Bois Marizés e Estrela de Bequimão participarão do São João de Todos em São Luís

slide21

Os grupos de bumba-meu-boi Marizés e Estrela de Bequimão participarão da programação oficial do São João de Todos, organizado pelo governo do Estado em parceria com a Prefeitura de São Luís. Os grupos folclóricos realizarão  apresentações nos principais arraiais de São Luís.

estão na programação oficial do S

A Companhia de Arte e Cultura Popular Marizés terá a primeira apresentação nesta sexta-feira (16) no Festival de Danças Folclóricas Regionais, no Arraial da Praça Maria Aragão, a partir das 19 horas.

O Marizés volta a se apresentar no Arraial da praça Nauro Machado, no Centro Histórico, no dia 1 de julho (sábado), às 19 horas. A terceira apresentação será no Arraial Donato Alves (Ipem), também no dia 1 de julho (sábado), às 21 horas.

O Boi Estrela, sotaque de orquestra, está na programação dos Arraiais da Vila Palmeira, às 21h, e na praça Maria Aragão, às 00h, no dia 24 de junho (sábado).

 


Dirigente de grupo cultural desabafa e critica perseguição da prefeitura de Bequimão ao Marizés

vereadores beq11 slide21O produtor cultural Júnior Gomes, organizador da Companhia de Artes e Cultura Popular Marizés, usou as redes sociais para criticar o prefeito de Bequimão, Zé Martins (PMDB), pela exclusão do grupo folclórico da programação oficial de aniversário do município e do São João, realizado pela prefeitura.

“Gestor você foi escolhido nas urnas porque todo o poder emana do povo! Lembre-se que hoje estás prefeito não foi porque você passou em um concurso publico! Pare de reprimir e humilhar as pessoas com essa conduta de perseguição miserável que é o marco dessa administração!”, desabafou Júnior.

O Marizés foi criado em 2014 pelos jovens Camila Rodrigues, Júnior Gomes e Léo Leandro, reúne mais de 50 brincantes, em sua maioria jovens, que compõem o corpo de baile, a orquestra e personagens típicos do alto do boi, como pai Francisco, Catirina, caboclos de pena, cazumbás e miolo do boi.sem-tc3adtulo

No ano passado, a Companhia Marizés representou o estado num festival internacional em Fortaleza. “Agora quem é penalizado é um projeto cultural que não é meu, é de Bequimão!”, disse o responsável pelo grupo cultural de Bequimão.

As apresentações do Marizés passeiam por quatro sotaques do bumba-meu-boi do Maranhão – orquestra, matraca, pandeirão, zabumba e Pindaré -, além de tambor de crioula e forró de caixa.

“Através da música e da dança, o grupo pretende trazer à tona o lado mais prosaico da cultura popular, a capacidade do homem festejar sua alegria e mostrá-la pelo ritmo e poesia”, afirma o presidente do Marizés, Júnior Gomes.

JrMarizesjrgomes


Governador Flávio Dino realiza vistoria técnica em obras da ponte Central/Bequimão

01740_inspecao_a_ponte_central_bequimao_2_1030727819682977429Para acompanhar o andamento das obras de construção da ponte sobre o Rio Pericumã, que ligará Bequimão à Central do Maranhão, o governador Flávio Dino realizou, na manhã desta sexta-feira (9), vistoria técnica ao local. Uma obra de enorme complexidade – considerando a dificuldade do terreno e a influência da água -, já está na finalização do estudo dos solos, para serem  colocadas as estacas de sustentação da ponte.

O governador sobrevoou a região, inspecionou a obra, cujo o canteiro está instalado próximo ao rio do lado de Bequimão, conversou com o engenheiro responsável e a equipe da Secretaria de Estado de Infraestrutura, que executa o projeto. A intenção foi verificar de perto cada detalhe e conferir o cumprimento do cronograma, para assegurar que a ponte, que é um sonho antigo da região da Baixada e do Litoral maranhense, possa finalmente ser levantada.

“Uma obra de enorme importância para toda a região, são pelo menos 10 municípios diretamente beneficiados. As obras estão na fase de sondagem, de preparação do início da colocação das estacas e em mais três meses já teremos as estacas sendo colocadas aqui. O cronograma está mantido, a empresa está aqui presente, a ponte terá o total e 589 metros e envolverá estacas quem podem ter a profundidade de 20 até 40 metros, dependendo do ponto do rio. De modo que é uma obra de enorme importância econômica e social, e também de complexidade, mas nós estamos aqui muito otimistas e animados de que depois de décadas e décadas de promessas e discurso que foram feitos, efetivamente, desta vez, a obra começou e essa é a minha palavra para garantir a todos os moradores dessa região que precisam dessa obra para melhorar suas vidas”, pontuou Flávio Dino durante a visita, que pôde observar que, mesmo diante rígido período de chuva enfrentado, muito já se avançou.

01740_inspecao_a_ponte_central_bequimao_3_5214246770011325167

Com 589 metros de extensão, a ponte tem um projeto de engenharia de grande complexidade técnica, chegado a ter 26 metros de espessura de solo mole, e influência do rio e da maré. O engenheiro que coordena a obra, Madson Siqueira, relata que há pontos que a profundidade da estaca chegará a 40 metros, isto representaria, numa comparação, um prédio de 20 andares, tamanha a complexidade do investimento.

“Estamos na parte de estudo de solo, para ver qual vai ser a profundidade e a fundação mais apropriada, ou seja quais os tipos de estacas que nós vamos cravar. Ainda esta semana a gente termina este estudo na parte de Bequimão, para partir para o lado de Central. Posteriormente vamos para o leito do rio, que é a parte do meio. Além disso, já está sendo fabricado o aço, em São Paulo, para que a gente comece a confeccionar as camisas metálicas (tubos de aço com diâmetro de 1,2m e 1,6m que servem de sustentação da ponte) que vão ser cravadas”, explicou o engenheiro.

O investimento chega a R$ 68 mi. A Sinfra deve licitar em breve a pavimentação dos trechos de acesso à ponte. Serão seis quilômetros de asfalto tanto no município de Bequimão quanto no município de Central do Maranhão.

Os impactos da ponte, para todos os municípios das duas regiões, são os mais diversos, indo desde o escoamento mais rápido da pesca e produção agrícola, e diminuição de distância percorrida entre Bequimão e Central em aproximadamente 150 km, até o fortalecimento do turismo, ao tornar mais conhecidas as belezas do litoral ocidental do Maranhão, pela facilidade no acesso. Mas um benefício já sentido é a geração de emprego.

Morador de Bequimão, Basílio Neto, 36 anos, estava há algum tempo desempregado e agora está trabalhando como pedreiro nas obras de construção da ponte. “É muito bom para a população de Bequimão porque já está melhorando o emprego e vai melhorar a situação do povo da cidade, já que vai aproximar até para comprar comida e vai ter mais desenvolvimento”, contou Neto, que, pelas próprias mãos, está fazendo um sonho antigo de transformar em realidade.

Localizada na MA-211, a ponte dará melhor acesso para as cidades de Apicum-Açu, Bacuri, Serrano do Maranhão, Cururupu, Porto Rico, Cedral, Guimarães e Mirinzal, reduzindo o percurso e solucionando os entraves de mobilidade urbana para os moradores da região e ainda melhorando o acesso até o Pará.


Com maquinário especial, Ponte Central-Bequimão terá primeira etapa concluída

01577_terraplanagem_para_o_acesso_de_construcao_da_ponte_central_bequimao_fotos_mozart_magalhaes_3_7999485762917346282A Ponte Rodoviária sobre o Rio Pericumã, uma das obras mais aguardadas na Baixada, representa um dos grandes desafios para a engenharia maranhense. Uma ponte construída sobre um rio que tem interação de maré e cujos acessos até a chegada à margem são feitos sobre solo mole necessita de planejamento e maquinário especial para sua execução. Com investimentos de R$ 68 milhões, a construção da ponte requer complexa estrutura de engenharia.

São dois canteiros de obras e infraestrutura de deslocamento de equipamentos para fundação da ponte, além de máquinas especiais de grande porte, tais como guindastes de 170 toneladas, equipamentos náuticos, tratores, dentre outros equipamentos.

Mesmo com o período intenso de chuvas deste ano, as equipes técnicas do consórcio responsável pela obra estão concluindo a fundação em área seca da ponte, construída em estrutura mista, composta de concreto e aço, com vigas metálicas.

“As chuvas têm impacto sobre a obra porque se trata de terreno muito mole. Para ter uma ideia, a área de solo mole tem profundidade de 19 a 23 metros. Do ponto de vista prático, é bastante complexo avançar a obra nessas condições”, explica Samuel Rogério Gonçalves, secretário Adjunto de Obras Rodoviários da Secretaria de Infraestrutura (Sinfra).

“Mesmo assim, conseguimos manter o cronograma e evoluir na sondagem de confirmação das estacas e das fundações, etapa importante para a consolidação da obra”, acrescenta.

01577_terraplanagem_para_o_acesso_de_construcao_da_ponte_central_bequimao_fotos_mozart_magalhaes_1_5161371353460538049

A Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) adotou todas as medidas necessárias para que os entraves existentes em matéria de projeto, definição de método construtivo e de sondagem fossem superados. “Agora nós estamos avançando para o início mais efetivo da construção da ponte com as primeiras intervenções já sendo feitas inclusive às margens do Rio Pericumã. Então nós temos um plano de trabalho definido, vamos trabalhar intensamente agora no período de escassez de chuvas nesse segundo semestre, de modo que possamos avançar rapidamente, determinação do governador Flávio Dino para que essa obra seja realizada e entregue à população”, enfatiza, Clayton Noleto, secretário de Estado da Infraestrutura.

Localizada na MA-211, a ponte tem extensão de 589 metros e interligará os municípios de Bequimão e Central do Maranhão, criando acesso para as cidades de Apicum-Açu, Bacuri, Serrano do Maranhão, Cururupu, Porto Rico, Cedral, Guimarães e Mirinzal, reduzindo em até 152 km o percurso e solucionando os entraves de mobilidade urbana para os moradores da região.

Além disso, garante escoamento da produção, alavancagem do turismo e mais rapidez no acesso à capital do Maranhão, São Luís, e ao estado do Pará.
01577_terraplanagem_para_o_acesso_de_construcao_da_ponte_central_bequimao_fotos_mozart_magalhaes_2_490311348289085943
“A Ponte sobre o Rio Pericumã é um sonho não apenas da cidade de Bequimão, mas de toda a região. Ela trará desenvolvimento econômico porque vai gerar movimentação no setor de comércio, serviços e trazer empregos”, disse o governador Flávio Dino ao lançar a obra em setembro do ano passado.

A Sinfra deve licitar em breve a pavimentação dos trechos de acesso à ponte. Serão seis quilômetros de asfalto tanto no município de Bequimão quanto no município de Central do Maranhão

Mais mobilidade para a Baixada Maranhense

Obra historicamente aguardada pela população da Baixada Maranhense, a Ponte Sobre o Rio Pericumã é uma das muitas obras rodoviárias do Governo do Maranhão.   No trecho que liga o município de Governador Nunes Freire a Cujupe, foram 186 quilômetros de asfalto, com investimentos de R$ 3,7 milhões.

Para melhorar o acesso que liga Serrano do Maranhão a Bacuri, a Sinfra recuperou ponte de concreto, investindo R$ 78 mil na obra.  Também foram recuperadas as pontes Liconde e Santa Maria em Cururupu, com investimentos de quase R$ 200 mil.

O Governo também investe mais de R$ 10 milhões em obras do Programa Mais Asfalto com serviços na entrada das MAs 106, em Pinheiro, e 304, em Mirinzal, totalizando 60 quilômetros; na MA-014, na altura do povoado Três Marias, em São Bento até São Vicente Férrer, com serviços  mais de 102 km de extensão, além de 22 quilômetros de asfalto em vias nos municípios de Pinheiro, Santa Helena, Turiaçu, Apicum Açu, Serrano e Bacuri.


Parlamentares da Baixada Maranhense destacam apoio da gestão estadual com o Encontro de Vereadores e Vereadoras

WhatsApp Image 2017-05-30 at 20.22.16“Conheci bons projetos do Governo do Estado, programas que quero levar para o meu município; e a gente que está lá na ponta precisa disso, com certeza foi muito importante para mim e para todos os vereadores maranhenses”. A declaração resume o que a vereadora Raquel Paixão, de Bequimão, na Baixada Maranhense, achou do Encontro com Vereadores e Vereadoras, realizado nesta semana em São Luís.

Promovido pelo Governo do Maranhão, o evento reuniu mais de 1,1 mil parlamentares de 194 municípios, que receberam informações relativas a temas como meio ambiente, controle fiscal e também aos programas desenvolvidos pelo Executivo estadual. Os temas foram apresentados pelos palestrantes técnicos, convidados e pelo governador Flávio Dino. Também foram montados stands específicos para alguns dos programas desenvolvidos.

Para Raquel, os espaços foram uma surpresa positiva, de onde levará boas iniciativas para Bequimão. “Desde a entrada já tirei várias dúvidas, conheci o que o Governo está levando até para os outros municípios e certamente vou levar algumas ideias para nossa comunidade, como a formação dos Conselhos de Segurança para integrarmos o Pacto pela Paz”, informou.

Para outro vereador da Baixada Maranhense, o presidente da Câmara de Cururupu, Ebenilson de Jesus, o evento fortaleceu ainda mais o diálogo que o a gestão estadual tem realizado com os municípios. “É um encontro muito importante e, como presidente da Câmara, vim aqui buscar esclarecimentos, novas informações, trazer as demandas do nosso município. Graças a um evento assim, podemos estar mais próximos do Governo do Estado até para saber o que é possível fazer”, afirmou.

O sentimento é compartilhado pelo vereador Isaac, de São João Batista. “É um momento de dialogar, discutir os problemas dos nossos municípios, que são muitos, especialmente os mais pobres, e conferir o que o Governo do Estado pode fazer pelos mais necessitados”, declarou.


IEMA UV – Bequimão divulga relação de classificados para curso de Corte e costura

O Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia (IEMA) Unidade Vocacional de Bequimão divulgou a relação dos classificados para primeira turma do curso de Corte e costura, no município.

As aulas iniciarão na próxima segunda-feira (5), às 13h. Confira a lista dos alunos classificados:

WhatsApp Image 2017-06-02 at 10.33.15