VÍDEO | Avançam as obras da ponte Central-Bequimão

A Ponte Central-Bequimão está sendo construída para interligar 10 cidades da Baixada e reduzir viagens em até 125 km. Após a construção do aterro de conquista para o canteiro de obras, foram cravadas as estacas de aço e estão sendo construídos os primeiros blocos de concreto da ponte, que terá 600 metros de extensão.


Com estacas de até 40 metros, grande parte da ponte Central-Bequimão fica escondida no solo

ponte-estruturaBoa parte da estrutura da ponte Central-Bequimão que está sendo construída na Baixada Maranhense não é visível para quem passa pelo local. A complexa engenharia da obra inclui materiais instalados a até 40 metros de profundidade. Foi uma maneira de superar as dificuldades impostas pelo terreno instável na região do rio Pericumã.

Grande quantidade do solo que existe no local é considerado mole. Há pontos em que esse solo mole tem espessura de 26 metros. Se fossem colocadas, por exemplo, estacas com essa mesma altura no solo, elas “escorregariam”.

É por isso que, nesses pontos, as estacas tiveram que ir bem mais fundo. Há trechos em que a profundidade das estacas chegará a 40 metros. É mais ou menos a altura de um prédio de 20 andares.

Responsável técnico pelas obras da ponte construída pelo Governo do Maranhão, o engenheiro civil Fernando Navarro explica que o projeto tem duas grandes fases: a que fica do solo para cima; e a que fica do solo para baixo.

“Do solo para baixo, são as fundações, que são estacas de grande diâmetro e profundidade com execução bastante complexa”, afirma. As fundações precisam suportar as enormes cargas da estrutura da ponte.

“Hoje nós estamos com as estruturas metálicas 100% fabricadas. São estruturas especiais com aço especial anticorrosão, que não enferrujam.

Canteiro de obras

“Existem fases do projeto que são no solo, em muita profundidade. Para fabricar a estrutura metálica, nós precisamos de um ano. Para a parte de projetos, foram dois anos. Então são três anos de trabalho de desenvolvimento e de projeto sendo executado”, afirma o engenheiro Fernando Navarro.

Todas as estacas da obra estão prontas e no canteiro para serem cravadas no solo. De acordo com Navarro, já foi iniciada a execução das fundações do lado do rio que fica em Bequimão. Em seguida, será feito o mesmo trabalho na parte que fica na cidade de Central. E, por último, no meio do rio. A ponte vai ter 15 pilares de apoio. São sete em cada margem e um no centro.

Depois da fundação, começam a ser montados os 15 vãos – um para cada pilar. E aí vem a fase em que as vigas são unidas para fazer a estrutura superior, por onde vão circular os veículos.

Dez cidades interligadas

Com extensão de 589 metros, a ponte vai interligar 10 municípios da Baixada Maranhense e diminuir a distância de deslocamento dos moradores da região em 125 quilômetros. As cidades diretamente beneficiadas são Bequimão, Central, Apicum-Açu, Bacuri, Serrano do Maranhão, Cururupu, Porto Rico, Cedral, Guimarães e Mirinzal.

“Essa é uma obra de grande complexidade e que exige um planejamento que envolve diversas etapas e a participação do consórcio responsável pela construção. O Governo do Maranhão acompanha de maneira permanente o desenvolvimento da obra”, diz o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto.


Com chegada de nova leva de materiais, Ponte Central–Bequimão continua cronograma de avanços

Estrutura-Ponte-Central-BequimãoA Ponte Central-Bequimão, localizada sobre o Rio Pericumã, é uma das maiores obras em execução no Maranhão. Com investimento de aproximadamente R$ 70 milhões, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura (Sinfra), vai encerrando mais um longo período de espera pela solução da mobilidade, escoamento de produção e rota turística da Baixada Maranhense.

“Essa é uma obra de grande complexidade e que exige um planejamento que envolve diversas etapas e a participação do consórcio responsável pela construção, a Sinfra acompanha de maneira permanente o desenvolvimento da obra”, disse o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto.

O secretário explicou ainda que a Sinfra auxilia no que compete à Secretaria, como é o caso do chamado Aterro de Conquista, que é a construção do aterro para chegar até às margens do rio também sobre solo mole. “Lá nós tivemos que fazer camadas de aterro com geodreno para que todas as cargas consigam chegar ao canteiro de obra e acelerar o desenvolvimento da Ponte”, contou Clayton Noleto.

Canteiro de Obras

São dois canteiros de obras e infraestrutura de deslocamento de equipamentos montados nas cidades de Bequimão e Central, onde a ponte já começa a tomar forma depois da conclusão da fase de fundação, do início da colocação dos primeiros três dos 15 pilares de sustentação e da chegada das peças que compõem a estrutura mista da ponte que é composta de concreto e aço, com vigas metálicas.

“Também é papel da Sinfra providenciar os acessos à ponte. Ao todo, são 12 km de um lado e 13 km de outro, a construção da fundação que exige alcançar rocha com 27 metros de profundidade e todos esses desafios têm sido gradual e progressivamente atendidos e alcançados”, destacou Noleto.

“Nós temos muita responsabilidade, sabemos que não podemos fazer uma obra de grande magnitude de qualquer jeito, então o Governo do Maranhão tem feito um grande esforço, sob o comando governador Flávio Dino, para alcançar esses objetivos”, afirmou o titular da Sinfra.

Ligação terrestre

Localizada na MA-211, a ponte tem extensão de 589 metros e interligará os municípios de Bequimão e Central do Maranhão, criando acesso para as cidades de Apicum-Açu, Bacuri, Serrano do Maranhão, Cururupu, Porto Rico, Cedral, Guimarães e Mirinzal, reduzindo em até 152 km o percurso e solucionando os entraves de mobilidade urbana para os moradores da região. Além disso, garante escoamento da produção de pescado, alavanca o turismo e possibilita mais rapidez no acesso à capital do Maranhão e ao estado do Pará.

“A Ponte sobre o Rio Pericumã é um sonho não apenas da cidade de Bequimão, mas de toda a região. Ela trará desenvolvimento econômico porque vai gerar movimentação no setor de comércio do pescado, de serviços e trazer empregos,” afirma o governador Flávio Dino.

Chegada de materiais

Caminhões carregados com materiais e peças de aço para a construção da nova etapa da ponte chegaram na última semana ao Maranhão e vão ajudar a iniciar a etapa de colocação das vigas de sustentação.

“Podemos assegurar à população do Maranhão, principalmente da região da Baixada, que espera essa obra há muitas décadas, que a obra está sendo executada com qualidade, com precisão técnica e é o nosso compromisso cumprir as etapas seguintes para concluir a obra e alcançar mais esse grande êxito da engenharia maranhense”, completa Noleto.


Equipes técnicas discutem próximas etapas da construção da ponte Central-Bequimão

Tecnicos-Ponte-Central-BequimaoA equipe técnica de engenharia da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra) participou, na quarta-feira (20), no Palácio Henrique de La Roque, em São Luís, de reunião para alinhar detalhes de uma das obras mais aguardadas pela população da região da Baixada Maranhense, a construção da ponte Central-Bequimão sobre o Rio Pericumã.

Os representantes da empresa responsável pela obra, Fábio Bonfim e Sávio Dilascio, apresentaram as etapas do trabalho que serão realizadas e discutiram as técnicas a serem aplicadas para estruturar o projeto. Eles explicaram que os procedimentos que serão aplicados garantem a segurança dos trabalhadores que atuam na execução da obra e da comunidade que utilizará a ponte depois da conclusão dos trabalhos.

Fábio Bonfim apresentou modelos de pontes importantes em diversos estados do país e, também, projetos internacionais, em que foi utilizada a Técnica de Empurramento, a mesma que será usada nas obras da ponte, que está sendo erguida em um trecho entre os municípios de Central e Bequimão.

Com a utilização dessa técnica, segundo Fábio Bonfim, 90% da obra é feita em terra, o que garante mais estabilidade e segurança. Após concluída a pré-montagem do material, o empurramento das estruturas é feito sobre os pilares, o que garante a formação da ponte.

Atualmente, as obras preliminares, que incluem estudos geotécnicos e mobilização de equipamentos, estão avançadas. Com a central de concreto instalada, será possível o avanço das fundações e pilares na margem Bequimão. O secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto, destacou os trabalhos que estão sendo realizados para que mais essa obra seja entregue pelo Governo do Estado à população.

“O Governo do Estado está empenhado para que essa obra seja mais um grande passo de desenvolvimento para o Maranhão e, sobretudo, para essa região que tanto aguardou essa ponte. Estamos trabalhando com estruturas de mecânica pesada, com uma obra de altíssima complexidade, e temos certeza que a população terá uma obra digna, bem estruturada, para que possamos comemorar juntos mais essa vitória”, disse Clayton Noleto.

Novas estruturas

Nesta semana, 16 carretas chegaram ao Maranhão com novas estruturas que darão início a fase de pré-montagem da ponte. Segundo a equipe técnica, após a conclusão dessa fase dos trabalhos, esses equipamentos serão tracionados sobre os pilares, formando a futura pista de rolamento de veículos.

A ponte terá 589 metros de extensão. É uma obra de alta complexidade técnica e um sonho aguardado, há anos, pelos moradores da Baixada Maranhense. A ponte interligará 10 municípios da Baixada Maranhense e diminuir a distância de deslocamento aos moradores da região em até 125 quilômetros. A obra sobre o Rio Pericumã é de alta complexidade técnica e vai interligar mais de 10 cidades.


“Há 50 anos escuto sobre isso. Agora vai sair”, diz morador sobre ponte Central-Bequimão

Raimundo AlmeidaQuando viu diversas carretas passando pela estrada que vai até as margens do Rio Pericumã, Raimundo Almeida, de 75 anos, custou a acreditar que os veículos levavam o material para a construção da ponte Central-Bequimão. É que faz décadas que ele e os demais moradores da região esperam essa obra ser feita.

“Tá com 50 e poucos anos que eu escuto sobre isso, sobre essa ponte. Eu ouvia dizer que ia ter uma ponte, mas era só promessa que tinha. Agora vai sair”, diz Almeida, morador de Bequimão.

As carretas chegaram nesta semana com o material da estrutura da ponte, um compromisso firmado pelo governador Flávio Dino e que em breve será concretizado.

Com extensão de 589 metros, a ponte vai interligar 10 municípios da Baixada Maranhense e diminuir a distância de deslocamento dos moradores da região em 125 quilômetros.

“É um momento histórico, uma obra de grande importância social e econômica para toda a região do Litoral Ocidental maranhense. Vai promover o escoamento da produção e estimular a indústria do turismo”, diz o secretário adjunto de Comunicação Social e diretor da Nova 1290 Timbira, Robson Paz. Ele esteve em Bequimão para acompanhar a chegada das carretas no aniversário de 83 anos da cidade, na terça-feira (19).

ponte_central_bequimao

Empregos

Além de desenvolver toda a região, a obra também tem gerado postos de trabalho. Um deles ficou com o motorista José Milton Pereira: “É muita honra trabalhar aqui. Vai beneficiar muito o povo, não só de Bequimão, mas de outras cidades. O governador chegou para fazer essa obra, que era um anseio do povo há muito tempo. O povo queria essa ponte e nunca tinha sido realizada. É um grande avanço para o povo do Maranhão”.

Para César Cantanhede, líder comunitário, “essa obra é um anseio de muito tempo; o governador se sensibilizou e conseguir trazer esse sonho para a nossa realidade”.

Complexidade

A ponte tem um projeto de engenharia de grande complexidade técnica, chegado a ter 26 metros de espessura de solo mole, e influência do rio e da maré. Há pontos em que a profundidade da estaca chegará a 40 metros. Isso representaria, numa comparação, um prédio de 20 andares.


PMDB de Roseana entra na Justiça contra obras da ponte Central-Bequimão

Do Blog do John Cutrim

roseana-e-zc3a9-martinsO PMDB, partido da ex-governadora Roseana Sarney e do presidente Michel Temer, manobra na Justiça para tentar interromper as obras da Ponte Central-Bequimão.

A sigla impetrou representação no TRE por suposta propaganda eleitoral antecipada, após o governo do Estado divulgar imagens de carretas chegando ao Maranhão com o material para a construção da ponte sobre o Rio Pericumã. A ação movida pelo PMDB é vista como mais uma tentativa do grupo Sarney em judicializar as eleições no estado.

Digitais do coronelismo

Aliado de Roseana, o prefeito de Bequimão, Zé Martins (também do PMDB), chegou a mandar a Guarda Municipal interditar a principal via de acesso ao Centro do município para impedir a passagem das carretas pelas principais vias cidade.

Transparência administrativa

Na representação, o PMDB usa como argumento postagem do governador Flávio Dino (PCdoB) comemorando a chegada das estruturas da ponte. Desde que iniciou sua gestão, Dino se notabilizou por usar as redes sociais para comunicar as ações de governo. Para o governador, isso representa “transparência administrativa em tempo integral”.

Flávio Dino se posicionou sobre a estratégia judicial do partido de Roseana. “Querem usar o Judiciário para impedir coisas boas para a população. Uma vergonha”, lamentou.


Flávio Dino anuncia chegada das estruturas da ponte Central-Bequimão

WhatsApp Image 2018-06-17 at 13.58.49O governador Flávio Dino anunciou neste domingo (17) em sua conta nas redes sociais que as estruturas da ponte Central-Bequimão estão chegando ao Maranhão.

“Mais uma “lenda” que estamos enfrentando: a Ponte Central-Bequimão. As estruturas estão chegando ao Maranhão, em dezenas de carretas.”, escreveu Flávio Dino.

A obra de alta complexidade terá 589 metros de extensão sobre o Rio Pericumã e vai beneficiar a população dos municípios de Bequimão e Central do Maranhão, além  das cidades de Apicum-Açu, Bacuri, Serrano do Maranhão, Guimarães, Cururupu, Porto Rico, Cedral, Guimarães, Central e Mirinzal.

WhatsApp Image 2018-06-17 at 13.58.50

“A Sinfra tem orgulho de fazer parte deste grande projeto de desenvolvimento do Maranhão!”, afirmou o secretário Clayton Noleto (Infraestrutura).

O secretário adjunto de Comunicação e diretor da Rádio Timbira, Robson Paz, também comemorou a chegada das estruturas da ponte Central-Bequimão. “Sonho da ponte Central-Bequimão vai ganhando forma a cada dia. Uma conquista histórica para Bequimão e toda região”, disse.


Obra do novo terminal do Cujupe vai beneficiar mais de 2 milhões de usuários


Moradores fazem mutirão para recuperar Avenida Antônio Dino em Bequimão; veja

Os moradores realizaram mutirão para tapar os buracos da avenida Antônio Dino. Serviços que deveriam ser realizados pela prefeitura de Bequimão. Uma das principais vias da cidade foi tomada por buracos. A população reivindicou os serviços, mas a prefeitura apenas colocou a piçarra no local. Cansados de esperar os moradores resolveram tapar os buracos.

Assista: