Bequimão beneficiado pelo Programa ‘Mais Médicos’

Foto 1_Divulgação_SES_30012017 - Maranhão recebe 93 profissionais pelo Programa ‘Mais Médicos’O Governo do Estado recebeu os médicos cubanos que passarão a integrar as equipes de Estratégia Saúde da Família (ESF) em 46 municípios maranhenses. No sábado (28), 93 profissionais de saúde desembarcaram no Aeroporto Marechal Hugo da Cunha Machado, em São Luís. O objetivo é reforçar as ações desenvolvidas na atenção básica. Bequimão é um dos municípios beneficiados.

A chefe do Departamento de Atenção à Saúde da Família da SES, Ana Carolina Fernandes, considera fundamental a inserção destes profissionais no estado. “Em três anos de programa, o Maranhão aumentou a cobertura de ESF, com equipe multiprofissional completa. São médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários assegurando serviço básico de saúde nos lugares mais distantes, com acessibilidade difícil”, ressalta.

Entre os 93 profissionais, a médica cubana Anielys Laffita Marzan, de 32 anos, revela que se inscreveu no ‘Mais Médicos’ por entender a importância da assistência médica na rede pública. “Estamos felizes por servir ao povo brasileiro com nosso conhecimento em saúde. O que queremos é garantir atendimento médico de qualidade aos mais pobres, essa é a satisfação que temos quando nos inscrevemos neste programa”, revela.

No total, 687 médicos atuam no Maranhão por meio do Programa ‘Mais Médicos’, contribuindo, diretamente, para reforçar as ações de promoção da saúde pública.

‘Mais Médicos’ Brasileiros

O Governo Federal divulgou que o novo edital do Programa apresentou maior adesão dos médicos brasileiros. Na primeira chamada dos inscritos, que prioriza candidatos com CRM do Brasil, o Maranhão preencheu 100% das vagas, todas as 58 ofertadas. A lotação dos profissionais é para as cidades de Alto Alegre do Maranhão, Anajatuba, Anapurus, Arari, Bacabal, Bequimão, Buriticupu, Carolina, Caxias, Codó, Imperatriz, Lagoa Grande do Maranhão, Matinha, Parnarama, Pinheiro, Porto Rico do Maranhão, Rosário, Santo Antônio dos Lopes, São Bento, São José de Ribamar, São Luís, São Raimundo das Mangabeiras, Tasso Fragoso, Vila Nova dos Martírios e Zé Doca.

A validação dos inscritos ocorre até o dia 31 de janeiro e os médicos brasileiros selecionados iniciarão as atividades nas unidades básicas a partir do dia 1° de fevereiro. A homologação dos profissionais, com confirmação de início das atividades, deve ser realizada pelas prefeituras entre os dias 1° e 3 de fevereiro.


Alunos do Iema Vocacional Bequimão participam de aulas práticas

 

 


Muros da intolerância, pontes de solidariedade

Por Flávio Dino

14051686_609360229224754_5087275829257628374_nTodos estamos destinados a viver em sociedade, compartilhando os mesmos bens que a natureza nos oferece. E também comungando os mesmos desafios humanos: doenças, desemprego, desigualdade, injustiças. Portanto, temos o dever de encontrar soluções coletivas que melhorem o nível de vida de todos, garantindo um futuro de mais oportunidades a nós mesmos e às gerações futuras.

No entanto, vivemos um momento da história em que alguns falsos profetas vendem a possibilidade de saídas individualistas. Soluções que contemplem apenas parte da sociedade apta a ‘se virar sozinha’, deixando à míngua a imensa maioria da sociedade, que não tem o mesmo ponto de partida em oportunidades. São profetas que semeiam em meio a um momento de desilusão da sociedade. Desânimo justificado pela imensidão de desafios coletivos que ainda temos a enfrentar. No entanto, essa pregação não busca nenhuma verdadeira salvação para todos. Apenas quer solidificar seus castelos de prosperidade, jardins cercados que isolam a maioria da sociedade para fora de muros. Esses aventureiros sempre existiram na história, mas nunca com resultados exitosos. E ao longo dos tempos já vestiram várias roupas: o ditador carismático; o gestor técnico; o antipolítico; o soldado da lei; entre outros disfarces que os defensores de privilégios costumam usar.

O Papa Francisco esta semana nos lembrou que, “em momentos de crise, o discernimento não funciona”. E buscamos “um salvador que nos devolva a identidade e defenda-nos com arames farpados”. Penso nessas palavras do Santo Padre quando vejo a notícia do absurdo projeto de construção de um muro na fronteira dos Estados Unidos com o México. Como se isolando uns cidadãos de outros, a vida destes pudesse prosperar mais. Ideia em consonância com a recente saída do Reino Unido da União Europeia, que mostra um certo espírito de época, com o crescimento aqui e ali de posições de cunho fascista.

No Brasil, não é diferente e também vivemos um momento semelhante. As instituições estão com sua credibilidade destroçada, enquanto empresas e empregos desaparecem, a fim de atender altos interesses econômicos. Vemos uma minoria que pensa ser possível evoluirmos sem um debate democrático sobre nosso futuro. E convivemos com ´especialistas´ que acham que o Brasil pode resolver a grave crise econômica que vive com um ‘salve-se quem puder’, deixando à própria sorte milhões de brasileiros. Tudo isso tem alimentado ódio, muito ódio, que grita nas caixas de comentários de sites ou nas redes sociais.

Felizmente, essas pulsões autoritárias e egoístas têm sido efêmeras. Perseveraram na história da Humanidade os grandes avanços sociais de períodos em que se apostou na solidariedade. É o caso da Era de Ouro do pós-guerra, em que foram criados e multiplicados muitos instrumentos sociais de solidariedade existentes hoje, como a Previdência Social e os sistemas públicos de saúde.

Não tenho dúvida de que o Brasil vai reencontrar seu caminho de desenvolvimento e paz. E no Maranhão seguimos a nossa luta com muita fé e otimismo, pois os resultados aí estão. Adultos sendo alfabetizados; crianças e jovens estudando em escolas melhores e recebendo material escolar via Bolsa Escola; restaurantes populares sendo abertos; mais portas se abrindo na saúde; agricultores familiares recebendo inédito apoio, entre tantas conquistas derivadas de uma firme e autêntica opção pela Justiça Social. Por isso, tenho convicção de que vamos atravessar esses tempos sombrios no planeta. Servirão para tornar mais profundo na memória coletiva o valor milenar do humanismo.

Lembro novamente do Papa Francisco alertando sobre os falsos profetas que, “diante da necessidade da multidão”, pregam “o cada um por si”. O papa lembra que o princípio cristão, como o de outras religiões, é o da solidariedade. Tanto que um dos últimos ensinamentos de Jesus, na Santa Ceia, foi “Fazei isto em memória de mim” (Coríntios 11:24). Indicando que a melhor forma de vivenciá-Lo é comungar, partilhar, solidarizar-se. Que assim seja.


Bolsa Escola beneficia cerca de 120 mil crianças na Baixada Maranhense

foto4_gilsonteixeira_120816-governador-entrega-cras-em-bacabeira-e-sao-luis-360x240“O programa está sendo muito bom”, falou a lavradora Antonia Oliveira, beneficiária do Bolsa Escola em Pinheiro, um dos 21 municípios da Baixada Maranhense, para onde o Governo do Maranhão destinou R$ 5,9 milhões, em benefício de cerca de 120 mil crianças atendidas pelo programa de transferência de renda para a compra de material escolar.

Pinheiro é a cidade com maior número de beneficiários da Baixada, com mais de 13 mil alunos da rede pública atendidos, através de investimentos de quase R$ 700 mil. O programa estadual está garantindo dignidade aos estudantes de famílias carentes, além disso, como a compra do material escolar é feita em estabelecimentos locais, a economia é aquecida.

A pescadora Maria de Jesus dos Santos, que também mora em Pinheiro, é só elogios para o programa. “Consigo comprar todo o material escolar da minha filha. Antes eu tinha que tirar do meu bolso para comprar as coisas dela, e agora já tem essa facilidade de comprar tudo no cartão. Ficou melhor para a gente”, informou Maria de Jesus, que recebe o benefício pela filha Evelin Mariane Sousa, de 9 anos.

Para a pescadora, o reajuste de 12,5% no valor do Bolsa Escola veio em boa hora, elevando o benefício para R$ 51 para as compras deste ano letivo. “Gostei bastante do reajuste, deu para comprar mais coisas para minha filha esse ano”, declarou.

Com a grande quantia de beneficiários do Bolsa Escola em Pinheiro, a rede de estabelecimentos credenciada ao programa comemora o aquecimento das vendas. Francisco Carlos Cavalcante Abreu, proprietário da Livraria e Papelaria Brasil Escolar, é um deles.

“A gente está vendendo bastante pelo Bolsa Escola, estamos bastante satisfeitos com o programa. Como esse ano o crédito saiu mais cedo, a gente pode dizer que a melhoria na venda é alta, de 50%”, falou o comerciante.

Segundo Francisco Carlos, o aumento no valor do benefício foi bem recebido pela clientela. “Eles são muito satisfeitos com o programa e com o reajuste também, o aumento do valor sempre é satisfatório”, comentou.

Outros municípios

Em Viana, a segunda cidade da região em número de beneficiários, com mais de 10 mil crianças atendidas, por meio de investimentos de mais de R$ 500 mil, a economia local foi aquecida. “Nesses primeiros dias de venda já houve melhora, um aumento de 10%”, disse Firmino Lopes Cutrim, proprietário do Arte Vendas Distribuidora, que no ano passado registrou crescimento de 30% na comercialização de material escolar.

O terceiro município da Baixada Maranhense em quantidade de crianças atendidas pelo programa é Monção, com mais de 8 mil beneficiários e investimentos que superam a marca dos R$ 400 mil. Para Mailson Muniz da Silva, dono da Papelaria Ágape, o aumento das vendas, somente no ano passado, foi de 50%.

“Esse ano, a nossa expectativa é para superar os 50% de aumento nas vendas registradas no ano passado”, falou o comerciante, que viu no reajuste do benefício uma oportunidade para continuar lucrando, apesar da concorrência acirrada, com aumento de estabelecimentos habilitados para a venda pelo Bolsa Escola este ano. “Teve um reajuste e o beneficiário está gostando bastante, porque o poder de compra aumentou, passou de 46 para 51. Vejo nesse programa um marco para a educação do Maranhão daqui para frente”, elogiou Mailson.


Abertas matrículas para centro de educação integral em Alcântara

IMG_3689As matrículas para os alunos interessados em uma vaga no primeiro ano do Ensino Médio em um dos 11 Centros de Educação Integral no Maranhão, criado pelo governador Flávio Dino, começaram na segunda-feira, 16, e prosseguem até 27 de janeiro. Poderão ser realizadas nas próprias escolas. O município de Alcântara é um dos beneficiados com um dos centros de educação integral no C.E. Professor Aquiles Batista Vieira.

Nos Centros de Educação Integral, o período letivo diário dos estudantes terá duração de 7h50, de segunda a sexta-feira, totalizando 37,5 horas/aulas semanais. Os alunos terão uma integração entre as disciplinas do ensino regular (como Português, Matemática e História) com disciplinas eletivas (como Robótica, Protagonismo Juvenil, Iniciação Científica, Futsal, Handebol e Dança), que serão definidas a partir de uma seleção de temas escolhidos por estudantes e professores.

‘Educa Mais’, como serão chamados os Centros de Educação Integral, consistem em um novo modelo de escola pública, que visa o desenvolvimento dos estudantes nas dimensões intelectual, social, cultural, física e emocional por meio de ações integradas e em tempo integral. Envolvem setores que influenciam diretamente a formação plena dos estudantes como família, educadores, gestores e comunidades locais. São ofertadas cinco mil vagas nos 11 Centros na capital e no interior, sendo 1.960 vagas para o 1º ano do Ensino Médio e 3040 vagas para os 2º e 3º anos.

Para fazer a matrícula no 1º ano da Educação Integral, o estudante deve ter concluído ou está concluindo o 9º ano do ensino fundamental em escolas regulamentadas das redes federal, estadual, municipal ou privadas. Os estudantes que residem mais próximos das referidas escolas ou que sejam oriundos de uma escola mais próxima, terão prioridade.

Para se matricular, os estudantes, acompanhados do responsável, devem comparecer à escola onde funcionará o centro, munido com original e cópia dos seguintes documentos: Histórico Escolar ou Declaração de escolaridade da última Unidade de Ensino em que estudou; duas fotos 3 X 4 recentes; Certidão de Nascimento/Casamento ou RG com CPF do estudante, se possuir; RG e CPF do responsável legal, no caso de estudante menor de 18 anos; Laudo comprobatório de deficiências declaradas (se for o caso); fatura da concessionária de energia elétrica atualizada (máximo de três meses). Quando a fatura não estiver em nome do responsável pelo estudante, apresentar, conjuntamente, outro comprovante de endereço em nome da mãe/pai/responsável pelo estudante.

Para os 2º e 3º anos, a rematrícula será automática para os alunos da casa. As vagas excedentes serão preenchidas com alunos externos, obedecendo ao critério de proximidade da escola. “Aquele aluno que estiver estudando na escola, que agora vai funcionar como centro de educação integral, e não tiver o interesse de cursar o ensino médio integral, deve procurar outra escola da rede estadual mais próxima”, destacou a secretária Adjunta de Ensino da Seduc, Nádia Dutra.

Confira os Centros de Educação Integral com matrículas abertas:

São Luís – Almirante Tamandaré (Cohab); Professora Maria Mônica Vale (Vinhais); Dorilene Silva Castro (Coroadinho); Professora Margarida Pires Leal (Alemanha); Joana Batista (Cidade Olímpica), e CAIC Barjonas Lobão (Cidade Operária).

Alcântara – C.E. Professor Aquiles Batista Vieira;

Santa Inês – C.E. Poeta Antônio José;

São José de Ribamar – CAIC São José de Ribamar;

São Bento – C.E. Kiola Costa, no município;

Timon – C.E. Jacira de Oliveira e Silva.


Populismo cosmético x desigualdade

untitledROBSON PAZ

É inacreditável! O prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), eleito na onda da “antipolítica”, anunciou semana passada corte de gastos em programas sociais, que garantem leite, transporte, material e uniforme escolar para alunos de baixa renda.

A prefeitura da capital do estado mais rico do país, vai suspender o programa que assegura a todos os alunos do infantil ao fundamental 2 kg de leite a cada dois meses. Material escolar e uniforme entregues aos estudantes dos ensinos infantil, fundamental e médio, além da gratuidade no transporte também devem ser extintos ou reduzidos.

Mas, isto não é tudo. O midiático prefeito fez outro anúncio. Vai distribuir sabonetes, escovas de dente, creme dental, xampus e desodorantes para a população de rua, que busca os abrigos da prefeitura para dormir. Um acinte!

Ontem, relatório divulgado pela Organização Não Governamental OXFAM mostrou que a desigualdade aumentou em 2016. Apenas oito empresários mais ricos do mundo detêm a mesma riqueza que 3,6 bilhões de pessoas mais pobres. O estudo mostra também que até na crise econômica os empresários lucram porque pagam menos impostos, reduzem salários e usam o poder para influenciar políticos. Enquanto isso, um em cada nove pessoas no mundo dorme com fome.

Na contramão, Doria retira direitos e substitui políticas inclusivas por uma espécie de banho de loja, perfumaria aos moradores de rua. Pior ainda é a justificativa do alcaide paulistano: “valorizar a autoestima e dar tratamento humanitário a essas pessoas”. Sem comentários!

Ah, os produtos que financiarão o populismo cosmético serão doados pela Unilever. Talvez seguindo os passos do tucano, a empresa também esteja em busca de marketing.

Por aqui, as sementes da mudança dão bons frutos e o governador Flávio Dino faz o oposto. Amplia programas sociais como o Bolsa Escola. Este ano, o benefício que garante recursos para aquisição de material escolar, para crianças e adolescentes de baixa renda matriculados na rede pública de ensino, contempla mais de 1 milhão de alunos. Estímulo à educação e dignidade de alunos, que tinham dificuldades de comprar caderno, lápis, caneta, borracha, mochila, sapatos.

Ainda este ano, centenas de milhares de alunos da rede estadual de ensino receberão uniforme escolar gratuitamente.

Os restaurantes populares também de grande alcance social foram ampliados pelo governo atual em mais de 100%. Pela primeira vez oferecem alimentação saudável ao valor simbólico de dois reais para a população do interior do Estado. Todas as regiões estão sendo beneficiadas.

É assim, com responsabilidade, criatividade, ousadia e sensibilidade social que o Maranhão vence a crise. A mudança de práticas na política tem legado resultados dignos de registro na mídia nacional, como o maior salário do país pago aos professores; as praias mais limpas do Brasil; a reestruturação do sistema prisional; segundo melhor desempenho entre os estados brasileiros na execução do plano de governo. Ações que concorrem para reduzir desigualdades e construir um Maranhão melhor com oportunidades para todos, de verdade. Sem populismo ou maquiagens.

Radialista, jornalista. Subsecretário de Comunicação Social e Assuntos Políticos


Trânsito na regional de Pinheiro tem segurança reforçada

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

O Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA), por meio da Coordenação de Educação para o Trânsito, realizou de 11 a 14 deste mês, ações do Projeto ‘Férias em Trânsito: Se vale a diversão, vale mais a segurança’, na região da 8ª Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) de Pinheiro, na Baixada Maranhense. As atividades educativas buscaram conscientizar condutores de veículos e população sobre a importância para um trânsito mais seguro nas ruas e estradas.

Durante quatro dias, a equipe do Detran, em parceria com a Companhia de Polícia Militar Rodoviária Independente (CPRV Ind) e educadores da 8ª Ciretran montaram blitzen educativas e fiscalizatórias nos pontos mais movimentados das cidades de Pinheiro, Santa Helena, Mirinzal e Cururupu. A equipe de educadores distribuiu materiais informativos com dicas de segurança para condutores, passageiros e pedestres.

Em Pinheiro, na sexta-feira (13), em diversos bares da cidade foram realizadas atividades do projeto ‘Direção Certa: Mais que um papo de bar’, que tem como objetivo conscientizar as pessoas para o perigo de dirigir após o consumo de bebidas alcoólicas. Dezenas de pessoas foram convidadas para fazer o teste do etilômetro, demonstrando, na prática, se já haviam ultrapassado o limite de tolerância determinado pela Lei Seca. Após o teste, todos tiravam suas dúvidas com os educadores e recebiam a recomendação sobre não beber quando for dirigir.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

A enfermeira Maria Antonia Vieira disse ter ficado impressionada com o resultado do teste do bafômetro. “Achei muito importante todos os esclarecimentos. Agora entendo como funciona o teste e como a infração é aplicada”, disse.

Segundo o capitão da CPRV Ind, Alejandro Jaldin, coordenador da operação, as abordagens nos bares servem para esclarecer dúvidas sobre a Lei Seca, além de orientar o condutor a se proteger da grave infração. “Sensibilizamos as pessoas para uma mudança de atitude, explicando que um copo de bebida alcoólica pode ser suficiente para alterar sua capacidade motora e influenciá-los em acidentes no trânsito”, ressaltou.

O chefe da 8ª Ciretran, Gabriel Soares, afirmou que a campanha do Detran foi muito positiva para conscientizar os condutores de veículos sobre a necessidade de uma conduta responsável no trânsito.

Lei Seca

A ação do Detran nos municípios visitados, também, teve caráter fiscalizatório por meio da Companhia de Polícia Militar Rodoviária Independente (CPRV Ind.) na checagem de documentos obrigatórios de veículos e de motoristas, de equipamentos de segurança e do teste do etilômetro.

Foram realizadas blitzen nas principais avenidas de Santa Helena, Mirinzal, Cururupu e Pinheiro. Durante os quatro dias de fiscalização foram lavrados 188 autos de infração eletrônicos e realizados oito testes do etilômetro. No total, foram abordados 457 motoristas, sendo 258 de motocicletas e 74 de carros e recolhidos 12 documentos de usuários e de veículos, entre Carteiras Nacionais de Habilitação (CNH) e Certificados de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV). Foram removidos 99 veículos, sendo cinco carros e 94 motocicletas. Entre os veículos, 60 não estavam licenciados, 23 sem placa e 15 não registrados. A ação detectou a presença de 72 condutores não habilitados.


Governo inicia atividades do projeto de cultivo de sururu em Bequimão

Foto 1_Divulgação_Sagrima_16012017 - Projeto de cultivo de sururu em Bequimão inicia atividadesComo parte das ações voltadas para o desenvolvimento da aquicultura no estado, o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) iniciou as atividades do módulo experimental para cultivo de sururu, no município de Bequimão, povoado de Paricatiua.

O primeiro povoamento de sementes aconteceu neste fim de semana, com acompanhamento de técnicos da Sagrima, além de pesquisadores da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e da prefeitura do município. Mais de 30 habitantes do povoado já foram capacitados no manejo e cultivo de moluscos e agora tem na atividade mais uma fonte de renda.

O sistema aplicado é o longline (linha longa), onde uma corda sustenta o sururu em cultivo. No projeto de Bequimão, o longline possui em torno de 70 metros e produzirá cerca de 100kg de sururu por ciclo, onde cada ciclo tem duração de quatro meses.

“A gente tinha uma grande expectativa com esse projeto, porque sempre vimos que tinha potencial para a produção, mas faltava o suporte. O empenho da equipe da Sagrima em dar assistência e fornecer os equipamentos foi mais até do que a gente esperava. Agora, já queremos produzir em escala para ser nossa fonte de renda”, disse Odoriel Barata, presidente do Sindicato dos Pescadores Profissionais Artesanais, Aquicultores, Marisqueiros e Trabalhadores da Pesca do município de Bequimão-MA.Foto 2_Divulgação_Sagrima_16012017 - Projeto de cultivo de sururu em Bequimão inicia atividades

O objetivo do projeto é já ter produção em escala comercial, como o que já acontece com o cultivo de ostras em Humberto de Campos, cujos produtos chegaram aos supermercados pela primeira vez em 2016. Esse projeto, por sua vez, será ampliado para Icatu e Primeira Cruz ainda este ano.

Para o secretário da Sagrima, Márcio Honaiser, o cultivo de sururu no estado tem grande potencial de crescimento. “Esse projeto será um importante complemento à renda de marisqueiros e pescadores do estado, dando a eles, inclusive, a possibilidade de inserção num mercado formal, abrangendo não somente o mercado maranhense, como outras regiões do país, já que é alta a demanda por esses mariscos”, explica.


Equilíbrio fiscal em meio à crise

untitledROBSON PAZ

Contrariando previsões pessimistas, o Maranhão terminou 2016 equilibrado economicamente, com importantes investimentos e resultados. Trabalho que recebeu o reconhecimento do Tesouro Nacional. Avaliação que conceitua como boa a situação fiscal e médio risco de crédito do Estado. Trocando em miúdos, o Estado fechou o ano passado com as contas em dia e crédito na praça. Exemplo concreto: cerca de R$ 800 milhões investidos no pagamento dos salários de novembro, dezembro e 13º dos mais de 110 mil servidores ativos e inativos do Estado. Um feito notável!

A regra no país foi a quebradeira da maioria dos estados. Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio Grande do Norte são a face mais visível e extrema da crise. Servidores com salários e 13º em atraso ou com pagamentos escalonados.

Mas, até obter nota B na avaliação do Ministério da Fazenda, o Maranhão percorreu longa estrada. Basta lembrar o caos das contas públicas em janeiro de 2015. Naquele momento, o governo tinha R$ 24 milhões em caixa e dívida de R$ 1,3 bilhão. Somente na área da saúde o endividamento ultrapassou a marca dos R$ 180 milhões.

Parte da dívida externa do Estado contraída junto ao Bank Of América com pagamento semestral teria a primeira parcela de R$ 120 milhões vencida no início daquele ano. Só em 2016, o governo do Estado pagou cerca de R$ 900 milhões em dívidas interna e externa. A maior parte referente aos empréstimos contraídos no governo anterior junto ao Bank Of América e ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Social).

Para além das dívidas, o Estado sofreu com a corrupção no passado constatada em investigações conduzidas pela Polícia Federal e pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas) do Ministério Público Estadual. Foram constatados desvios que totalizam R$ 2 bilhões. Um bilhão na saúde. Outro na fazenda.

A crise econômica do país teve grande impacto nas receitas do governo. A queda nas transferências constitucionais, este ano, totalizou R$ 1,3 bilhão. Tudo somado, temos um total de R$ 4,6 bilhões em perdas. São recursos essenciais para qualquer estado. Sobretudo, para uma das mais pobres unidades da federação e num ambiente de aguda crise.

Adversidades que tornam ainda mais relevante os feitos conquistados pelo governador Flávio Dino nesta primeira metade do mandato. Além de conseguir sanear o Estado adotando uma política anticíclica, que prioriza investimentos e garantia de serviços públicos e direitos à população, fechou o ano como o segundo mais eficiente governo do país, conforme levantamento do portal de notícias G1 sobre o cumprimento das propostas apresentadas nos programas de governo.

Trabalho reconhecido também pela maioria dos maranhenses que aprova o governo. Exatos 61% da população. Para este 2017, mais investimentos em obras e programas sociais estão assegurados. A despeito das previsões ainda sombrias para a economia do país neste primeiro semestre, o Maranhão tem bons motivos para acreditar num ano melhor.

Radialista, jornalista. Subsecretário de Comunicação Social e Assuntos Políticos