Educação para mudar a história do Maranhão

Por Flávio Dino

Flavio Dino - professorEsta semana que passou anunciei o novo piso salarial para professores da rede pública, que passa a ser de R$ 5.750,83 para a jornada de 40 horas semanais. Com isso, chegamos a mais de 30% de recomposição salarial nos meus 3 anos de governo, fazendo do professor maranhense o mais bem pago do país.

Fazer essa decisão tornar-se possível exige esforço fiscal. Principalmente neste momento em que o país está mergulhado em uma das maiores crises econômicas de sua história. Tenho convicção de que esse esforço vale a pena.

Comungo da ideia de que a Educação é a única forma de enfrentarmos o maior problema do Brasil, que é a desigualdade: poucos com muito e muitos com quase nada. E é exatamente a Educação o único investimento capaz de desenvolver nosso Estado de forma sustentável e justa. Faço questão de transformar essa convicção, que é prioridade no campo das ideias, em prática.

Infelizmente, muitas vezes, a educação só é tratada como prioridade da boca para fora. No Maranhão, vimos os resultados: escolas de taipa, de barro e os piores índices educacionais do país.

Para mudar essa realidade, criamos o Escola Digna, que é o programa mais corajoso da história de nosso estado. Com ele, já entregamos mais de 700 novas escolas, construídas e reconstruídas. Também estamos investindo em transporte escolar com a entrega de mais de 80 ônibus para apoiar o trabalho das prefeituras e com o Programa Estadual de Apoio ao Transporte Escolar (PEATE). E também entregamos mais de 700 mil uniformes para nossos alunos.

A qualificação do corpo docente é uma meta, sendo oferecido cursos para mais de 50 mil professores. Portanto, o Escola Digna é um programa completo, que visa investir na Educação de forma plena.

Temos também o Bolsa Escola, que pelo terceiro ano garante a compra de material escolar para mais de 1 milhão de alunos. Foram investidos até agora R$ 150 milhões somente neste programa, estimulando também a economia e o emprego em mais de 1.000 estabelecimentos comerciais que vendem o material.

Menciono a criação de uma rede inédita de educação em tempo integral. Ainda este ano, serão mais de 40 escolas desse tipo funcionando, incluindo os IEMAs, que garantem o ensino profissionalizante no Maranhão.

O Aulão do Enem, o Cidadão do Mundo, o programa Mais Estágio e nossos programas de alfabetização fazem parte da revolução que estamos fazendo na Educação do Maranhão.

Os resultados já estão sendo colhidos. Entre 2013 e 2015, a nota do Maranhão no Ideb – o principal indicador da educação básica no país – aumentou 11%. E neste ano vamos aumentar ainda mais a nota.

Os professores são parceiros primordiais nessa batalha para mudar o Maranhão. Mas essa é uma missão de todos nós que acreditamos que o nosso estado deve estar entre os primeiros do país. Para lá estamos caminhando.

Advogado, 49 anos, Governador do Maranhão. Foi presidente da Embratur, deputado federal e juiz federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *