O amor vencerá o ódio

Robson PazROBSON PAZ

O Brasil está diante da eleição mais importante da história, desde a redemocratização do país. De um lado, a luz da democracia e do amor. Do outro, a escuridão da intolerância e da barbárie.

No centro, a população dividida. Parte desta, inebriada com pregações de ódio e violência. Não estamos, portanto, diante de simples decisão sobre quem será o presidente pelos próximos quatro anos. Mas, a escolher entre o caminho da dignidade humana, das liberdades individuais e o medievalismo das ‘santas inquisições’.

As recentes pesquisas mostram que há progressivo desencanto com o ‘mito’ da candidatura, que se apresenta como signatária da antipolítica, do combate à corrupção e à violência. Isto porque as práticas mostram o inverso. O representante da extrema direita tem se revelado um político intolerante, enredado em denúncias de corrupção, caixa dois e defensor da violência e da tortura.

A pregação do ódio aos opositores e morte, inclusive de inocentes, estarrece o país e o mundo. Quem em sã consciência seria capaz de utilizar o voto para autorizar um presidente da República a torturar e matar seus semelhantes?

Ainda mais contraditório é tentar associar a violência, misoginia, racismo, homofobia, intolerância, guerra, armamento com a mensagem de amor, da coexistência e da paz deixada por Jesus para a humanidade.

Decerto, o filho de Deus feito homem condenou práticas imorais e a corrupção. É verdade! Contudo, o fez convertendo estes por meio do amor e do perdão. Foi assim com a mulher que seria apedrejada por adultério, com os cobradores de impostos, entre outros tantos exemplos. “Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra. (…) Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais.” Sábias palavras, que ecoam por séculos, milênios.

Jesus não pregou a extinção, mas o respeito aos diferentes. “As pessoas saudáveis não precisam de médico, mas sim os doentes. (…) Pois eu não vim chamar os justos, mas os pecadores.” (Mateus 9:12, 13)

É preciso dizer não à ameaça à democracia no Brasil, aos direitos humanos e às liberdades individuais. Valorizar as famílias é assegurar igualdade de direitos e oportunidade para todos e todas, moradia digna, educação gratuita e com qualidade, acesso à saúde.

O futuro do nosso país depende de cada um de nós. É auspicioso ver que eleitores indecisos e propensos em votar em branco e/ou nulo começam a entender que se omitir do processo é fortalecer os ideais odiosos e intolerantes, que ameaçam a dignidade humana.

Dos mais brilhantes líderes da história, Nelson Mandela afirmou que “ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor da sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar”.

É preciso refletir sobre tudo isto na hora de votar. Não podemos ser cúmplices, nem compactuar com a morte da esperança numa nação melhor e mais justa para esta e as próximas gerações. É o destino de mais de 200 milhões de brasileiros que está em jogo. O amor vencerá o ódio!

Radialista, jornalista, Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM.


Casa de farinha da Vila Nova e canal da produção no Jacioca são vistoriados por equipe de governo

Paz-SAFO secretário Júlio César Mendonça (Agricultura Familiar), a presidente da Agerp, Loroana Santana, secretário adjunto, Robson Paz (Comunicação) e representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) participaram de vistoria técnica nas obras de construção da agroindústria de farinha, no povoado Vila Nova, e no canal da produção em Jacioca, município de Bequimão, nesta terça-feira, 23.

Durante a visita, a equipe do governo Flávio Dino conversou com a população sobre o andamento dos projetos e definiu as próximas ações.

O secretário Júlio Mendonça afirmou que a casa de farinha da Vila Nova receberá os últimos equipamentos e acabamentos e será inaugurada ainda este ano. “A comitiva dialogou com representantes das comunidades para verificar o andamento das obras.”, afirmou Loroana Santana.Domingos-canal Jacioca

No Jacioca, os auxiliares do governo anunciaram que nas próximas semanas será iniciada a segunda etapa do projeto que prevê a implantação de arranjo produtivo no entorno do canal. “O permanente acompanhamento e diálogo com a população demonstra o compromisso do governador Flávio Dino em desenvolver ações que beneficiam a população do nosso município e do Maranhão”, disse Robson Paz.

Vila Nova

A vistoria foi acompanhada pelo vereador Fredson, líderes comunitários, técnicos da Agerp, Iterma, pescadores e pequenos produtores, além do ex-vereador Elanderson.


