Professor, exercício de dignidade

Por Flávio Dino

Flavio Dino - professorEsta semana, fiquei feliz com a carta que recebi da professora Benedita Ferraz, de Penalva. No texto que endereçou a mim, ela agradeceu por ter participado do processo seletivo para professores da rede que quisessem aderir à carga horária de 40 horas. Dona Bibi disse que ao longo da seleção pode constatar “a seriedade e transparência” de nossa gestão. Fico feliz de poder propiciar essas e outras oportunidades a esses militantes da causa da educação, que são os professores do Maranhão.

Pessoas que não se dobraram às intempéries que existem para ensinar. Gente como a dona Luzia Sousa, do povoado Placa Violão em Tuntum, que embaixo de árvore já reuniu cadeiras, para garantir que seus alunos não ficassem sem saber ler ou escrever, até que lá chegasse o Programa Escola Digna.

A esses grandes militantes da educação, eu dedico os meus parabéns nesse Dia dos Professores. E fico feliz de saber que nosso governo tem conseguido oferecer condições mais dignas de trabalho a esses lutadores. Com o programa Escola Digna, já reconstruímos ou reformamos 600 escolas – o que representa metade de nossa rede estadual de ensino. E também estamos construindo 300 novas escolas, que substituem unidades de ensino inadequadas: escolas de um só cômodo; barracões; salas em residências; casas de taipa.

Para garantir boas condições de ensino, tenho orgulho de dizer que pagamos um dos maiores salários do Brasil para profissionais da rede estadual, com jornada de 40 horas. Fizemos concurso público e adotamos iniciativas inéditas, a exemplo dos editais de ampliação e de unificação de jornada de trabalho. E não para por aí. Também estamos investindo na formação continuada. Só este ano, já houve formação para mais de 50 mil docentes das redes estadual e municipais, pois estamos apoiando as Prefeituras nessa missão.

Com o “Sim, Eu Posso!”, oferecemos oportunidades a docentes que atuam nos 30 municípios de menor IDH do Maranhão, em uma missão muito importante: alfabetizar jovens e adultos. Há quem menospreze esse investimento, achando que o Estado não deve se preocupar mais com quem passou da idade escolar e não teve a oportunidade de aprender a ler e escrever. Mas nosso governo tem consciência de que é sua missão cuidar de todos. Especialmente dos que mais precisam, e por isso criamos esse programa.

O primeiro concurso em que passei na vida foi para professor, profissão que exerço há décadas. Dessa função, estou licenciado para exercer os compromissos que me exigem o mandato de governador. Na sala de aula, aprendi o respeito às diferentes vozes e a crença no diálogo como um instrumento de constante evolução. Fico feliz por agora, no cargo de governador, poder contribuir com o bom exercício da função por parte de meus colegas professores. Estou certo de que com o investimento em educação estamos construindo um Maranhão muito melhor, mais justo e com mais igualdade de oportunidades.

Advogado, 49 anos, Governador do Maranhão. Foi presidente da Embratur, deputado federal e juiz federal.


Flávio Dino entrega CRAS, uniformes escolares e certifica alunos do IEMA Vocacional em Bequimão

Cras-Flavio DinoEm continuidade às políticas de prevenção de situações de vulnerabilidade e riscos sociais, o município de Bequimão recebeu um Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), o 108º entregue pelo governador Flávio Dino. O novo prédio, totalmente equipado, terá capacidade para atender anualmente 750 famílias e substituirá uma estrutura, que era alugada pela Prefeitura de Bequimão.

O presidente do PCdoB de Bequimão, ex-vereador Elanderson, elogiou as ações desenvolvidas pelo governador Flávio Dino em Bequimão. “Feliz por participar da inauguração do CRAS de Bequimão. Parabenizo o Governador Flávio Dino e o secretário Neto Evangelista (Desenvolvimento Social) pela conclusão dessa importante obra. E, finalmente, felicito a população bequimãoense, a grande beneficiária, pelo recebimento de mais uma ação do Governo de Todos Nós”, afirmou.
netocras

Ainda durante sua passagem no município, o governador Flávio Dino reforçou a política de investimentos na educação, com a entrega de mais de dois mil uniformes escolares – para os alunos dos Centros de Ensino Aniceto Cantanhede e Manoel Beckman – e com a certificação de 80 alunos nos cursos de formação inicial e continuada da UV-IEMA, nas modalidades corte e costura e inglês básico.a834e230-2794-40dc-aec4-b0150cf6328c

A visita do governador Flávio Dino se encerrou no povoado Ramal de Quindiua, que foi beneficiado com a implantação de um sistema de abastecimento de água que levará qualidade de vida a centenas de famílias de Bequimão. A previsão é que nos próximos meses mais sete comunidades rurais do município também sejam beneficiados com melhoramento no sistema de abastecimento de água.


Marcar crianças é indigno. É injusto. É desumano

Robson PazROBSON PAZ

Na semana passada, conversava com um primo e lembrávamos os tempos da escola. Entre as reminiscências a hora do lanche e quão saborosa era a merenda escolar, em meados dos anos 80, no pacato povoado Jacioca, em Bequimão. Do cardápio, o item mais lembrado era um delicioso mingau lácteo sabor baunilha. Relembramos também as almôndegas, a sopa…

– Nunca mais saboreei um arroz com macarrão tão gostoso como aquele! Disse o primo.

– Os lanches eram realmente muito saborosos. Concordei.

– Acho que era nossa fome também que fazia a comida ainda mais deliciosa. Nós íamos para a escola, muitas vezes, para nos alimentarmos melhor. Concluiu ele.

Fiz questão de relatar o rápido diálogo para mostrar a importância da merenda escolar no ambiente da escola pública. Nenhuma criança pode ter bom rendimento escolar sem estar bem alimentada. Disto, por certo, poucos haverão de discordar.

Mas, nestes tempos obscuros do nosso país, acontecem coisas capazes de fazer corar de vergonha até as mais inoxidáveis panelas. Há poucos dias, São Paulo, maior cidade da América Latina, protagonizou uma das cenas mais vexatórias de nossa história recente. Alunos marcados nas mãos para não repetir o lanche escolar. Isso mesmo!

Na cidade mais rica e desenvolvida do Brasil, alunos de escolas públicas são proibidos de repetir a merenda escolar. Imagem degradante, bizarra, vergonhosa para a humanidade. Pior, isto ocorreu no estado, onde administradores festejam o deus mercado.

O Brasil vivencia a estranha experiência RobinHoodiana às avessas. O governante de plantão Michel Temer retira dos pobres para dar aos ricos. Fez isso ao anistiar bilionária dívida dos ruralistas e das grandes empresas com dívidas astronômicas, enquanto penaliza os mais pobres a pagarem a conta, seja com desconto de dez reais no salário mínimo ou com abusivo e ilegal reajuste nos preços dos combustíveis. Os poderosos parecem decididos a perpetuar e ampliar a desigualdade social no país. Mas, chegar ao cúmulo do absurdo de “ferrar” alunos nas escolas… Crianças não podem, nem devem ser tratadas como gado. É indigno! É injusto! É desumano!

Antes, deveriam ser marcados os contumazes corruptos, que pegos em tenebrosas transações são capazes de escapar e se reinventar. Basta ver indigitados dirigentes de empresas públicas do passado, hoje travestidos de gestores bem-sucedidos e modernos empreendedores. Estes, sim, deveriam não apenas ser marcados, mas banidos da vida pública para que nossas crianças não tenham que passar pelo constrangimento de estudar em condições degradantes e sem merenda escolar.

Por experiência própria, sempre sonhei com o dia em que a merenda escolar fosse também estendida para alunos de ensino médio. Hoje, alegra-me ver que o Maranhão acessa, com décadas, talvez séculos de atraso, o patamar de oferecer a estudantes de ensino médio escolas em tempo integral e profissionalizante, que aliam a oferta de conhecimento, ambientes dignos, com café, lanches, almoço e jantar para os jovens alunos. Escolas dignas, que servem de inspiração para nosso país.

Radialista, jornalista. Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM


Símbolos da mudança

untitledROBSON PAZ

Nos últimos dias o depoimento da professora Narcisa, da comunidade Bacuri I, no município de Peritoró, viralizou nas redes sociais.

“Olha que mudança! Esta é a escola onde vou trabalhar. Estou muito feliz por isso. Por receber essa escola para trabalhar com mais dignidade”. Testemunho que emociona e mostra a dimensão do atraso, em que estava mergulhado o nosso Estado.

Realidade ainda mais impactante se pensarmos que as crianças estudavam em condições subumanas, tendo entre outras privações fazer suas necessidades fisiológicas no mato ou num quadrado cercado de palha. Carteiras quebradas, escolas sem bebedouros. Desumano!

Cenário que está mudando com a entrega de 200 escolas dignas pelo governador Flávio Dino, este ano, e mais 100, no ano que vem. Outras 600 escolas, que ameaçavam desabar sobre as cabeças dos estudantes devido ao abandono de décadas, foram reconstruídas ou reformadas.

Mudança que vai muito além da construção e melhoria estrutural das escolas. A concepção do modelo educacional do estado passa por profunda transformação. O Maranhão que jamais teve escola de tempo integral agora tem 18. Destas, sete são Institutos de Educação, Ciência e Tecnologia (IEMAs). Nelas, estudantes aprendem uma profissão, com direito a três refeições diárias. Professores são valorizados e capacitados. Há democracia nas escolas com a participação de alunos, profissionais e pais na escolha dos gestores.

Tudo isto ganha mais relevo no Brasil atual com mais de 14 milhões de desempregados e aguda crise econômica e política. Nunca antes no país, a população menos favorecida precisou tanto da atenção do Estado. Nacionalmente, ocorre o oposto.

A lógica inversa no Maranhão alcança a garantia de direitos, cidadania, dignidade e serviços públicos para os desvalidos. Gente que agora tem acesso a almoço e jantar com valores simbólicos. Restaurantes populares e cozinhas comunitárias em todas as regiões; parte dos produtos adquiridos dos agricultores familiares.

A oferta de serviços de saúde avança com cinco novos hospitais regionais (Pinheiro, Caxias, Santa Inês, Imperatriz e Bacabal), a Força Estadual de Saúde, que atende a população dos municípios mais pobres e mais de 100 ambulâncias entregues pelo governo em apoio aos municípios.

O Maranhão que tinha a menor média policial por habitante no país conta hoje com mais de 12 mil policiais. Maior contingente da história do estado. Mais de 500 novas viaturas, armamentos e laboratórios reforçam o combate ao crime.

O programa Mais Asfalto melhora a qualidade de vida e mobilidade em mais de 150 cidades. A infraestrutura rodoviária é parte das mais de 800 obras em curso no estado, para melhorar entre outros o escoamento da produção, que tem recebido atenção do governo com apoio e assistência técnica aos pequenos produtores.

Jovens oriundos de escolas públicas fazem intercâmbio em outros países, pessoas com deficiência com acesso a transporte gratuito. A casa de veraneio do governo vai abrigar famílias de crianças em tratamento de microcefalia. Antes, local para poucos privilegiados se refestelarem com dinheiro público. Agora, símbolo de um Maranhão, onde reina o povo.

Radialista, jornalista. Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM


Prazo para inscrições ao ‘Cidadão do Mundo’ é prorrogado até sexta-feira (16)

unnamed (1)A Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) prorrogou até a próxima sexta-feira (16) o prazo de inscrição para o processo seletivo ao programa ‘Cidadão do Mundo’. Este ano estão sendo ofertadas 80 vagas para jovens que sonham participar de cursos de idioma estrangeiro. São 45 vagas para inglês, 10 vagas para francês e 25 para espanhol. Os selecionados farão curso de idioma em escola no exterior, com data de embarque prevista para o segundo semestre de 2017 com todas as despesas pagas pelo Governo do Estado.

“O intercâmbio permitirá a aprendizagem de um idioma estrangeiro e a vivência cultural no país de destino. Abre-se uma janela de oportunidade aos jovens, antes restrita aos filhos das classes mais ricas”, destacou o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada. “As pesquisas que fundamentaram a formulação do programa apontam que para cada cinco mil alunos da rede pública maranhense, apenas um tem habilidade linguística suficiente para concorrer com os da rede privada”, completou Almada.

01797_imga_9880_8857151330348324714

Podem se inscrever jovens maranhenses com idade entre 18 e 24 anos, egressos do ensino médio da rede pública de ensino ou de instituições de ensino vinculadas a entidades paraestatais ou a fundações sem fins lucrativos. As inscrições estão abertas no site da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) – www.secti.ma.gov.br. A ação tem a parceria da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico do Maranhão (Fapema).

Os candidatos selecionados farão jus a uma bolsa de estudo no valor de R$ 4.500, seguro de saúde durante todo o período em que estiverem residindo no país de destino, passagens e acomodação em casa de família residente na localidade definida para o intercambista, com sistema de pensão completo (café da manhã, almoço e jantar).

Requisitos para participação
Além de ser egresso de escola pública e ter idade mínima entre 18 e 24 anos são requisitos necessários para participar do processo seletivo ter realizado o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem); estar matriculado e frequentar há pelo menos um ano instituição de ensino superior no Maranhão; ter obtido, ao longo do ano imediatamente antecedente à inscrição no Programa (2016), aprovação com média acima da nota sete ou equivalente em todas as matérias cursadas; nunca ter realizado viagem e/ou intercâmbio internacional.

Para garantir mais oportunidades aos estudantes do interior do Estado e tornar o processo seletivo mais igualitário, o edital 2017 traz algumas mudanças em relação ao do ano passado. Este ano o processo seletivo terá apenas uma etapa, que é a de verificação dos requisitos constantes no edital, e um critério de seleção, que é a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de qualquer edição.

O curso de imersão e o teste final, etapas realizadas nas edições anteriores, foram eliminados por representarem entrave para a participação dos estudantes do interior que tinham que vir para São Luís participar das duas fases de seleção. O deslocamento gerava custo para as famílias que, na maioria das vezes, não tinham como bancar as despesas.


A educação transformadora das Rivânias

untitledROBSON PAZ

Vem de uma menina de oito anos a imagem simbólica e um dos mais belos exemplos recentes do país, envolto em caos político, econômico e institucional. Negra, simples e de sabedoria singular, a pequena pernambucana Rivânia deu uma aula de fé e esperança ao deixar a casa inundada pela enchente e ajoelhar-se na jangada abraçada ao que julgou ter maior importância em sua vida: os livros.

A menina, que sonha em ser professora ou enveredar pela medicina deu uma aula ao Brasil. O conhecimento é o caminho capaz de fazer com que o país possa ter uma sociedade mais justa, fraterna, igualitária e inclusiva.

Criou-se nos últimos anos a ideia de que o Brasil será “salvo” por “justiceiros”, que combatem a corrupção. Esta é uma chaga. Disto ninguém duvida. E por isso mesmo, precisa ser permanentemente combatida. Mas, não só.

Na humildade e mansidão de suas palavras, aquela criança nos mostra que mesmo na dificuldade a educação precisa ser prioridade. É esta que em grande medida proporciona a verdadeira libertação e o desenvolvimento de uma sociedade.

A educação é uma obra de longo curso. Talvez nisto esteja explicação para tão pouco apreço por parte de ocupantes de cargos executivos, salvo raras e honrosas exceções. Poucos foram os políticos que tomaram a educação como bandeira. No âmbito nacional, temos experiências exitosas do saudoso Leonel Brizola e Darcy Ribeiro. Brizola teve entre suas marcas a inauguração de milhares de escolas e apoio aos alunos dando-lhes condições e incentivos. Foi o responsável pela implantação dos CIEPs. Iniciativas exitosas, que mereceram recente referência de Caco Barcelos, um dos grandes jornalistas do país. E certamente lembrada por milhares de alunos alcançados por este projeto de educação inclusivo.

No Maranhão, o também saudoso ex-governador Jackson Lago teve sua trajetória política construída tendo como um dos marcos os investimentos em educação. À frente da prefeitura de São Luís, a capital do Maranhão teve o maior investimento na rede de ensino municipal ampliando exponencialmente o número de vagas e a construção de escolas. Feito repetido em nível estadual no curto período em que esteve no comando do governo.

Hoje, vemos com alegria o governador Flávio Dino abraçando a causa da educação como prioridade do governo. Realizando sonhos com a construção de escolas dignas. São mais de 570 escolas reconstruídas, reformadas, construídas. Implantação de 18 escolas de educação integral, sete destas profissionalizantes; iniciativa inédita no Estado. Professores valorizados e capacitados. Participação das famílias no processo educacional com a democratização da gestão escolar, com a eleição direta para gestores. Alunos da rede pública de ensino com acesso a programas de intercâmbio em outros países. Bolsa Escola para estimular permanência das crianças nas escolas. Oportunidade que as milhares de Rivânias do Maranhão agradecem por poder sonhar com um futuro melhor amparadas num presente, em que prevalecem a dignidade e o conhecimento.

Radialista, jornalista. Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM


IEMA UV – Bequimão divulga relação de classificados para curso de Corte e costura

O Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia (IEMA) Unidade Vocacional de Bequimão divulgou a relação dos classificados para primeira turma do curso de Corte e costura, no município.

As aulas iniciarão na próxima segunda-feira (5), às 13h. Confira a lista dos alunos classificados:

WhatsApp Image 2017-06-02 at 10.33.15


IEMA UV – Bequimão abre inscrições para curso de Inglês Básico, nesta sexta (2)

WhatsApp Image 2017-06-01 at 09.16.27

O Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia (IEMA) Unidade Vocacional de Bequimão abre inscrições para o curso de Inglês Básico, turno vespertino, nesta sexta-feira (2).

As inscrições serão realizadas, a partir das 8h, na sede do IEMA UV Bequimão, na Avenida Itapetininga, s/nº, no bairro de Fátima. O candidato deverá apresentar cópias de RG, CPF e comprovante de residência.


Governo reconhece conhecimentos e saberes populares em Bequimão

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) realiza reunião, na manhã desta terça-feira, 23, às 8h, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bequimão sobre o projeto Certificação Social.

A certificação social visa valorizar os conhecimentos e saberes populares e garantir o reconhecimento da profissionalização formal e cidadã dos mestres de ofício que atuam no Estado.

O público alvo são pessoas que desenvolvam suas atividades com técnica e excelência, por no mínimo três anos, sem nenhuma certificação oficial. As profissões que serão certificadas são rendeiras, artesãos, produtores culturais, guia turístico, psicultores e agricultores, entre outros.

WhatsApp Image 2017-05-21 at 09.38.18