Bira do Pindaré enquadra Edilázio: “Só se elege na caneta da Juíza”

Do Blog Marrapá

Sem moral e mimado, o deputado estadual Edilázio Junior (PV), em mais um ataque contra o governador Flávio Dino (PC), protagonizou na manhã desta terça-feira (22) um verdadeiro barraco no Plenário da Assembleia Legislativa. Desta vez, contra o também deputado estadual Bira do Pindaré (PSB), que, ao rebater as ofensas do genro da desembargadora Nelma Sarney, afirmou que ele (Edilázio) não tem moral e se elege na caneta da Juíza.

Tudo começou quando o defensor da oligarquia Sarney na Assembleia subia à tribuna para falar da pré-candidatura de Roseana Sarney (MDB) à governadora do Estado. Conhecido como uma das viúvas da Oligarquia, o parlamentar achou pouco tecer elogios ao grupo que faz parte e partiu para o discurso desqualificado de ataques ao Governo do Estado. Não deu outra, foi enquadrado pelos deputados Marco Aurélio (PCdoB) e Bira do Pindaré (PSB).

“Ela que já foi quatro vezes governadora do Estado e eu considero realmente importante, que ela seja candidata. Não tem candidatura melhor para enfrentar nesse momento do que a dela, para que a gente possa realmente fazer essa comparação do que era o Maranhão sob a sua gestão em quatro mandatos e do que é agora em três anos e meio com o governador Flávio Dino (PCdoB). Nós vamos ter oportunidade de comparar em todas as áreas, educação, saúde, segurança pública, infraestrutura”, destacou o deputado Bira.

O socialista lembrou que a Mirante, afiliada da Rede Globo, mostrou o discurso dela e citou o ‘laranjal’, mas não tocou no nome do governador, que também é pré-candidato. Segundo ele, além do debate político haverá também um enfrentamento ao Império Midiático comandado pela Oligarquia Sarney, grupo ao qual o deputado Edilázio defende e faz parte.

“Foi curioso ouvir a governadora dizer que o Maranhão era orgulho nacional no seu governo. Orgulho nacional? Cabeças decepadas em pedrinha, será que alguém esqueceu disso? Da crise do sistema de segurança do Estado? Do pânico em São Luís, dos ônibus queimados, de pessoas morrendo? De pessoas inocentes sendo mortas aqui na cidade, será que alguém esqueceu disso? Esse é o orgulho nacional?”, questionou.

Ele ainda questionou se orgulho nacional era o caviar, a champanhe, o whisky escocês e a lagosta que faziam parte das farras do Palácio dos Leões na gestão da pré-candidata de Edilázio Junior, a ex-governadora Roseana Sarney.

“Orgulho nacional o Maranhão com os piores indicadores sociais do Brasil depois de 50 anos de oligarquia? Os piores indicadores em todas as pastas que a gente possa imaginar. Educação, saúde, em tudo o Maranhão nas últimas colocações, isso depois de 50 anos de mandonismo, controlando tudo e todas as instituições no Estado do Maranhão e o resultado era essa. Aí ela me vem falar de orgulho nacional? Era uma vergonha nacional e é por isso que o Brasil inteiro torce pelo governador Flávio Dino”, frisou.

Claramente abalado com o discurso de Bira e sem discurso para rebater, Edilázio partiu para ofensas pessoais, desviando o foco da discussão com palavras chulas. Chamou o parlamentar de covarde e tentou desmoralizar o parlamento estadual, que no momento era presidido pelo deputado Zé Inácio Lula da Silva (PT). Nem mesmo os deputados os aliados Max Barros (PMB), César Pires (PV) e Wellington do Curso (PSDB) conseguiram ajudar o genro de Nelma Sarney. O segundo chegou, inclusive a se ausentar do plenário.

Sensato, Bira tombou, mais uma vez, o defensor da Oligarquia na Assembleia Legislativa. Segundo o socialista, o discurso de Edilázio não debate políticas públicas, visa apenas desqualificar os colegas de plenário e fazer ‘queimação’.

“Quero dizer ao deputado Edilázio que eu vou ignorar as palavras ofensivas dele contra minha pessoa, porque não merece resposta. Não tem moral para falar da minha pessoa, é um sujeito que a gente sabe os métodos que usa para conseguir o mandato que tem. A gente sabe. Todo mundo sabe… Só se elege na caneta da Juíza”, ressaltou.

Nervoso e descontrolado, Edilázio partiu para cima de Bira com mais ofensas e ameaças. Foi preciso a segurança da Casa se aproximar para tentar acalmar os ânimos. Quem não lembra, Edilázio é casado com Alina Silva Sarney Costa, que foi nomeada em fevereiro de 2011 para exercer o cargo em comissão (símbolo DNAS) de Assessora Parlamentar na Presidência da Mesa – Diretora da Assembleia na gestão do presidente Arnaldo Melo (PMDB), aliado do genro da desembargadora Nelma Sarney – que é mãe de Alina. Nepotismo cruzado, deputado?

Veja o vídeo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *