Robson Paz: ponte sobre Rio Pericumã vai desenvolver Bequimão e toda região

ksc_9061ENTREVISTA

Em entrevista concedida ao Jornal Itapetininga, o subsecretário Robson Paz (Comunicação e Assuntos Políticos) afirma que a construção da ponte Central-Bequimão vai mudar o cenário de Bequimão e demais municípios do Litoral Ocidental Maranhense. Ele garante que os serviços estão em curso e que o governador Flávio Dino vai inaugurar a ponte até o final de 2018. Confira os principais momentos da entrevista:

A oposição tem insistido em dizer que a ordem de serviço da ponte foi apenas ato eleitoreiro. É verdade?

Não. Os políticos ligados ao grupo Sarney infelizmente torcem para que obras como esta que beneficiam a população não aconteçam. É o que se pode deduzir desse comportamento. As obras foram iniciadas sim. Ocorre que num primeiro momento eram necessárias máquinas, tratores, caçambas para construir o acesso ao local e o canteiro de obras. Concluída esta etapa evidentemente deixa de ser necessária a presença das máquinas no município. Mas, o canteiro de obras está instalado e começa agora a etapa mais complexa com equipamentos e mão de obra especializada. Existe um cronograma de execução da obra e este será obedecido e fiscalizado permanentemente pelo governo do Estado.

Qual a importância da construção da ponte Central Bequimão?

Trata-se de uma obra sonhada e reivindicada por décadas por nossa população e de todos os municípios da região. O governador Flávio Dino visionário que é priorizou e teremos mais de 200 mil pessoas dos 10 municípios do Litoral Ocidental beneficiados com este empreendimento, que vai gerar oportunidades durante e depois da construção da ponte.

Quais serão estes benefícios?

Primeiro vai gerar emprego e renda, nos próximos 18 meses, período da construção da ponte, tanto diretos quanto indiretos, pois para além de trabalhadores vai criar uma rede de oportunidades, especialmente no setor de serviços, que vão desde alimentação, hospedagem, entre outros. Depois, teremos os dez municípios dotados desta infraestrutura viária, que vai potencializar tanto o escoamento da produção quanto o turismo na região. Teremos maior facilidade de acesso com a redução em mais de 125 km no percurso do litoral à MA-106, que dá acesso a São Luís. Todo este leque de oportunidades nos dá a certeza de que finalmente nosso município e os demais terão um ciclo virtuoso de crescimento.

Qual previsão para conclusão da obra?

O prazo para conclusão dos serviços é de dois anos, mas o governador Flávio Dino ao dar a ordem de serviço lançou um desafio para que a construtora reduza este tempo para 18 meses. De modo, que até o final de 2018 deveremos ter esta importante obra concluída.

A ponte será importante para desenvolver o turismo nesta região?

Certamente. Temos um grande potencial natural e com a ponte vamos explorar com muito mais estrutura o turismo na região. Temos belíssimas praias, rios, a ilha dos Lençóis, a floresta dos Guarás, além de rica diversidade cultural. Tudo isto vai criar as condições para que tenhamos grande avanço no turismo.

A produção também terá benefícios?

Esta é uma região com grande característica agrícola e com a política de apoio à produção abrirá também uma grande perspectiva. Aliás, não apenas agrícola, mas também pesqueira, pois a região é grande produtora de pescado. O tripé produção, turismo e infraestrutura será fundamental para mudar o cenário de pobreza existente nestes municípios, com a geração de trabalho e renda, reduzindo a desigualdade.


Bequimão deve mais de meio milhão de reais em precatórios

3030Do Jornal Itapetininga

O município de Bequimão está na lista divulgada pelo Tribunal de Justiça do Maranhão, por meio da Coordenadoria de Precatórios, relacionando o montante consolidado de dívidas, até 31 de dezembro de 2016.

A dívida acumulada com precatórios é de R$ 572.427,01. Os precatórios recebidos pelo TJMA em 2016 e com vencimento para 2017 não constam da relação divulgada.

O juiz José Nilo Ribeiro, gestor da Coordenadoria de Precatórios do TJMA, esclarece que o Edital não tem natureza impositiva, representando mais uma forma de dar publicidade às dívidas municipais oriundas de sentenças já transitadas e julgado, que já foram comunicadas aos atuais gestores para que fossem incluídas nas leis orçamentárias para o próximo ano. “Esta é uma forma de evitar que os futuros gestores sejam pegos de surpresa e venham a alegar o desconhecimento dos precatórios”, explica. As dívidas de precatórios vencidos e não pagos podem gerar sequestro de valores dos cofres municipais – a pedido dos credores –, além de que o gestor pode responder por ato de improbidade administrativa.


Fazendo mais com menos

untitledROBSON PAZ

A gestão pública é por sua complexidade um permanente desafio. Maior ainda na quadra atual vivida pelo Brasil, que enfrenta uma das mais agudas crises de sua história. No Maranhão, os obstáculos são ainda mais exponenciais. Além do ambiente hostil da economia nacional, há um passivo de meio século de negação de políticas públicas para a maioria da população. Por isso mesmo, as conquistas nos últimos dois anos, especialmente no combate à desigualdade tem significado superlativo.

São crianças e adolescentes que passaram a ser vistas pelo Estado. Mais de 1 milhão de alunos recebem incentivo financeiro para adquirir material escolar. As escolas passaram a ter ambientes dignos, mais de 300 foram reformadas. Outras 62 completamente reconstruídas e centenas estão sendo levantadas pelo governo, por meio do programa Escola Digna, que substitui escolas de taipa e palha por prédios de alvenaria.

As procissões de ambulâncias cedem espaço para o atendimento humanizado e regional idealizado pelo ex-governador Jackson Lago. Agora, posto em prática pelo governador Flávio Dino com a conclusão e pleno funcionamento de cinco hospitais de média e alta complexidade, que atendem quase metade da população maranhense, nos municípios de Pinheiro, Caxias, Imperatriz, Santa Inês e Bacabal. Outras milhares de pessoas são atendidas pela Força Estadual de Saúde, cuja atuação nos 30 municípios mais pobres do estado reduziu o índice de mortalidade infantil e de mortalidade materna em 47%,5% e mais de 83,9%, respectivamente.

Assistência que chegou também aos pequenos produtores com as Feiras de Agricultura Familiar e Agrotecnologia (Agritecs), crédito rural e Sistemas Integrados de Tecnologia (Sistecs). Conhecimento e apoio técnico, que amplia a produção familiar gerando mais renda e inclusão.

Nestes dois anos, o governador Flávio Dino já contratou 2.500 novos policiais. A frota foi reestruturada com a aquisição de 400 novas viaturas. Investimento em tecnologia com laboratórios de tecnologia contra a lavagem de dinheiro e de genética forense. O resultado tem sido a progressiva redução nos índices de criminalidade. Menos crimes violentos, menos assaltos a ônibus e a bancos. Mais apreensão de armas e de drogas.

No momento em que a maioria dos estados parcelou ou deixou de pagar seus servidores, fechou unidades de saúde e restaurantes populares, o Maranhão ampliou o acesso a direitos e aos serviços públicos. A rede de restaurantes populares com alimentação saudável ao preço simbólico de dois reais foi ampliada em mais de 100% e chegou aos municípios de Lago da Pedra, Chapadinha, Pedreiras, Grajaú, Zé Doca, Açailândia.

Os servidores foram pagos em dia e o 13º salário antecipado. Só neste fim de ano, com os salários dos mais de 110 mil servidores foram injetados na economia do Maranhão R$ 800 milhões. Some-se a este montante mais R$ 60 milhões que serão investidos no Bolsa Escola, no início de 2017. São recursos que movimentarão a economia do Estado garantindo e gerando novos postos de trabalho contribuindo para o ciclo de justiça social e oportunidade para todos.

Radialista, jornalista. Subsecretário de Comunicação Social e Assuntos Políticos


Governo Flávio Dino é aprovado por 61% dos maranhenses, diz pesquisa Exata/Jornal Pequeno

whatsapp-image-2016-12-23-at-05-56-45O governo Flávio Dino é aprovado por 61% da população maranhense. É o que mostra pesquisa realizada pelo instituto Exata entre os dias 12 a 17 de dezembro. Foram realizadas 1.408 entrevistas em todas as regiões do Estado. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos com intervalo de confiança de 95%.

Na última pesquisa do mesmo instituto, em julho de 2016, a aprovação era de 60%. De acordo com o novo levantamento, 34% dos maranhenses desaprovam o governo, enquanto 5% não sabem ou não responderam.

Segundo a Exata, o desempenho pessoal do governador Flávio Dino é ainda melhor e alcança 63% dos entrevistados. Com dois anos de governo, Flávio Dino mantém a mesma aprovação que o levou ao Palácio dos Leões em outubro de 2014, quando foi eleito com 63,52% dos votos.

Mesmo em meio à grave crise econômica e política nacional, que tem gerado diminuição dos repasses federais a todos os estados brasileiros e desgaste de políticos, Flávio Dino tem índices altos de representatividade, já que mais da metade dos entrevistados consideram a imagem do governador como muito positiva ou positiva.

“Governador Flávio Dino demonstra uma capacidade muito grande de resistência ao clima geral que há no país e contamina a avaliação dos governos. Os níveis de aprovação do governo e de confiança no governador são muito elevados considerando a conjuntura”, destacou o relatório.

Maioria dos maranhenses desaprova Governo Temer

A mesma pesquisa também aferiu o desempenho do presidente Michel Temer, que tem a gestão reprovada por 86% dos maranhenses. Apenas 10% aprovam e 4% não sabem.


Governo cumpre cronograma e inicia preparativos para obras de fundação da ponte sobre Rio Pericumã

foto-4-construcao-de-ponte-sobre-o-rio-pericuma-segue-em-ritmo-normal-e-o-trabalho-de-fundacao-deve-ser-iniciado-em-janeiroAs obras de construção da ponte sobre o Rio Pericumã, que ligará os municípios de Central do Maranhão e Bequimão, estão dentro do cronograma estabelecido, que prevê a conclusão da obra em 18 meses. Com isso, as máquinas para a execução dos serviços de sondagem e fundação chegaram ao canteiro de obras e serão transferidas, em janeiro, para a margem do rio, depois de construído o acesso ao local, possibilitando no primeiro mês de 2017 o início dos serviços de fundação.

Fernando Navarro, diretor executivo da obra, destacou como de fundamental importância o andamento dos trabalhos, uma vez que o projeto de execução da ponte é considerado complexo e de extrema dificuldade técnica. “Temos uma ponte de 26 metros de espessura, de solo mole e, além do rio, temos a influência das marés, uma obra em grau de dificuldade comparada a ponte do Rio Negro, no Amazonas”, exemplificou.

Ele acrescentou que graças ao ritmo dos trabalhos realizados, apesar das exigências técnicas, o avanço da obra tem superado as expectativas. “Os trabalhos de sondagem de confirmação estão sendo realizados com sucesso, definimos todo o histograma dos serviços com a definição de máquinas e recursos, portanto estamos preparados para chegar à margem do Rio Pericumã e dar início a mais uma fase da obra”, afirmou.foto-3-construcao-de-ponte-sobre-o-rio-pericuma-segue-em-ritmo-normal-e-o-trabalho-de-fundacao-deve-ser-iniciado-em-janeiro

As obras exigirão máquinas especiais e adaptação de equipamentos à realidade técnica do projeto. Martelos vibratórios, guindastes de 170 toneladas, fábrica de estaca e equipamentos náuticos estão sendo mobilizados aos que já se encontram no local para cumprir o cronograma estabelecido para os trabalhos.

A construção da ponte sobre o Rio Pericumã é um sonho antigo dos moradores de vários municípios da região e vai mudar para melhor a vida da população da Baixada Maranhense. Um dos efeitos positivos já está ocorrendo, com a obra houve a gerando de emprego e renda para 450 famílias da região.

Segundo o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto, a construção da ponte representa uma virada de página na história do Maranhão. “A obra é um grande desafio da engenharia maranhense, executada com técnicas precisas respeitando a concretização de um sonho de mais de quatro décadas que permitirá a integração do desenvolvimento econômico e social, gerando riquezas e mais oportunidades à Baixada Maranhense garantindo mais justiça social a todos”, explicou. Ele frisou que a construção da ponte é a quebra de mais uma lenda regional que gerou tantas expectativas frustradas e, agora, se torna realidade com a gestão realizada pelo governador Flávio Dino.

foto-1-construcao-de-ponte-sobre-o-rio-pericuma-segue-em-ritmo-normal-e-o-trabalho-de-fundacao-deve-ser-iniciado-em-janeiro-575x1024Com um investimento de quase R$ 70 milhões, favorecendo a mudança no cenário econômico e social da Baixada Maranhense, a ponte terá 89 metros de extensão. Além dos demais caminhos regionais que serão encurtados o trajeto com a conclusão da obra, a ponte possibilitará um deslocamento mais rápido ao Porto do Cujupe, com um trecho de 32 km a menos para ligação com a MA-106. Assim, moradores de Bequimão, Central do Maranhão, Mirinzal, Guimarães, Cedral, Cururupu, Porto Rico, Serrano do Maranhão, Bacuri e Apicum-Açu poderão fazer o trajeto até São Luís se deslocando 125 km.


Governo do Maranhão entrega primeira fase da obra no Terminal do Cujupe

foto-2-emap-governo-do-maranhao-entrega-1a-fase-de-obra-no-cujupe-1024x683O Governo do Estado fez a entrega simbólica das passarelas do Terminal do Cujupe (Alcântara), nesta terça-feira (20), importante ponto na rota de ligação entre a Ilha de São Luís e a região da Baixada Maranhense. A solenidade teve a presença do presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Ted Lago, acompanhado de equipe técnica da empresa.

A obra integra a primeira etapa do projeto de melhorias do terminal, que prevê a construção de uma nova estrutura para embarque multimodal de passageiros, beneficiando o transporte aquaviário e o rodoviário. A ordem de serviço para o início da segunda etapa, que vai erguer um novo terminal, deve ser assinada em janeiro do próximo ano.

“Inauguramos a nova estrutura de embarque e desembarque, que é uma demanda antiga, e marca a primeira fase das obras de implantação do novo Terminal do Cujupe. Antecipamos as passarelas para que a população possa aproveitar o recesso do fim de ano protegida da chuva”, afirmou Ted Lago após descerrar a fita.foto-1-emap-governo-do-maranhao-entrega-1a-fase-de-obra-no-cujupe-1024x683

O presidente da Emap destacou que desde o início do mandato do governador Flávio Dino está sendo realizado um intenso trabalho para garantir a melhoria do atendimento a todos os usuários desse serviço e ações para o desenvolvimento do estado com justiça social. “Depois de concluída a obra, o Cujupe terá sua capacidade de operação dobrada, o que representa um novo momento para a população da Baixada Maranhense, gerando mais negócios, mais investimentos e mais desenvolvimento para essa região tão importante”, declarou.

Segundo Antonio Dionísio, presidente da Associação dos Vendedores Ambulantes do Terminal do Cujupe, as novas passarelas trouxeram benefícios mesmo antes de ficarem prontas. “Nós conseguimos empregar 28 pessoas da comunidade na obra, o que já foi uma grande ajuda para nossa gente aqui da comunidade. A gente também olha o lado dos passageiros, que agora têm um aconchego bacana e não vão se molhar na chuva”, disse.

Jorgeane Almeida de Sousa, moradora da Baixada Maranhense, faz a travessia entre a Ponta da Espera e o Cujupe com frequência. “Foi muito bom essa passarela aqui, pois antes a gente ficava na correria fugindo do sol ou da chuva. Hoje temos uma coisa boa, que melhorou a vida da gente. Gostei muito, mesmo”, comentou.

Mão-de-obra local

A primeira fase do plano de transformação do Terminal do Cujupe (instalação de 365 metros de área coberta linear) foi realizada com o objetivo de proteger os usuários das intempéries, ampliando o serviço de atendimento ao público. As passarelas são duplicadas, de modo a contemplar embarque e desembarque simultâneos. Estão localizadas nas rampas Norte e Sul do terminal.

O projeto foi elaborado pela equipe de Engenharia da Emap, com piso de concreto, estrutura metálica e iluminação interna. Com investimento de R$ 1.186.000,00 de recursos próprios. Para a rampa norte, foi aproveitada a estrutura anterior, que foi adaptada ao novo projeto, sendo incluídas novas estruturas metálicas e cobertura, sistema elétrico e aterramento. Já na rampa Sul, foi construída toda uma nova estrutura.

A obra do Cujupe gerou 51 empregos diretos e 15 indiretos para a comunidade do entorno do terminal. Além disso, a empresa responsável pela obra capacitou 27 pessoas, com a qualificação técnica 11 foram contratados, implicando na assinatura da carteira de trabalho.


Diplomados prefeito, vice, vereadores e suplentes de Bequimão

img_3339A Justiça Eleitoral diplomou ontem o prefeito Zé Martins (PMDB), vereadores Fredson (PCdoB), Raquel (PSDB), Danilo (PDT), Thiago Almeida (PRTB), Valdenor (PMDB), Vetinho (PMDB), Amarildo (PSD), Jorge Filho (PP), Valmir (PP), professor Zeca (PRB), Vadico do Areal (PV), vice-prefeito Magal (PT) e suplentes de vereadores eleitos nas eleições de 2016 do município de Bequimão.img_3343

A solenidade foi presidida pela juíza eleitoral Tereza Cristina. A mesa ainda foi composta por autoridade estaduais e municipais. O presidente da OAB seccional Pinheiro, comandante do Corpo de Bombeiros, presidentes das Câmaras de Bequimão e Pinheiro, representante do Ministério Público Estadual, comandante da PM, deputado estadual Zé Inácio (PT) e prefeito de Bequimão.