Cantor jamaicano Johnny Orlando é atração do Aleleuia Reggae em Bequimão

A ousadia está de volta ao Município de Bequimão! No Domingo de Páscoa acontece o Aleluia Reggae Roots – Ano V, organizado pelas Equipes Reggae Raiz e o Grupo de Colecionadores Resistência Reggae, se firmando como principal evento do gênero no Litoral e Baixada Maranhense.

O Aleluia Reggae Roots, em suas edições anteriores, já contou com artistas no porte da Banda Capital Roots, a cantora Fabiana Rasta, e os jamaicanos Cedric Myton e Rzee Jackson, desta vez traz como atração principal, o cantor jamaicano Johnny Orlando e Banda Barba Branca que prometem sacudir a massa regueira de Bequimão e cidades vizinhas, com os sucessos “The Way It Turned Out (MELÔ DE CHARANGA)”, “What Would it Be Live (MELÔ DE CARIOCA)”, “Call Me Out (MELÔ DE FERREIRINHA)”, “Remember Your Mine (PICA PAU)”, entre outros clássicos que fizeram sucesso nos anos 1990.

Para abrir a noite e preparar os regueiros para a atração internacional, subirão ao palco as Equipes locais Resistência Reggae, Conexão Reggae Show e Reggae Raiz; e de Fortaleza (CE), teremos o Dj Rubinho Star, tocando diretamente do vinil.

A noite ficará completa quando a lenda jamaicana subir ao palco, em terras bequimãoenses para um show histórico e imperdível, no Ginásio Municipal, no Bairro de Fátima, em Bequimão, no dia de 16 de abril, Domingo da Páscoa. Os ingressos antecipados podem ser adquiridos na loja Lídia Magazine, no Centro, pelo preço de R$ 10.

SERVIÇO
O QUE: Aleluia Reggae Roots – ANO V, com Johnny Orlando
QUANDO: 16 de abril (Domingo de Páscoa)
ONDE: Ginásio Municipal, Bairro de Fátima – Bequimão/MA
INGRESSO: R$ 10,00 (antecipado) na Loja Lídia Magazine
ORGANIZAÇÃO: REGGAE RAIZ, DINHA PINHEIRO E RESISTÊNCIA REGGAE


Terra de encantos

untitledROBSON PAZ

O Maranhão tem um patrimônio cultural singular. A poesia nos legou o título de Atenas Brasileira. Nossa arte, folclore, música compõem a rica cultura, que encanta todos que conhecem nosso estado.

Nos últimos dois anos e três meses, a cultura maranhense vive ambiente de efetiva valorização, para além do calendário tradicional de São João e Carnaval.

Programas como o “Mais Cultura e Turismo” conjugam dois dos principais atrativos do estado. O respeito, reconhecimento e promoção dos mestres e mestras da cultura popular do Maranhão, realizado pelo governo Flávio Dino, valoriza e estimula os ícones de nossa cultura, além de incentivar os mais jovens a perenizarem este legado cultural.

A instalação de salas de cinema no interior do estado, por meio do projeto ‘Cinema na Cidade’, é outra inovação, que fortalece as políticas públicas de audiovisual para os maranhenses. Incrementam outras conquistas, como a realização de editais de seleção para projetos audiovisuais no estado, a implantação da Escola de Cinema do Maranhão e a recuperação de espaços culturais, como a Escola de Música e o Centro de Criatividade Odylo Costa Filho.

Por muito tempo, parte de nossas manifestações culturais foi marginalizada. Duas delas são emblemáticas: o bumba-meu-boi e o reggae. O primeiro visto como cultura menor tinha suas apresentações até a década de 90 pagas com bebidas. Somente a partir desse período, teve mais atenção. Contudo, por décadas, este segmento cultural foi utilizado como espaço para promoção político-eleitoral. A despeito desta realidade, o bumba-meu-boi se popularizou. Tornou-se um dos principais atrativos turísticos do estado.

O reggae, por sua vez, de raízes jamaicanas, encontrou terreno fértil em São Luís. Mas, enfrentou muita resistência por parte da “elite” local. Tido como música de periferia enfrentou todo tipo de preconceito. Ultrapassou os muros dos salões de bairros pobres da cidade. Avançou conquistando a classe média, intelectuais, universitários.

Conquistou dessa forma seu espaço na cultura contemporânea do Maranhão. Sua força foi demonstrada também na cena política de São Luís e do estado. A “massa regueira” elegeu vereadores e deputado federal identificados com o movimento.

Entretanto, nem a mídia em rede nacional espontânea foi capaz de sensibilizar as autoridades de outrora a dar-lhe o devido valor cultural e turístico.

Na semana passada, foi anunciada a criação do Museu do Reggae. Um passo importante. Para tocar este relevante projeto foi convidado o jornalista e radialista Ademar Danilo. Escolha acertada por se tratar de um dos pioneiros e entusiastas do movimento na ilha.

A valorização do reggae é parte da política cultural inclusiva em curso no estado. Estímulo à produção cultural, literária, cinematográfica, que concorrem para a formação de novos talentos e a democratização do acesso aos bens culturais.

Riqueza que se consolida como importante produto turístico. Parafraseando o poeta Ferreira Gullar, é o povo que liberto se levanta como seu próprio senhor. O povo é o rei encantado no touro que ele inventou. Terra de encantos.

Radialista, jornalista, secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Rádio Timbira AM.


Festa do Divino de Alcântara contará com apoio cultural do Governo do Estado

unnamed (1)Uma das manifestações religiosas mais tradicionais do Estado, a Festa do Divino Espírito Santo realizada na cidade de Alcântara, já tem apoio cultural garantido. No último fim de semana, o secretário de Cultura e Turismo, Diego Galdino, em visita às Casas de Cultura de Alcântara vinculadas ao Estado, garantiu o apoio do Governo do Maranhão aos festejos que anualmente atraem centenas de turistas à cidade histórica.

“Como todos os anos o Governo do Maranhão continuará apoiado e incentivado a Festa do Divino de Alcântara pela sua importância na preservação da nossa cultura, além de alavancar o turismo e garantir mais emprego e renda para a população do município”, confirmou o secretário.

O secretário Diego Galdino visitou os dois equipamentos de cultura vinculados à Sectur em Alcântara, a Casa do Divino e o Museu Histórico de Alcântara. As duas casas de cultura integram o roteiro turístico e são parte do patrimônio cultural da cidade, servindo como espaço de registro, divulgação, revitalização de sua história, tradição e cultura.

Para o prefeito de Alcântara, Anderson Wilker, o apoio do Governo do Maranhão este ano será muito bem vindo e ajudará a fortalecer ainda mais essa festa tão fundamental para a nossa cultura. “Conhecida mundialmente, a festa do Divino Espírito Santo de Alcântara, é marcada por 12 dias de festa onde mistura-se o religioso com o profano. Além das belezas culturais e históricas, o evento oferece ao público atrações gastronômicas, música e dança, tudo para que se tenha uma grandiosa e atrativa festa”, destacou o Prefeito.

O vereador Haroldo Júnior também manifestou sua satisfação com o apoio. “Temos certeza que esse ano de 2017 será um dos melhores anos do festejo. A Festa do Divino é a nossa maior riqueza cultural e o apoio do Governo do Estado é realmente a esperança e o estímulo que o povo de Alcântara precisa para manter viva essa tradição ímpar e de valor inestimável”, concluiu

Alcântara

No Maranhão, a cidade histórica de Alcântara abriga uma das maiores festas do Divino Espírito Santo. Com cortejos, visitas e rituais ricos em arte, roupas, canto, dança e culinária, a festa remonta os tempos áureos do Brasil Colonial.

Realizada tradicionalmente cinquenta dias após a páscoa, a festa em geral começa com  passeata e o levantamento do mastro da Imperatriz. Nos dias seguintes, a programação conta com alvorada das caixeiras e músicos, missa solene de Ascensão, na Igreja do Carmo, com a coroação da Imperatriz, cortejo pelas principais ruas de Alcântara, retornando à Casa do Divino.

Até o encerramento da festa, a população de Alcântara, assim como os visitantes, poderão conferir os cortejos, as visitas das mordomas e mordomos, procissão com a coroa do Divino e entrega de posto aos futuros festeiros.


Carnaval de Todos Nós

Por Flávio Dino

carnavalfdVem chegando o período mais festivo do ano em todo o Brasil. Em nosso estado, o Carnaval tem um componente único: o povo do Maranhão.  Nesse período, vêm à tona as diversas formas de ser maranhense: nos blocos, nas escolas de samba, nas fantasias, nas brincadeiras de rua.

Investimos cerca de R$ 7 milhões na estrutura e apresentações do Carnaval, em todas as regiões do Estado, em parceria com as prefeituras. Esse investimento é compensado pela vasta economia da cultura que se movimenta neste período, com a geração de milhares de postos de trabalho: músicos, cantores, costureiras, artesãos, vendedores de rua, comerciantes, técnicos de som e iluminação, seguranças etc. E claro que a maior compensação é a festa, a celebração da vida, as oportunidades de convívio entre famílias e amigos.

Para tudo acontecer bem, é fundamental a colaboração de todos. A Polícia, desde o pré-carnaval, tem estado fortemente atuante e esse trabalho vai continuar até quarta-feira de cinzas. Mas garantir a segurança não é papel somente da Polícia. É preciso que haja espírito de paz e fraternidade, que ninguém saia de casa pensando em confusão. E que não haja abuso no álcool nem uso de substâncias ilícitas, especialmente por quem for dirigir. Todos são responsáveis pela vida e pela integridade física dos demais foliões.

Na capital, em parceria com a prefeitura, estamos garantindo a realização de cinco circuitos. Um deles é o da Madre Deus, com quatro palcos, e ali pertinho a Passarela do Samba. No Centro Histórico, irão se concentrar os blocos alternativos. Visando contemplar todos os grupos, na Praça da Lagoa faremos uma programação mais voltada às crianças, com bailinho infantil e concurso de fantasias. No Espigão Costeiro, música combinando com a bela paisagem da praia.

Na segunda-feira, teremos o já tradicional Carnaval de Segunda, do Laborarte, com apoio do nosso Governo. E na terça-feira, este ano teremos uma atração inédita, o Bloco do Baleiro, com o genial Zeca Baleiro e convidados finalizando o Carnaval de Todos Nós. Já na quarta apoiaremos o encerramento dos Retiros Culturais, cumprindo o nosso compromisso de respeitar todas as crenças e modos de viver.

No Carnaval, essas ações culturais ganham uma função especial, que é o de ajudar a promover o nosso estado, possibilitando a atração de turistas. Por isso, faremos uma ação promocional no Aeroporto de São Luís, com apresentações culturais de grupos de carnaval e uma cabine de fotos para ajudar a divulgar as belezas de nosso estado para os visitantes.

É assim, com responsabilidade e muita alegria, que estamos construindo no dia a dia um Maranhão melhor para todos. No Carnaval, não poderia ser diferente e vamos organizar uma festa com a autenticidade de nossa cultura e com o espírito irreverente e alegre do nosso povo.


Companhia de Artes e Cultura Popular Marizés participa de Festival Internacional de Folclore

Do Blog do Jefferson Cantanhede

sem-tc3adtulo3 Criado em 2014 pelos jovens Camila, Junior Gomes e Leo Leandro, o grupo reúne cerca de 54 brincantes, em sua maioria jovens, que compõem o corpo de baile, a orquestra e personagens típicos do alto do boi, como Pai Francisco, Catirina, caboclo de pena, cazumbás e miolo do boi.

As apresentações do Marizés são uma mescla de ritmos e elementos das inúmeras manifestações culturais do Maranhão. Na temporada do ano passado, o grupo agradou plateias por onde passou com o repertório marcado pela forte influência dos sotaques de bumba-meu-boi (orquestra, matraca, pandeirão, zabumba e Pindaré), tambor de crioula e forró de caixa. “Através da música e da dança, o grupo pretende trazer à tona o lado mais prosaico da cultura popular, a capacidade do homem festejar sua alegria e mostrá-la pelo ritmo e poesia”, destaca o presidente do Marizés, Júnior Gomes.

Em um grupo formado por jovens, há também um aspecto social no trabalho que o Marizés vem desenvolvendo. “O processo de criação que segue os preparativos da nossa companhia envolve, anualmente, uma variedade de jovens que apoia e incentiva a música, a dança e a arte como meios de expressão de ideias. Isso cria no nosso município uma nova possibilidade de lazer e entretenimento, ganhando o espaço que poderia ser ocupado pelas drogas ou pela violência”, ressalta o presidente da companhia.

Além disso, a juventude local tem oportunidade de conhecer melhor e valorizar as manifestações culturais da sua região. Esses vínculos criados são fundamentais para a preservação da identidade e da cultura popular.


Miaaauuuuu!!! Cemar corta suposto ‘gato’ feito pelo prefeito em arraial

Do Blog do Gilberto Lima

CemarTrês equipes da Cemar acabaram com o arraial de Bequimão na terça-feira (28). A culpa seria do prefeito Zé Martins, que teria mandado fazer a ligação da energia de forma clandestina, o famoso ‘gato’. Ao constatar a irregularidade, técnicos da companhia foram ao local para fazer o desligamento.

A denúncia foi feita por Alessandro Trancoso, no facebook. Confira o relato do denunciante.Cemar2

“OLHA A CEMAR É VERDADE. Cemar corta arraiá de Bequimão. Prefeito Zé Martins não Tirou licença de Carga de Energia para o Arraiá de Bequimão. O Arraiá funcionava na clandestinidade o famoso GATO. A operação de Corte veio em peso: três viatura com oito homens para cortar a energia. Que vergonha! Já foi o mehor arraiá da baixada, hoje resumido a um puleiro de urubu sujo. Cadê o dinheiro para o São João? Nem medidor tinha no arraiá. Eta quadrilha boa! Hoje o São João é a luz da lua se o prefeito não procurar pagar a energia!!!”, disse Trancoso.

Cemar1E acrescentou: “Tenho as fotos para comprovar. A Prefeitura está se movimentando para não passar mais essa vergonha. Roubar energia é crime. Se fosse um consumidor comum, a Cemar multaria e ainda poderia entrar com um processo, mas como é a prefeitura, com certeza, O CHEFE DAS CEMAR vai aliviar e tomará uma cervejinha no São João. O Ministério Público vai saber disso”.

Dez horas depois, com a repercussão nas redes sociais, o prefeito Zé Martins tratou de desmentir a denúncia feita por Alessandro Trancoso, alegando que os técnicos da Cemar foram ao local para verificar a carga elétrica e fazer a medição para emissão de fatura. Confira o que disse o prefeito:Cemar3

“É mentirosa, irresponsável e caluniosa a publicação do perfil de Alessandro Trancoso sobre a energia elétrica no arraial de Bequimão. Técnicos da Cemar estiveram no arraial para verificar a carga elétrica e fazer a medição para fins de emissão da fatura. Os técnicos da companhia imaginavam que cada barraqueiro pagaria a despesa de energia elétrica de sua barraca, mas foram informados que todos os custos são por conta da Prefeitura Municipal de Bequimão. A fatura será encaminhada à Secretaria de Administração e Transporte, por e-mail, até a próxima sexta-feira, dia 1º de julho, para que, assim, seja feito o pagamento. As redes sociais ampliam a possibilidade de uma ação democrática, já que todos têm chance de manifestar suas opiniões, mas em nada contribui para a gestão pública a veiculação de mentiras, como essa inventada e disseminada pelo senhor. Sobre a acusação de se tratar de uma “quadrilha”, nossa equipe jurídica tomará a devida providência para que o senhor esclareça na justiça”.

Vale perguntar: Se a prefeitura de Bequimão arcaria com as despesas e fez tudo legal, por que a Cemar, ao que parece, não tinha essa informação?

E por que deslocar oito técnicos para fazer uma simples verificação de ligação de energia?

Em outros casos, quando os envolvidos são cidadãos comuns, a Cemar aciona logo a polícia para prender o responsável pelo furto de energia em flagrante.

Em vez de boi, será que tinha mesmo era bichano no arraial do Zé Martins?

Com a palavra, a Cemar.