onde os prefeitos são aliados do Governo do Estado”.

Ao encerrar seu discurso, Othelino Neto lamentou que, no Maranhão, os recursos públicos estão sendo tratados como recursos privados e que, em vez de melhorar a qualidade de vida das pessoas, independentemente de coloração partidária, e independentemente de ser situação ou oposição, só servem para premiar os aliados do Governo do Estado.


Ex-vereador Jocimar declara apoio a Elanderson

Do Blog do PPS Bequimão

Jocimar declara apoio a Elanderson

O ex-vereador Jocimar Castro (PPS) confirmou apoio ao candidato a vereador Elanderson (PPS). Ele justificou sua decisão afirmando ver em Elanderson um candidato com perfil ideal para desenvolver um mandato com competência e transparência de suas ações.

Jocimar destacou ainda a experiência e o bom trabalho comunitário realizado pelo vereador Fredson (PDT), irmão de Elanderson, como pontos positivos da candidatura do presidente do PPS. “O Elanderson alia seu conhecimento e juventude com a experiência do Fredson. Conheço o trabalho dele na região de Jacioca e suas ações como vereador, que beneficiaram o município como um todo. Sei de sua liderança e comprometimento com o nosso grupo político e por isso decidi apoiar e pedir aos meus amigos que votem no Elanderson para dar continuidade a esse trabalho”, disse.

Ex-presidente e fundador do PPS de Bequimão e vereador por dois mandatos, Jocimar ressaltou a importância do ter pela primeira vez um vereador eleito pelo partido. “A eleição do Elanderson marcará também o fortalecimento do nosso partido, que ajudei a criar, dando mais esta opção política para o nosso município”, afirmou.

O candidato a vereador Elanderson agradeceu o apoio e confiança do ex-vereador. “O apoio do companheiro Jocimar nos deixa mais felizes e confiantes ao tempo em que aumenta nossa responsabilidade em corresponder esta confiança desempenhando um bom trabalho na Câmara. Também nos orgulha muito contar com este valioso companheiro que muito contribuirá com sua experiência como vereador e respeitado membro da igreja Assembléia de Deus em nosso município”, disse.


Um Brasil Desigual*

José Lemos

No Primeiro Capitulo do nosso livro “Mapa da Exclusão Social no Brasil: Radiografia de um País Assimetricamente Pobre”, publicado pelo Banco do Nordeste do Brasil, na sua Terceira Edição já liberada em CD, eu escrevo o seguinte parágrafo:

“Dentre as muitas características da sociedade brasileira, a mais marcante é, sem sombra de dúvidas, o contraste no que se refere aos indicadores sociais e econômicos que se distribuem de forma bastante assimétrica entre as regiões, estados, bem como dentro das regiões e dos estados. Isto faz do Brasil ainda ser um dos países mais desiguais do mundo. Concomitantemente ao grande surto de industrialização experimentado pela economia brasileira a partir dos anos cinqüenta, principalmente, e com o incremento da urbanização da população do País, sobretudo nas três últimas décadas do século passado, observa-se uma insistente manutenção dos níveis de desigualdades e de exclusão social, tanto nas suas áreas urbanas como nas suas áreas rurais”.

Nesta semana as Nações Unidas liberaram mais um dos seus relatórios que corroboram com o parágrafo acima quando mostra, através de algumas estatísticas, que o Brasil é o quarto país mais desigual da America Latina.

Com base nas informações que mostramos no livro podemos dizer que aquela entidade foi até benevolente com a real situação dos brasileiros nesta última década, não obstante tenha havido um crescimento significativo da renda, mas a sua distribuição continua dramaticamente desigual. Mas não apenas a renda se distribui de forma assimétrica no Brasil. Os serviços essenciais, aqueles que deveriam ser providos pelo Estado brasileiro, provocam um verdadeiro apartheid nesta imensidão de País.

Neste texto tentarei mostrar algumas das razões que corroboram com as evidencias mostradas no Relatório das Nações Unidas, alem de tentar justificar a assertiva de que a entidade acabou tendo muito boa vontade com o Brasil.

Em 2000, a região Sudeste se apropriava de 57,8% do PIB agregado do País. Em 2009, essa região se apropriava de 55,3%. Portanto, pode-se dizer que, não houve mudança significativa nessa apropriação. A região Norte se apropriava de 4,6% do PIB do País em 2000 e de 5,0% em 2009. O Nordeste, por sua vez, tinha participação de 13,1% do PIB do País em 2000 e de 13,5% em 2009. O Centroeste saiu de uma participação de 7% em 2000 para 10% em 2009, sendo, portanto, a região que se apropriou da pequena regressão que houve na participação do Sudeste na riqueza do Brasil nesta década.

Das evidencias acima, depreende-se que as duas regiões mais carentes do País, Norte e Nordeste, ficaram onde sempre estiveram durante a primeira década deste século, no que concerne ao acesso à riqueza gerada no País: Em posição marginal ou periférica.

Por outro lado, em 2009 o PIB per capita anual do Brasil era de R$16.917,86, pouco mais de três salários mínimos. Nos 5.564 municípios brasileiros contabilizados pelo IBGE, em torno deste valor gravitavam valores tão dispares como R$1.929,97 anuais em São Vicente de Ferrer no Maranhão e R$360.815,83 por ano em São Francisco do Conde, na Bahia. Em apenas 815 municípios o PIB per capita era superior à média nacional.

No que concerne à população que sobrevivia em domicílios cuja renda per capita domiciliar era de no máximo meio salário mínimo em 2010, observa-se mais um dos contrastes gritantes do Brasil. Estima-se que 37% da população brasileira sobrevivia sob essas condições em 2010. No Norte o percentual era de 55,2% e, no Nordeste, a tragédia ainda é pior: 59,3% dos domicílios tem renda per capita daquele tamanho.

 

O percentual de analfabetos no Brasil em 2010 era de 9,6%. No Norte era de 11,2% e no Nordeste de 19,1%. A população privada de água encanada no Brasil, em 2010, era de 17,1%. Na região Norte ascendia para 45,5%, e no Nordeste era de 23,4%. A população brasileira privada de acesso ao saneamento minimamente adequado (esgotamento ou fossas séptica) em 2010 era de 37,9% contra 67,2% no Norte e 54,8% no Nordeste.

Assim, o Brasil permanece desigual, tanto na distribuição dos serviços essenciais como da renda, o que mostra que as Nações Unidas foram bastante condescendentes no seu relatório com as reais condições do País. Vivemos num país com enorme apartação social e de renda, não obstante o discurso oficial que tenta mostrar o contrário.

=========

*Artigo publicado no Jornal O Imparcial em 25/08/2012


Compra e venda de votos é crime eleitoral; saiba onde e a quem denunciar

Do Blog do Controle Social

Em 28 de setembro de 1999, era sancionada a Lei nº 9840. O documento, que dispõe sobre a corrupção eleitoral exercida na compra do voto, foi criado para complementar a Lei nº 4737, de 1965, que define os tipos de crimes eleitorais e as punições para quem pratica.

No entanto, muitos eleitores ainda ficam na dúvida sobre quais são e como denunciá-los. Pensando nisso, instituições públicas disponibilizam uma série de orientações em seus sites.

No intuito de orientar o eleitor de como proceder para denunciar os crimes de corrupção eleitoral, órgãos públicos e movimentos sociais mantêm páginas na internet com links, telefones e até cartilhas educativas. Entre eles estão o Tribunal Regional Eleitoral (TER), a Polícia Federal (PF), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Ministério Público Federal (MPF) e o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).

O MCCE, que é constituído por 51 instituições nacionais de diversos segmentos, criou uma cartilha específica para as eleições municipais deste ano, com dicas, recomendações e a lista dos prefeitos e vereadores cassados por corrupção eleitoral entre 2000 e 2009. O site da organização também traz uma página dedicada a orientações de como denunciar, além de trazer uma lista dos órgãos que são aptos a receber as denúncias.

Outra instituição que possui em seu site uma cartilha educativa é o Ministério Público Federal. O material, que é apresentado em duas versões – uma completa e outra simplificada –, trata do combate à corrupção eleitoral. Contudo, o órgão também dispõe de uma página com formulário para o envio de denúncias online.

Venda e compra de votos é crime passível de prisão

Diante disso, o eleitor precisa estar atento a um detalhe importante da legislação eleitoral. Pois a lei prevê que dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outra pessoa, dinheiro, dádiva ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar o voto é crime. E este delito pode resultar em quatro anos de prisão, tanto para quem compra quanto para quem vende, além do pagamento de multa.


Alessandro divulga carta aos bequimãoenses

Estamos nos aproximando do momento cívico mais importante que a Democracia nos proporciona. As Eleições.
Em Bequimão como em todos os Municípios deste país, a população avalia os candidatos para decidir o voto; assim me apresento ao povo e peço a sua atenção.

ALESSANDRO BOUÉRES GONÇALVES, sou brasileiro, maranhense de Bequimão, casado, pai de 02 filhas, Professor de Matemática e sindicalista. Venho a público externar a minha decisão de ser candidato a Vereador.

Porque sou candidato a vereador?

Respondo com segurança: – Para defesa incondicional dos direitos e deveres dos servidores públicos; da classe trabalhadora em geral e dos requisitos básicos da cidadania, exigir seriedade dos gestores municipais com a valorização permanente das políticas públicas, com base na Saúde e na Educação.

A Política precisa de renovação, vamos RENOVAR o pensamento e a PRÁTICA política. Tenho responsabilidade e capacidade para defender as ideias objetivas para a nossa cidade e para o nosso município. Tenho coragem, bom senso, Biografia e atitudes para mostrar.

Na condição de educador e líder sindical à frente dos movimentos sociais, estive lado a lado dos trabalhadores na busca dos direitos almejados. Incansável, lutamos e lutaremos pela melhoria da educação.

Na condição de vereador estarei na luta combatendo a violência contra as mulheres e os idosos, lutarei ainda por uma política de valorização para o jovem, sem esquecer a função primordial do vereador: “fiscalizar a aplicação dos recursos públicos”, estarei na luta contra a corrupção, contra os vícios que permeiam a política e o uso inadequado do dinheiro público.

No dia 7 de outubro vote no ideal de um jovem convicto na transformação da comunidade através da representatividade pelo voto livre e que este jovem com novas idéias é capaz de lutar por uma política melhor.
Estou assumindo Compromissos verdadeiros, possíveis para um vereador.

Principais Metas e Projetos:

• Reformulação do Estatuto do Servidor Municipal e da Lei Orgânica do Município;
• Construir Planos de carreiras para os outros servidores;
• Cursos para os Jovens aproveitarem as oportunidades no mercado de trabalho;
• Curso preparatório para o ENEM, para que os jovens tenham oportunidades de acesso à universidade;
• Projetos voltados ao esporte e lazer, para tanto Estarei lutando para incluir na Lei orçamentária do município, recursos para que o município seja capaz de proporcionar ALTERNATIVAS DE LAZER PARA A POPULAÇÃO;
• Aumentar a oferta da EJA na sede e nas comunidades;
• Criar um canal de informação entre a câmara e a população;
• Exigir eficiência dos Serviços e na aplicação dos recursos públicos.
Seu voto é livre. É uma escolha pessoal. Vote com convicção num jovem capaz de lutar e vencer.


Educação no caminho certo

Do Blog do Fredson
Vi com alegria o avanço de nosso município na educação básica constatado pelo Ideb (Índice de Desenvolvimento da Básica) divulgado pelo Ministério da Educação. Pode ainda não ser aquilo que se imagina como ideal para o nosso município, mas demonstra a seriedade com que o nosso prefeito Antonio Diniz (PDT) vem tratando a educação.

Mas, quero falar sobre o desempenho da Unidade Integrada Jacioca. A escola do nosso povoado obteve a segunda melhor avaliação entre as unidades de ensino de nosso município com 3,4 pontos no Ideb. Ficamos atrás apenas da UE Estado de Minas Gerais, tradicional escola da sede.

Como não poderia deixar de ser esse resultado me deixou extremamente feliz. Quero aqui parabenizar todos que fazem nossa escola: diretor, professores, alunos, servidores e as famílias dos estudantes.

Costumo dizer que com educação e com saúde não se brinca e a nossa boa avaliação em nível municipal mostra que estamos no caminho certo.

Temos jovens competentes no quadro da escola somando-se aos profissionais mais experientes. Sempre defendi como prioridade o perfil técnico capacitado dos profissionais e assim temos nomes com preparo e comprometidos com a educação, como o diretor Ivã, os professores César, Josinaldo, Thiago, Leidiane, Emerson, que teve passagem importante neste processo, Taís, enfim todos estão de parabéns.

Tenho absoluta certeza que este resultado vai estimular ainda mais estes profissionais, os alunos, os servidores e as famílias a se mobilizarem para que em 2013 a UI Jacioca alcance a meta projetada pelo MEC e se torne a melhor escola de ensino fundamental de nosso município. Temos potencial para isso é só acreditar e trabalhar com seriedade e comprometimento.

O caminho para a melhoria das condições de vida de nossa população certamente é a educação. Estamos no rumo certo!


Classe C: A Arte de “Cair Prá Cima”*

José Lemos*

Ainda adolescente, concluindo o Curso Colegial, ou Cientifico (nível médio como se diz hoje) no glorioso Liceu Maranhense, eu estava num impasse acerca do meu futuro. Gostaria de fazer vestibular para um dos cursos que então eram oferecidos pelas Universidades Maranhenses: Medicina, Farmácia, Odontologia ou Direito.

Qualquer daqueles cursos estava muito distante da minha realidade, pois implicava em mais cinco ou seis anos como dependente de uma renda muito escassa da nossa família. Alem disso, a minha vocação maior era para estudar matemática, física e química. Gostava de biologia, mas não o bastante para dedicar-me a um curso que tivesse naquela disciplina a sua base de sustentação: casos de Medicina e Odontologia.

Eu tinha conseguido comprar, depois de reunir economias dando aulas de matemática, o Livro do Sinésio de Farias (“Curso de Álgebra”). Livro pesado. Literalmente, e em conteúdo. Resolver seus exercícios era objetivo de quem queria dar vôos elevados. Eu os queria, mas esbarrava nas parcas posses familiar.

Sonhei com a coleção, em quatro volumes de livros de Física, do Dalton Gonçalves: Dois volumes de Mecânica, um de Ótica e outro de Eletricidade. Pedi para o meu único irmão, espécie de segundo pai, aquela coleção. Fiz sem muita convicção, é certo, porque era muito cara. Qual não foi a minha grata surpresa quando recebi das mãos dele, os quatro volumes daqueles livros que “faziam a cabeça” dos jovens da minha geração. Aquele foi um dos melhores presentes que ganhei na minha vida.

Aprendi, com o volume dois daquela coleção (Dinâmica), um dos fundamentos que nos ajudam a entender os fenômenos naturais: A “Lei Newtoniana da Gravitação Universal”. A lei recebeu o nome do seu criador, o físico inglês Isaac Newton.

Por essa lei apreende-se que a atração gravitacional da terra atribui peso a todos os objetos. A implicação deste fenômeno é que, qualquer objeto sendo solto de uma determinada altura, sempre será atraído pela terra, e se precipitará em sua direção.

Por causa dela, a terra, e os outros planetas, se mantêm nas suas respectivas órbitas em torno do sol, e a lua permanece em órbita em volta do nosso planeta. Ela é também a responsável pela formação das marés e de tantos outros fenômenos naturais.

E tudo nós demonstrávamos com equações bem conhecidas de quem queria fazer vestibular para entrar num bom curso universitário. Qualquer estudante de nível médio, independente da posição que estivesse no “abcdário” social e econômico, era capaz de enveredar por um mundo daquele, que era um misto de sonhos, magia e realidade. Isto porque as escolas públicas, onde estudávamos, tinham qualidade.

Nada disso se aplica agora, porque os atuais detentores do poder, além de inventores das cotas, do politicamente correto, de ter Ministério da Educação que produz cartilhas que ensinam escrever, e falar errado, também resolveram contrariar a Lei da Gravidade. Agora também se “cai prá cima” no Brasil. Aquelas belas equações encontradas no meu velho livro de Física não tem qualquer validade, ao menos para aqueles que são identificados como estando na Classe “C” pelos governantes de hoje.

Segundo eles, essa gente, na companhia daqueles que se “jactam” em está na Classe “D” e “E”, está “subindo econômica e socialmente”. Pobre Isaac Newton! Ainda bem que não viveu o bastante para vir para estas plagas tropicais e constatar que aquelas leis todas que lhe consumiram anos de estudo, seriam devidamente refugadas por “fundamentos bem mais científicos” no século XXI.

Vejamos a “subida” da Classe “C” no Brasil nestes anos “dourados”. Em 2002, os domicílios onde viviam esses brasileiros, cuja renda domiciliar, varia de dois a cinco salários mínimos, representavam 34,6% dos domicílios brasileiros. Em 2009, já transformados em “turbinadores” da economia brasileira, haviam incrementado para 37,3%. Proeza possível porque, parte daqueles que moravam em domicílios com renda domiciliar variando entre cinco e vinte salários mínimos que, em 2002 representava 26,1% dos domicílios brasileiros, se “aborreceu” e o contingente reduziu para 21,1%.

Portanto, o incremento da classe “C” se deu devido a uma redução, proporcional e absoluta, das classes posicionadas em situação superior. Essa gente agora é “paparicada” com propaganda, crédito consignado, e outras “maravilhas”. Até para comprar automóvel “popular”, pagando a “perder de vista”, literalmente. Isto porque, lá pela quarta “suave” prestação, a concessionária resgata o bem que não foi pago, porque o comprador da classe “C” não conseguiu bancá-la. Perdem de vista e a posse do bem que concorria com os parcos espaços da modesta casa alugada, ou financiada pela Caixa, num bairro periférico, sem água, sem saneamento, sem escola para os filhos. Detalhes irrelevantes, pois estão “felizes” por, finalmente, serem reconhecidos pelos poderosos de ocasião. Caso nada dê certo, sempre haverá a possibilidade de estarem habilitados a receber uma bolsa família, bolsa natalidade… Uma bolsa qualquer coisa e, claro, uma vaga na universidade como “cotista”. Prá que vida melhor?

============

*Artigo publicado em 18/08/2012.


Secretário de cultura de Bequimão deve ser solto nesta quinta-feira

Sidney Carvalho de Jesus foi alvo de acusações de abuso sexual em junho.
Das dez denúncias contra o secretário, oito foram retiradas pelas famílias.

Do G1 MA

Após decisão do juiz da comarca do município de Bequimão, Marcelo Frazão Pereira, o secretário de cultura do município, Sidney Carvalho de Jesus, que estava preso desde o dia oito de junho, deve ser solto nesta quinta-feira (23).

Na época da prisão, dez acusações de abuso sexual contra crianças foram feitas contra o secretário. Das dez denúncias, oito foram retiradas. Apenas duas famílias mantêm a denúncias de violência sexual.

O delegado de Bequimão, Jorge Antônio da Silva confirmou a informação e aguarda recebimento do alvará de soltura para liberar o secretário Sidney Carvalho de Jesus.