Aliado da família Sarney vai gerir urna eletrônica no Maranhão

Folha de São Paulo

A gestão das urnas eletrônicas nos 217 municípios do Maranhão ficará a cargo de uma14252687 empresa cujo dono tem vínculos com o marido da governadora Roseana Sarney (PMDB), Jorge Murad. E ainda há indícios de ligação com o próprio candidato a governador do grupo político do ex-presidente José Sarney, o senador Lobão Filho (PMDB).

Vencedora de uma licitação promovida pelo TRE-MA (Tribunal Regional Eleitoral), a Atlântica Serviços Gerais foi contratada em 28 de agosto por R$ 2.999.499 para cuidar de uma série de serviços com as urnas no dia da eleição.

A firma deverá colocar 616 empregados para fazer, entre outras coisas, transporte e armazenamento dos equipamentos, troca de máquinas com defeito, carregamento de softwares e transmissão dos resultados para o TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Até 2010, parte disso era feito por uma única empresa contratada pelo TSE. Neste ano, o leque de atividades terceirizadas aumentou e a contratação foi descentralizada. Cada um dos 27 TREs faz a sua.

A Atlântica pertence ao empresário Luiz Carlos Cantanhede Fernandes, que tem ligações com membros do clã Sarney, que domina a política local há décadas.

Em 2002, quando Roseana era pré-candidata à Presidência pelo PFL (atual DEM), Cantanhede ficou conhecido quando a Polícia Federal, numa apuração sobre caixa dois, apreendeu R$ 1,3 milhão em dinheiro vivo na empresa Lunus, de Roseana e Murad.

Ao falar sobre a origem do dinheiro, Murad afirmou que uma parte era de Cantanhede, seu sócio numa pousada.

Já a proximidade com Lobão Filho, primogênito do ministro Edison Lobão (Minas e Energia), tornou-se pública em 2012, quando um iate naufragou na baía de São Marcos, na costa de São Luís.

Cantanhede era um dos tripulantes. Após o susto, ele deu entrevista à imprensa local. Um dos veículos registrou uma fala do próprio empresário explicando que a lancha era dele e de Lobão Filho “em cotas de 50% cada um”.

Em nota, Lobão Filho afirmou que vendeu uma lancha para Cantanhede, mas que eles nunca foram sócios.

DOCUMENTAÇÃO

Na disputa pelo contrato do TRE-MA, a Atlântica apresentou apenas o sexto melhor preço do pregão eletrônico. Três empresas com preços melhores foram desclassificadas por erros na documentação. Outras duas não confirmaram a proposta original.

A suspeição por proximidade com um dos candidatos não é a única dúvida que paira sobre o contrato firmado entre o TRE-MA e a Atlântica.

Na segunda (8), o presidente do PC do B local, Marcio Saraiva Barroso, entrou com uma representação no TSE pedindo cancelamento da licitação por “ilegalidade”.

Barroso afirma que a empresa entregou um documento falso no processo licitatório para comprovar seus índices de liquidez e solvência.

O papel anexado como sendo da Atlântica Serviços Gerais é da Atlântica Segurança, uma outra empresa de Cantanhede, com outro CNPJ.

A Atlântica Segurança tem contratos com alguns órgãos do governo Roseana. O mais conhecido é o da terceirização da guarda do complexo penitenciário de Pedrinhas, no interior do Estado, palco de mais de 60 assassinatos de presos em 2013, muitos deles com tortura e decapitação.

Cantanhede não foi encontrado para comentar. O TRE-MA diz que só o timbre do papel anexado estava errado, não o conteúdo.


Lobão autoriza aumento de 25% para conta de luz no Maranhão

Do Maranhão da gente

edinho-sarney-roseana-e-lobão-550x309O Maranhão terá aumento na conta de luz maior que o de Brasília. Enquanto o governo federal autorizou aumento de 18,88% para a capital federal, que tem a maior renda per capta do Brasil, o Maranhão, com a segunda pior renda per capta do Brasil, teve aumento de 24,12%. A área de energia no Brasil é comandada pelo maranhense Edison Lobão, no Ministério de Minas e Energia.

O reajuste é válido para todos os 217 municípios maranhenses já a partir da próxima quinta-feira.

A autorização para o reajuste de energia foi dado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) à Companhia Energética do Maranhão (Cemar). A Cemar foi privatizada em 2000, sob comando da governadora Roseana. Recentemente, membros do governo Roseana defenderam a privatização também da Caema, estatal responsável pelo abastecimento de água no Maranhão.


Flávio Dino fará carreata nesta quinta em Bequimão

Blog do Elanderson

Arte - CarreataO Candidato a Governador do Estado do Maranhão pela coligação Todos pelo Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), realizará uma grande carreata, nesta quinta-feira, (31), no município de Bequimão.

“A previsão de chega do candidato Flávio Dino ao município de Bequimão será as 15h. No entanto, a concentração dos aliados e simpatizantes da candidatura do Flávio será a partir das 14h no Ramal de Bequimão. Toda a população de Bequimão está convidada a recepcionar e participar dessa grande carreata do nosso próximo governador”, disse o Vereador Elanderson Pereira.


Justiça Federal suspende Fundema por suspeitas de corrupção

Do Jornal Pequeno

Roseana está pribida de transferir recursos do BNDES para o Fundema

Roseana está pribida de transferir recursos do BNDES para o Fundema

A alegação acolhida pelo juiz federal Jorge Ferraz de Oliveira Júnior, que responde pela 5ª Vara da Justiça Federal no Maranhão, é de que a burla às leis de fiscalização, a aprovação da lei em menos de 10 dias e a proximidade das eleições são indícios suficientes para pedir a imediata suspensão da transferência direta dos valores provenientes do empréstimo do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social), pelo Fundema.

Violação de cláusulas do contrato com o BNDES e desrespeito à Lei de Licitações (lei 8.666/93) foram apontados na decisão como fatores indicativos de que a lei que instituiu o Fundema pudesse ter desvio de finalidade.

A lei aprovada a toque de caixa pela Assembleia Legislativa, de acordo com a decisão, “permite que recursos sejam utilizados para pagar obras anteriores às transferências de recursos para o Fundema”, inclusive liquidando obras anteriores ao empréstimo. Isso faria com que as contratações feitas para a execução desses serviços não pudessem ter a fiscalização necessária, a começar pela não publicação do aviso de licitação no Diário Oficial da União.

Segundo o juiz, há grande possibilidade de que os R$ 4,5 bilhões resultantes de empréstimos feitos pelo Governo do Estado na gestão de Roseana Sarney (PMDB) possam ser usados com fins eleitoreiros. Com base no parecer da Procuradoria Geral da República, que atestou o uso de convênios para comprar apoio político e eleitoral nas eleições de 2010, o juiz federal afirmou que “a proximidade das eleições impõe a imediata concessão da liminar”.

A decisão foi originada de Ação Popular movida pelos deputados Marcelo Tavares (PSB), Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Othelino Neto (PCdoB) e Bira do Pindaré (PSB), que denunciaram à Justiça Federal a probabilidade de que o valor emprestado pelo Governo Federal fosse desviado em “transações eleitoreiras”.

O juiz afirmou ainda que a lei, nos moldes como foi aprovada, não dotou mecanismos de fiscalização, transparência e controle adequados. Em clara referência a casos de corrupção, Jorge Ferraz Júnior afirmou que a liminar tem por objetivo maior “evitar prática comum em diversas ações por improbidade”, como saque na boca do caixa. Esse tipo de uso da verba pública exige maior fiscalização de aplicação dos recursos e transparência nas transações financeiras na administração pública, “cautela essa que a lei instituidora do Fundema não adotou”, diz a decisão.

Com a liminar emitida ontem e encaminhada à governadora Roseana Sarney, ao secretário João Bernardo Bringel (Planejamento) e Luciano Coutinho, presidente do BNDES, o Governo do Estado volta a ser o gerente dos mais de R$ 4,5 bilhões adquiridos em empréstimos feito junto ao Governo Federal ao longo de 3 anos – restabelecendo as regras do contrato firmado para que o próprio Governo Estadual seja o responsável pelas obras.


Convenção do PTC aclama Flávio Dino

Blog do Garrone

Flávio e Edivaldo: união para o futuro de São Luís contra a perseguição do governo Roseana Sarney

Flávio e Edivaldo: união para o futuro de São Luís contra a perseguição do governo Roseana Sarney

O auditório Fernando Falcão da Assembleia Legislativa ficou pequeno para o grande público que prestigiou a convenção estadual do PTC, nesta tarde de segunda-feira (30), que sacramentou a participação do partido na aliança que apoiará as candidaturas de Flávio Dino ao governo, Roberto Rocha ao Senado e a chapa de candidatos a deputado federal e estadual.

Comandada pelo presidente do PTC, ex-deputado Edivaldo Holanda, a legenda se junta oficialmente aos outros oito partidos já haviam realizados suas convenções. O ponto alto da festa foi a chegada do candidato Flávio Dino, acompanhado do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) e do candidato ao Senado, Roberto Rocha (PSB). O trio foi ovacionado pela militância.

Para o candidato Flávio Dino, a convenção do PTC foi uma confraternização de homens e mulheres que querem o bem do Maranhão e mudar a forma de governar o Estado. “Eu caminhei rua a rua, bairro a bairro com Edivaldo durante a campanha de 2012 e sabíamos dos problemas que enfrentaríamos e sei as dificuldades que Edivaldo está enfrentado, mas sabem qual é o meu grau de arrependimento? É zero”.

Dino advertiu que Edivaldo está sendo atacado porque tem lado e está com a oposição, “por isso, o governo, não faz um único convênio com a Prefeitura de São Luís e penaliza mais de 1 milhão de pessoas, porque não tem Deus no coração, mas posso garantir que em meu governo vou ajudar São Luís e todas as cidades do Maranhão. Vamos fazer um governo sem ódio e sem perseguição”, observou.

A convenção do PTC contou com as presenças de representantes de todos os partidos que integram a aliança que pretende mudar a forma de governar e colocar o Maranhão nos trilhos do desenvolvimento.


Flávio Dino tem 58,2% contra 20,7% de Edinho Lobão

Do blog A República

IMG-20140625-WA0000Em mais uma pesquisa realizada pelo Instituto DataM e contratada pelo jornal Atos e Fatos traz números já conhecidos nos últimos levantamentos.

Caso as eleições fossem hoje, o pré-candidato da oposição, o ex-presidente da Embratur Flávio Dino(PC do B) venceria a disputa com Edison Lobão Filho (PMDB) no primeiro turno. No levantamento concluído esta semana, Dino teria 58,2% dos votos contra 20,7% de Edinho Lobão Filho, apoiado pela governadora Roseana Sarney.

Edinho não teve nenhum crescimento na pesquisa mesmo em conversas com aliados políticos dos Sarneys pelo Maranhão.

Em um eventual segundo turno, Dino também venceria com quase 63% contra cerca de 22 de Lobinho, filho do ministro de Minas e Energia, o senador licenciado Edison Lobão. Edinho também tem o maior índice de rejeição, 31%. A pesquisa foi realizada em 50 municípios e ouviu 1499 eleitores de todas as regiões do estado entre os dias 18 e 23 de junho e está registrada na Justiça Eleitoral.


Comissão discute problemas nos serviços de ferryboat

Da Agência Assembleia

Audiência pública, realizada em Pinheiro, reuniu deputados, população, empresas e Emap

Audiência pública, realizada em Pinheiro, reuniu deputados, população, empresas e Emap

A Comissão de Obras e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa realizou, nesta sexta-feira (20), audiência pública para discutir os problemas nos serviços de ferryboat prestados principalmente para a região Baixada Maranhense. Os debates aconteceram no auditório do Instituto Educacional Marçal, reunindo representantes da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), e das empresas Serviporto e Internacional Marítima, que possuem a concessão para explorar o serviço.

A audiência foi conduzida pelos deputados estaduais Othelino Neto (PCdoB) e Bira do Pindaré (PSB), com as presenças de representantes de vários municípios da região, das empresas, e do Ministério Público. “Nós discutimos aqui os problemas na expectativa de sair daqui com proposições até com compromissos firmados”, disse Othelino Neto.

“Não só como usuário dos serviços de ferry, mas na Assembleia recebemos muitas reclamações sobre a qualidade dos serviços. E, mais que reclamar disso publicamente, assim como outros colegas já fizeram, a exemplo do deputado Bira [do Pindaré – PSB], acredito que o diálogo seja a melhor saída. Nós poderíamos ter feito uma conversa em São Luís, mas com certeza teríamos mais efeito fazendo aqui na Baixada”, argumentou o parlamentar.

Logo no início, Othelino Neto fez uma espécie de preâmbulo, falando sobre os problemas estruturais que começam no porto da Ponta da Espera, em São Luís, atualmente em reforma. Outro aspecto tratado foi a questão de descentralizar a venda de passagens, criando postos em municípios da região, assim como mais formas de pagamento. “Mas a questão da segurança me inquietou muito. Eu pelo menos não percebi alguém que fosse capaz de fazer um serviço de segurança maior, caso necessário. Também não vi pessoas especializadas em fazer algum serviço de atendimento de saúde”.

Bira do Pindaré listou uma série de problemas que acontecem cotidianamente, mas citou um assunto já tratado na tribuna da Assembleia Legislativa, que o motivou a encaminhar uma Indicação ao governo do Estado. “Há um mês e meio tentei utilizar os serviços e não foi possível devido a um protesto realizado por passageiros. Foi uma situação difícil, que as pessoas, pela revolta, ameaçaram colocar fogo no porto. E acredito que isso não deve ter sido a primeira vez que aconteceu. Então é necessário discutirmos esses assuntos e buscarmos as soluções necessárias”, cobrou.

Reclamações

A seguir, os questionamentos foram abertos a população. O primeiro a falar foi Giovanni Melo, que ressaltou a importância do evento e fez um relato sobre experiências anteriores que tinham o mesmo objetivo de melhorar os serviços de ferry. Ele abordou a questão dos preços e a qualidade dos serviços prestados: “Não dá para entender, porque São Luís está aqui pertinho. Além disso, uma das empresas que trabalha aqui com ferry também trabalha na Bahia e com uma qualidade bem melhor. Fiz uma pesquisa rápida na internet e vi isso. Se você quiser, tem que pagar com dinheiro em espécie porque não aceitam cartão, seja de débito ou crédito”.

Ângelo Rayol também reclamou da falta de postos para a compra de passagens, além da grande fila de espera. Ney Pereira, presidente da Associação de Moradores do povoado Ponta de Santana, reclamou da falta de limpeza, principalmente nos banheiros. “Isso não existe. Quem entra em um banheiro desses pode até sair doente”, argumentou.

A questão dos banheiros e preços altos e maior facilidade em compra de passagens também foram levantados pelo ex-vereador de Pinheiro, Erasmo Leite, que pediu uma melhoria na frota de ferries. “Sei que esse é um processo longo, mas dá para fazer isso”.

Já o vereador Stélio Cordeiro solicitou que a idade de sete anos seja estipulada pra que as passagens de crianças comecem a ser cobradas. “Vi gente idosa com dificuldades para pegar o ônibus. Hoje, esse trajeto é enorme com uma obra que já dura quase três anos. Então é necessário que os motoristas destas empresas sejam orientados a facilitar a vida dessas pessoas”. Outro vereador de Pinheiro, Enézio Vitorino Ribeiro, lembrou que alguns dos ferries não possuem mais condições de realizar a travessia para a Baixada. “Há três meses ficamos mais de 18 veículos esperando na fila, sem poder embarcar. É necessário ferries extras, quando há lotação máxima. A situação é precária e precisa melhorar”.

A vereadora Selma solicitou que durante os desembarques, sejam retirados primeiro os passageiros, para em seguida, saiam os veículos. Outro parlamentar de Pinheiro, Válber Soares reclamou da falta de elevadores ou outros mecanismos que possam ajudar no transporte de passageiros, principalmente aqueles como capacidade de locomoção reduzida. O vereador João Moraes também falou sobre a questão da falta de segurança. “Em alguns ferries há um absurdo enorme. Nos colocam em lugares trancados com cadeados. Se houver alguma emergência, morre todo mundo ali”, reclamou.

Vereador de Bequimão, Ellanderson Pereira ressaltou vários aspectos que deixam a desejar, dentre eles a falta de higiene, altos preços cobrados por alimentos, a falta de padronização nos estacionamentos de veículos e na cobrança de passagens. “Todas estas são questões que vão trazer um conforto mínimo aos passageiros, mas que são extremamente necessários e que podem facilmente serem resolvidos, como por exemplo a cobrança de passagens para crianças menores de sete anos, que ao meu ver é abusiva”, argumentou.

Empresas

Diretor de operações da Emap, José Antônio Alves Magalhães disse que as reformas na Ponta da Espera devem ser concluídas em até 40 dias, e em seguida serão melhoradas as instalações no Porto de Cujupe, em Alcântara. “Nossa expectativa é que com essa conclusão, com certeza os serviços para os passageiros serão melhorados. Posso observar, também, que já procuramos as empresas de telefonia, para que os serviços de comunicação sejam melhorados. Mas este é o caminho. Uma vez que se depara com algum problema, buscar a diálogo e a solução deles”.

Em uma explanação técnica, o representante da Internacional Marítima, José Roberto Franciscone disse que a empresa está finalizando um site específico para a venda de passagens via internet e que vai tratar de melhorias nas lanchonetes e banheiros, e disse que existe uma defasagem nos preços de passagens. “Hoje nós temos algo mais ou menos como mais de R$ 1 milhão em despesas e pouco mais de R$ 900 mil em receita, mensalmente. Então porque não se fecha? Porque é um serviço público que precisa estar em atividade. Precisamos, também, tratar desta questão, até para realizarmos maiores investimentos, ter uma contrapartida do poder público”, argumentou.

O diretor também solicitou que a Secretaria de Infraestrutura (Sinfra) prepare uma nova concorrência no serviço, levando em consideração os aspectos geográficos locais. “As condições de maré e de mar daqui, aumentam os custos de operação e manutenção. Os elevadores, por exemplo, não duram nem um ano devido a grande quantidade de salitre”.

A outra empresa operadora do serviço, a Serviporto, foi representada pelo engenheiro Landrin Sadin, que disse listou o que está sendo feito para diminuir estes problemas. “Cada item destes citados aqui, estamos procurando uma melhor solução. Ainda não é o satisfatório, mas melhoraram nos últimos anos e pretendemos melhorar mais. Em outubro receberemos uma nova embarcação, Cidade Araioses, que procuramos adequar algumas melhorias, com espaço para 1500 passageiros e modificações em banheiros. O que se faz e o que se espera é que haja um consenso de todas as partes envolvidas sobre as responsabilidades de cada um, seja o poder público, os passageiros e as empresas”.

O assessor jurídico da Sinfra Adriano Cassique disse que uma empresa já foi contratada para melhor gerir o sistema, e que será responsável por elaborar um estudo que faça um diagnóstico geral sobre o sistema aquaviário no Estado. “Nós vamos ter o conhecimento de como funciona o sistema. Quanto custa? Quais os problemas? Essas questões todas precisam ser conhecidas e isso vai nos dar um panorama mais abrangente, para que possamos buscar as soluções adequadas”, argumentou.

Após os debates, ficou marcada a realização, no dia 27 de junho, de reunião com representantes das empresas, mas em São Luís, na Assembleia Legislativa. Lá serão tratadas questões sobre a instalação de um posto de venda de passagens em Pinheiro, além das vendas de passagens com a utilização de cartões de crédito e/ou débito.

Além de Pinheiro e Bequimão, foram convidados representantes dos municípios de São João Batista, São Bento, Santa Helena, Cururupu, Cajapió, Cedral, Alcântara, Bacurituba, Palmeirândia, Porto Rico, São Vicente Ferrer, Guimarães, Mirinzal, Central do Maranhão e Peri Mirim.


Unidade de saúde fechada há mais de ano, denuncia vereador

Construída em dois mese e inaugurada em 2012...

Construída em apenas dois meses e inaugurada em 2012…

O vereador Elanderson (SDD) voltou a denunciar em seu blog o abandono da Unidade Básica de Saúde, no povoado Jacioca, município de Bequimão pela gestão do prefeito Zé Martins (PMDB).

“Falta de humanidade na saúde em Bequimão. (…) Gestão Zé Martins (PMDB) deixa a UBS do Jacioca um ano e dois meses sem funcionamento”, denuncia o vereador.

A UBS foi inaugurada dezembro de 2012 pelo ex-prefeito Antônio Diniz.

Elanderson compara o abandono da unidade pelo prefeito à também interminável obra do hospital do Programa Saúde é Vida, do governo Roseana Sarney, que está sendo construído no município, desde  2010.

... está há um ano e dois meses sem atendimento a pacientes

… está há um ano e dois meses sem atendimento a pacientes

“Ambos os “gestores” (prefeito e governadora) são especialistas em marcar várias datas  de inauguração e adiá-las”, afirma o vereador.

Em relação a UBS do Jacioca, segundo ele, a primeira data anunciada pela prefeitura para o pleno funcionamento da UBS foi no mês de agosto de 2013, depois outubro de 2013, posteriormente janeiro de 2014.

“A desculpa para o não funcionamento da UBS do Jacioca, pasmem, seria a confecção de um muro ao redor dessa unidade de saúde. Como se os tijolos fossem atender os pacientes enfermos”, lamenta Elanderson.

Simples reparos e muro estão sendo feitos há quatro meses. Sem conclusão

Simples reparos e muro estão sendo feitos há quatro meses. Sem conclusão

A construção do muro começou no final de outubro do ano passado, além de reparos, necessários porque a UBS do Jacioca ficou dez meses abandonada pela atual gestão, sendo inclusive alvo de vândalos e saqueadores.

O vereador afirma ainda que a “obra de reparos” foi iniciada na UBS do Jacioca ainda não foi terminada. A UBS foi construída em menos de dois meses pelo gestor anterior e os reparos não foram concluídos em quatro meses.

Com isso, a população continua tendo que se deslocar até a sede do município para fazer um simples curativo, medir a pressão arterial, fazer uma consulta, etc.

“Já faz alguns meses que a equipe do Programa Saúde da Família não visita o Povoado Jacioca por ‘falta de local’ para a equipe se instalar e executar os trabalhos”, disse Elanderson.

Leia mais

Abandonada pela prefeitura, UBS do Jacioca é alvo de vandalismo

Nota da prefeitura confirma abandono da UBS Jacioca


Senado: pesquisa aponta vitória de candidatos da oposição

Do Jornal Pequeno

JP24492.1Pesquisa Amostragem/Jornal Pequeno apurou que, se as eleições para o Senado Federal fossem hoje, a oposição venceria contra qualquer um dos pré-candidatos da família Sarney. Na disputa entre Roberto Rocha e Roseana Sarney, o vice-prefeito da capital tem vantagem de 43,69% contra 35,38% da governadora. 13,85% votariam em branco ou nulo e 7,08% não sabem ou não opinam.

A vantagem dos candidatos da oposição é mantida em um cenário em que José Reinaldo Tavares disputa com Roseana Sarney. Segundo a pesquisa, o ex-governador teria 38,15% dos votos dos maranhenses contra 36,23% alcançados por Roseana. Neste cenário, 16,85% disseram que votariam em branco ou nulo e 8,77% não souberam ou preferiram não opinar.

Quando a disputa acontece contra o ministro do Turismo, Gastão Vieira, a vantagem da oposição permanece. Numa possível disputa entre Gastão e Roberto Rocha, o pré-candidato da oposição teria 38,77% dos votos contra 23,77% do pré-candidato do governo. Brancos e nulos somam 19,62% e não sabem ou não opinam, 17,85%.

No cenário em que os pré-candidatos são José Reinaldo Tavares e Gastão Vieira, a oposição também aparece em vantagem. Se as eleições fossem hoje, Tavares teria 32,38% contra 26,54% de Gastão Vieira. Brancos e nulos (19,77%) e não sabem ou não opinam (21,31%).

A pesquisa Amostragem verificou, também, o cenário entre os pré-candidatos do governo contra o deputado federal Domingos Dutra na disputa pelo Senado. No embate contra Roseana Sarney, Domingos Dutra teria 30,92% contra 38,54% de Roseana. Brancos e nulos somam 17,69% e não sabem ou não responderam, 12,85%.

Já na disputa contra Gastão, Dutra teria 19,62% de votos contra 30,54% do ministro do Turismo. Brancos e nulos somam 23,31% e não sabem ou não opinam, 26,54%.

Pesquisa Amostragem – O Jornal Pequeno divulga desde domingo (18) levantamentos feitos pelo Instituto Amostragem dos cenários pré-eleitorais e de avaliação do governo do estado. A pesquisa apontou que o pré-candidato da oposição na disputa pelo governo do Estado também venceria as eleições. Flávio Dino, presidente da Embratur, tem vantagem em todos os cenários e venceria as eleições em primeiro turno.

O Instituto Amostragem entrevistou 1.300 pessoas em 40 municípios maranhenses entre os dias 9 e 11 de agosto. A amostra tem margem de erro de 2,66% para mais ou para menos.