Edilázio não quer o povo da Baixada Maranhense em área de ricos

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD) mostrou todo o seu preconceito durante reunião ocorrida no Iate Clube, na Península, para tratar sobre o terminal portuário que ligará as cidades de São Luís e Alcântara. Ele deixou bem claro que o povo da Baixada Maranhense vai atrapalhar os moradores ricos da região.

“O que vai vim para cá é uma alternativa para a Baixada Maranhense, isso eu não tenho dúvida, e quem vai perder são vocês, que pagaram caro pelo metro quadrado. Tudo que vocês vão investir vai por água abaixo porque vai haver uma depreciação dos imóveis de vocês”, disparou o parlamentar.

Edilázio disse que a construção de um cais na Península vai atrair o público das classes C, D e E, o que vai ocasionar em baderna na área das elites de São Luís. “Quem vai vim para cá? Carrinhos, moto táxi, van”, disse o deputado, que afirmou que “eu como morador da Península não queria conviver com essa situação que vocês vão passar a ter aqui”.

O parlamentar ainda usou o exemplo da sua babá, que é da cidade de São Bento, e que seria beneficiada com um terminal em que a viagem de São Luís para a Baixada Maranhense, já que diminuiria de duas horas para 45 minutos de travessia.

Centro de Lançamento

Para defender sua tese preconceituosa de que o cais atrairia pobres para a Península, Edilázio deu o exemplo do Centro de Lançamento de Alcântara. Ele explicou que os cientistas que trabalharão na base irão de aeronave, enquanto pedreiros, que tem ir e vir todos os dias, passariam pela região.

As palavras de intolerância e discriminação de Edilázio atingem fortemente toda a população da Baixada Maranhense.