Em São Luís, Haddad se compromete a reajustar o Bolsa Família em 20% e botijão de gás a R$ 49

haddad-saoluis

Do Viomundo

Haddad se compromete a aumentar o Bolsa Família em 20% e manter o botijão de gás a R$ 49

O candidato do PT à presidência da República, Fernando Haddad, assumiu neste domingo (21/10) dois compromissos para melhorar diretamente a vida da população brasileira, especialmente das famílias mais simples.

Em discurso realizado em São Luís (MA), Haddad afirmou que vai reajustar em 20% o valor do benefício do Bolsa Família a partir de janeiro de 2019 e estabelecer um teto de R$ 49 para o preço do botijão de gás.

O discurso foi realizado após uma caminhada pelo Anil, bairro da periferia da capital maranhense.

Haddad apresentou as propostas ao lado do governador reeleito do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), da presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann, e de sua mulher, Ana Estela.

“Quero dizer para vocês, Bolsa Família em janeiro: 20% de acréscimo. Porque as famílias estão sofrendo muito”, afirmou Haddad.

Ele exemplificou que, para quem hoje possui um benefício de R$ 200, com o aumento de 20%, vai passar a ter um benefício de R$ 240.

A segunda medida, referente ao limite de valor para o gás de cozinha, também deve ser adotada a partir de janeiro e valer para todo o País.


“Manteremos o mesmo ritmo da primeira gestão, para melhorar cada vez mais”, afirma Flávio Dino

O governador Flávio Dino declarou que nos próximos quatro anos será mantido o mesmo ritmo de obras e ações realizadas neste primeiro mandato, incluindo novas nomeações de policiais militares e os avanços na saúde com entrega de policlínicas regionais. O compromisso foi reafirmado durante entrevista concedida para mais de 30 emissoras de rádios do Maranhão, com retransmissão pela Nova 1290 – Rádio Timbira AM.

A vitória expressiva nas eleições 2018, que garantiu a reeleição, foi o tema de abertura da entrevista. Flávio Dino atribuiu o êxito no processo eleitoral ao reconhecimento da população aos resultados das políticas públicas e pela forma séria, correta e responsável de governar. “É uma vitória importante para o nosso estado, mas que tem um alcance nacional e por isso deve ser duplamente comemorada”, reforçou.

Flávio Dino enfatizou que após a eleição manteve a agenda de trabalho com visitas a obras em andamento e anunciou a inauguração de mais unidades do programa Escola Digna já na próxima semana. “A gestão não para. Manteremos o mesmo ritmo da primeira gestão, para melhorar cada vez mais, porque não há milagre, há trabalho”. O governador anunciou ainda modificações na estrutura de governo, sempre tendo como objetivo a continuidade do que está dando certo.

Questionado sobre as avaliações do primeiro governo, Flávio Dino destacou que a referência será o trabalho eficiente que vem sendo promovido, com fins a melhorar ainda mais os dados. O governador citou a Segurança Pública que teve redução dos índices de mortes violentas, resultados estes repercutidos nacionalmente. “Nosso empenho será continuar o processo de ampliação e qualificação das forças de segurança pública. São novos desafios que se estendem por outras políticas públicas importantes”, enfatizou. Ele anunciou que serão realizadas nomeações de policiais do último concurso.

Outra área importante destacada pelo governador foi a Educação, na qual a gestão conseguiu colocar o Maranhão em uma posição de destaque como o terceiro melhor do Nordeste, segundo dados do último Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). “Recebemos a Educação com decréscimo e conseguimos melhorar este dado. Nacionalmente, saímos do 22º lugar para o 13º”, lembrou.

Flávio Dino garantiu a manutenção do programa Escola Digna e das medidas que garantiram maior valorização dos professores, como a realização do concurso público com um dos melhores salários do país; ampliação de jornada para que professores de 20 horas possam passar para 40 horas dobrando sua remuneração; e a unificação de matrícula permitindo que o professor possa ter outro vínculo funcional.

“Sou professor e conheço sala de aula. Sei a importância da infraestrutura educacional para a melhoria da vida do professor. Vamos manter este trabalho sério, sempre respeitando os professores e garantindo as condições de trabalho”, pontuou.

Na Saúde, foi estruturada a rede de hospitais regionais. “O desafio nesta pasta é a manutenção destas unidades e ampliação do acesso às consultas e exames”, pontuou.

O governador citou, ainda, a necessidade de ampliar o financiamento da saúde pública. “Esse é um debate nacional que precisa ser mais discutido”, disse. Atualmente, o Estado recebe R$ 25 milhões mensais do Governo Federal via Sistema Único de Saúde (SUS), sendo que a manutenção da rede de saúde custa R$ 115 milhões.

“Todos os meses, complementamos esse valor com R$ 90 milhões dos cofres do Estado, porque se fôssemos manter apenas com o recurso que chega do Governo Federal, teríamos que fechar unidades. Os municípios passam pela mesma situação. Recebem valores que não pagam a contratação de um médico, muito menos mantém um sistema. Contudo, defendo a manutenção do SUS, que atende aos mais pobres”, argumentou.

Flávio Dino enfatizou que durante décadas o repasse à saúde para o Maranhão tem sido um dos menores do Brasil. “Há algo de errado nisso e cabe à bancada federal melhorar esse cenário para que possamos melhorar o que estamos realizando”, destacou. A implantação de policlínicas regionais é outra medida a ser implantada durante o segundo mandato, que consiste na pactuação da gestão destas unidades. A administração se dará pelo modelo de consórcio com os custos distribuídos entre estado e municípios. O modelo será apresentado em seminário previsto para o mês de novembro.

Plano Mais IDH

O Plano Mais IDH – que realiza medidas para melhorar as condições de vida da população nos 30 municípios com menores índices de desenvolvimento humano – será mantido, afirmou o governador. “É um plano de dimensão estratégica, de médio a longo prazo, e onde está sendo implantado teremos uma sensível elevação do IDH, na próxima avaliação”, garantiu Flávio Dino. Para tanto, a permanência das equipes da Força Estadual de Saúde (Fesma) será intensificada nestas cidades atuando em eixos básicos de acompanhamento à mortalidade infantil e materna, hipertensão, diabetes e hanseníase. A proposta é ampliar o atendimento com equipes volantes para outros municípios que tenham índices baixos.

Eleições do legislativo e presidência

O governador destacou a vitória no Senado com a eleição dos dois nomes ligados à chapa da gestão estadual – Weverton Rocha e Eliziane Gama – e que vão somar forças para que as políticas que favoreçam a população maranhense sejam efetivadas.

“Essas candidaturas derrotaram políticos tradicionais, que eram tidos como imbatíveis e serão muito importantes para obtenção de recursos e projetos para o Maranhão. Da mesma forma, as conquistas na Assembléia Legislativa e Câmara Federal. Com essa nova configuração da bancada acredito que será possível concretizar muitas realizações para o nosso estado. Estou muito feliz e grato ao povo do Maranhão”, pontuou Flávio Dino.

Sobre a composição para o segundo mandato, considerando a contemplação de partidos aliados, o governador pontuou que vai conversar com todas as legendas. “Vamos considerar as indicações dos partidos e pesar não apenas o apoio político. Todos vão participar, como já participam nos vários mecanismos de cooperação a exemplo das emendas parlamentares e parcerias. Não faremos politicagem. Vamos manter a combinação do técnico com o político”, afirmou.

Sobre a eleição presidencial, que será definida no segundo turno, o governador pediu que todos estejam unidos para que esse cenário venha ser favorável à população. “Que todos os maranhenses orem e vigiem. Tem sido difícil governar no meio desta tempestade que pode piorar. Falta clareza e estamos à porta de um segundo turno polarizado de foram inadequada, com muita violência e pouco debate sobre propostas”, enfatizou o governador Flávio Dino.

O governador pontuou que não se deve fugir aos debates e que são importantes para esclarecer a população. “Eu era líder absoluto nas pesquisas, agora em 2018 e também em 2014, e fui aos debates. Mesmo liderando, creio que é um dever como candidato, prestar contas e dizer o que se quer fazer de verdade. Isto não está havendo nesse segundo turno, mas ainda há tempo. É preciso discutir os temas”, declarou.

Durante a entrevista, foram abordadas as obras do Governo Federal que estão paradas no Maranhão. “Qualquer Governo Federal tem o dever de retomar e concluir as obras inacabadas. Assim fizemos quando assumimos. Encontrei obras inconclusas e nos esforçamos para concluir”, afirmou. No conjunto de obras, ele citou estradas, creches, quadras esportivas em escolas, redes coletoras de água e esgoto e outras que tiveram recursos interrompidos pelo Governo Federal. “Obra inconclusa é a mais cara que existe. Se retomamos geramos emprego e renda. Então, é melhor retomar. Essa será a primeira reivindicação que vamos levar ao próximo Governo Federal”, destacou.

Concluindo a entrevista, Flávio Dino reforçou que acredita na força da democracia e no voto popular. “Quando se obtém duas vitórias seguidas no voto popular, nos sentimos grato como estou. Foram duas vitórias de dimensão histórica em nosso Estado. Agradeço aos que participaram de todo esse debate. Não me escondo de debater. Vou às cidades, converso com as pessoas. Quem se esconde é a negação da Democracia. Posso afirmar que nosso segundo governo será melhor que o primeiro, pois estou mais experiente e mais incentivado a tocar o Estado. Conseguimos feitos notáveis e temos um governo respeitado nacionalmente. Faremos aprimoramentos e vamos continuar este trabalho estabelecido e que a população reconhece”, afirmou.

Pool de rádios

Na lista de emissoras participantes da transmissão nesta segunda-feira estiveram as rádios Educadora, Cidadania FM e Jovem Pam (São Luís), Cultura FM (Lago da Pedra), Cultura FM (Chapadinha), Sucesso (Santa Helena), Sertão FM (São João dos Patos), Unida FM (Vargem Grande), Rádio Verde (São Bernardo), Tropical FM (Santa Luzia do Parúa), Redenção FM (Olho d’Água das Cunhãs), Jangada FM, Difusora FM (Zé Doca), Jangada FM (Godofredo Viana), Cidade FM (Bacabal), Liderança FM (Barão de Grajaú), Educativa FM (Coroatá), Verdes Mares FM (São José de Ribamar), Difusora Sul FM (Imperatriz), Cultura FM (Paço do Lumiar), Cidade FM (Pedreiras), Cidade FM (Itaipava do Grajaú), dentre outras.


VÍDEO | Flávio Dino pede mudança de agenda na campanha para derrotar Bolsonaro

Da Revista Fórum

Em entrevista exclusiva em vídeo ao editor da Fórum, Renato Rovai, o governador reeleito do Maranhão pede uma disputa urgente pela mudança de pautas e quer o tema da segurança como central na campanha de Haddad.

O governador do Maranhão esteve em São Paulo para uma reunião do comando da campanha de Fernando Haddad e concedeu entrevista exclusiva ao editor da Fórum, Renato Rovai.

O vídeo que segue tem aproximadamente 20 minutos e nele Dino diz como enfrentou as fake news da família Sarney e aponta que a questão da segurança foi fundamental para Haddad perder em várias capitais do Nordeste.

Ele avalia que apenas com propostas relacionadas a programas sociais o campo progressista perderá este debate.
E ainda alerta que há uma clara tentativa de Bolsonaro em comandar a agenda dos debates da campanha trazendo à tona apenas questões de ordem moral. E que no primeiro turno a campanha de Haddad não conseguiu escapar disso.

Na avaliação de Dino, que além de se reeleger fez os dois senadores e aproximadamente 2/3 dos deputados federais e estaduais, se não escapar desta armadilha, o campo progressista será derrotado. “Quem pauta a campanha ganha a eleição”, afirmou. Assista ao vídeo.


Em Bequimão, Roberto Rocha não se elegeria nem a vereador

Do Blog do Jorge Vieira

Roberto-Rocha-400x334A pífia votação do senador Roberto Rocha (PSDB) para o governo do Maranhão segue repercutindo no meio político.

Há municípios em que a votação obtida pelo tucano não garantiria eleição nem mesmo para a Câmara de Vereadores. É o caso do município de Bequimão. Com mais de 17 mil eleitores, ‘Asa de Avião” obteve apenas 75 votos, ou seja 0,64% dos votos válidos.

Bequimão tem 11 vagas na Câmara e o vereador eleito com a menor votação em 2016 obteve 334 votos. Com a esdrúxula votação, Rocha pode ser convidado, no máximo, para ser bucha de canhão na eleição proporcional do município em 2020.

Traíra é um dos peixes tradicionais dos campos da Baixada, mas na política não se cria. As urnas provaram isso mais uma vez.