VÍDEO | Avançam as obras da ponte Central-Bequimão

A Ponte Central-Bequimão está sendo construída para interligar 10 cidades da Baixada e reduzir viagens em até 125 km. Após a construção do aterro de conquista para o canteiro de obras, foram cravadas as estacas de aço e estão sendo construídos os primeiros blocos de concreto da ponte, que terá 600 metros de extensão.


Filuca Mendes e Sarney Filho voltam a atacar construção da ponte Central-Bequimão

contra a ponteO ex-prefeito de Pinheiro Filuca Mendes e o deputado federal Sarney Filho atacaram a construção da ponte Central-Bequimão.

Secretário de Cidades do governo Roseana Sarney, Filuca foi incapaz de construir a ponte do Balandro com 72 metros de extensão. E não foi por falta de recursos. Na gestão do pai do deputado federal Victor Mendes foi pago mais da metade do valor empenhado para a execução da obra e a ponte não saiu do papel.

Pois bem, o indigitado sarneysista com passagem nebulosa na Secretaria de Cidades, segundo o sucessor Pedro Fernandes, esteve no fim de semana em Bequimão para inaugurar um comitê eleitoral e pôs se a atacar a maior obra em construção na região: a ponte Central-Bequimão.

“A ponte Central-Bequimão é a maior enganação que já vi no mundo”, atacou ao afirmar falsamente que nenhuma estaca havia sido fincada na construção. Dias antes, o secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, visitou a obra, que está em pleno andamento.

Sem a menor pudor, Sarney Filho disse que o projeto executivo e os recursos foram deixados por Roseana Sarney. Duas inverdades. “Essa ponte aqui é piada”, disse ele.

Do alto de sua ‘experiência’ como engenheiro, Filuca afirmou que a ponte não será construída.

Ficou a dúvida se falava amparado nas próprias práticas frustradas da não construção de uma pequena ponte ou se no acordo entre ele e Sarney Filho, revelado por Edinho Lobão, para impedir a construção da ponte ligando o Litoral à Baixada e São Luís.sf-filuca-ponte

Filuca e Sarney Filho parecem não tolerar ver o sonho da população virar realidade. Terão de se acostumar pois todas as pesquisas mostram que Flávio Dino vencerá a eleição no primeiro turno e o trabalho na ponte vai continuar.


Trabalho como valor fundamental

Por Flávio Dino

ponte_central_bequimaoUm dos valores que devem nortear a administração pública no Brasil, em meio a uma conjuntura política conturbada que enfrentamos nos últimos anos, é a dedicação ao trabalho. Este é um quesito cada vez mais imprescindível, quando o país diz cada vez mais claramente que não mais comporta os privilégios que eram concedidos a grupos políticos e familiares.

Entendi, durante os quase 30 anos de atuação como servidor público, que esse era o caminho correto a seguir. Foi essa percepção de uma vida de trabalho que trouxe ao comando do Poder Executivo estadual, junto com toda a equipe, que tem uma visão avançada e humanizada de atuação.

Como exemplo atual da nossa dedicação a metas sérias, menciono obras em execução como a ponte Central/Bequimão. Iniciamos a última semana com o deslocamento das estruturas para a tão sonhada ponte Central-Bequimão, possibilitando à população do Litoral Ocidental uma importante ligação rodoviária, esperada há décadas. São 10 municípios diretamente beneficiados com a ponte, que interligará pessoas, polos produtivos e rotas de turismo.

Este é um dos sonhos maranhenses que estamos tirando do papel, como resultado de um trabalho diário de mais de três anos. Para vermos essa realidade se concretizar, passamos pelas fases necessárias antes do início das obras, que vão desde o projeto, a licitação da implantação e compra das estruturas que chegaram há poucos dias na região, enfrentando infelizmente uma oposição irascível dos defensores da velha política.

Outra importante ação que deixa de ser “lenda” para se tornar realidade é a construção da rodovia MA-275, ligando as cidades de Amarante a Sítio Novo. Estivemos lá esta semana, no início dos trabalhos de pavimentação. 40km de estrada de barro e pontes de madeira vão sendo substituídas por uma nova estrada de asfalto, encurtando distâncias e levando mais dignidade à vida da Região Tocantina.

Não são obras isoladas, fazem parte de uma série de ações de infraestrutura que iniciamos e entregamos desde 2015. Do início do nosso governo até hoje, foram mais de 2.500km de asfaltamento, recuperação e inauguração de estradas que interligam cidades, viabilizando a infraestrutura necessária.

Apontamos esses exemplos para mostrar que a atitude do governante pode ser transformadora, trabalhando por ações inovadoras e viáveis nas mais diferentes regiões do estado. Ao longo desses três anos, investimos em políticas públicas sérias e que começaram a trazer mais dignidade a cada uma das regiões maranhenses. Não apenas estamos honrando os compromissos feitos, mas construindo um Maranhão mais justo e com mais oportunidades para todos.

Advogado, 50 anos, Governador do Maranhão. Foi presidente da Embratur, deputado federal e juiz federal.


Carretas com material para a ponte sobre o Rio Pericumã marcam aniversário de Bequimão

O aniversário de 83 anos da cidade de Bequimão, comemorado nesta terça-feira (19), foi marcado pela presença das carretas com o material para a construção da ponte sobre o Rio Pericumã. Os caminhões chegaram nesta semana com toneladas de estruturas para fazer a interligação Central-Bequimão.

“Mais uma ‘lenda’ que estamos enfrentando: a Ponte Central-Bequimão. As estruturas estão chegando ao Maranhão, em dezenas de carretas”, afirmou o governador Flávio Dino.

Estrutura Ponte Central Bequimão

A construção da complexa ponte de quase 600 metros está prestes a se tornar a mais nova ação do Governo do Maranhão no município de 21 mil habitantes.

A ponte vai interligar 10 municípios da Baixada Maranhense e diminuir a distância de deslocamento aos moradores da região em 125 quilômetros.

Desde 2015, o Estado tem feito entregas em diversas áreas na cidade. É o caso do Escola Digna, que já reformou um colégio e está construindo outro. Os estudantes da rede estadual do município já receberam mais de 2,2 mil uniformes no ano passado. E em 2018 o número está se repetindo.

Ainda na Educação, o Governo do Maranhão está presente com uma unidade vocacional do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), com alunos beneficiados pelo Cartão Transporte Universitário e com o Bolsa Escola, que garante a compra de materiais para crianças e adolescentes.


Apoio permanente

Na Saúde, o Governo envia verba para a manutenção de serviços do Hospital Municipal de 20 leitos. Também estão entre as medidas a Carreta da Mulher Maranhense, o Ônibus Lilás, o Mutirão do Glaucoma e atendimentos do Ninar.

O Mais Asfalto já passou pela cidade e vem executando pavimentação de ruas e avenidas. Além disso, foram entregues cinco Sistemas de Abastecimento de Água na cidade, beneficiando centenas de famílias.

A agricultura de Bequimão ganhou reforço com a entrega de toneladas de sementes e a compra de alimentos. Foram construídos dois Diques da Produção para garantir produção o ano inteiro para os agricultores e pescadores, impedindo que a água salgada invada a água doce.


Governador Flávio Dino realiza vistoria técnica em obras da ponte Central/Bequimão

01740_inspecao_a_ponte_central_bequimao_2_1030727819682977429Para acompanhar o andamento das obras de construção da ponte sobre o Rio Pericumã, que ligará Bequimão à Central do Maranhão, o governador Flávio Dino realizou, na manhã desta sexta-feira (9), vistoria técnica ao local. Uma obra de enorme complexidade – considerando a dificuldade do terreno e a influência da água -, já está na finalização do estudo dos solos, para serem  colocadas as estacas de sustentação da ponte.

O governador sobrevoou a região, inspecionou a obra, cujo o canteiro está instalado próximo ao rio do lado de Bequimão, conversou com o engenheiro responsável e a equipe da Secretaria de Estado de Infraestrutura, que executa o projeto. A intenção foi verificar de perto cada detalhe e conferir o cumprimento do cronograma, para assegurar que a ponte, que é um sonho antigo da região da Baixada e do Litoral maranhense, possa finalmente ser levantada.

“Uma obra de enorme importância para toda a região, são pelo menos 10 municípios diretamente beneficiados. As obras estão na fase de sondagem, de preparação do início da colocação das estacas e em mais três meses já teremos as estacas sendo colocadas aqui. O cronograma está mantido, a empresa está aqui presente, a ponte terá o total e 589 metros e envolverá estacas quem podem ter a profundidade de 20 até 40 metros, dependendo do ponto do rio. De modo que é uma obra de enorme importância econômica e social, e também de complexidade, mas nós estamos aqui muito otimistas e animados de que depois de décadas e décadas de promessas e discurso que foram feitos, efetivamente, desta vez, a obra começou e essa é a minha palavra para garantir a todos os moradores dessa região que precisam dessa obra para melhorar suas vidas”, pontuou Flávio Dino durante a visita, que pôde observar que, mesmo diante rígido período de chuva enfrentado, muito já se avançou.

01740_inspecao_a_ponte_central_bequimao_3_5214246770011325167

Com 589 metros de extensão, a ponte tem um projeto de engenharia de grande complexidade técnica, chegado a ter 26 metros de espessura de solo mole, e influência do rio e da maré. O engenheiro que coordena a obra, Madson Siqueira, relata que há pontos que a profundidade da estaca chegará a 40 metros, isto representaria, numa comparação, um prédio de 20 andares, tamanha a complexidade do investimento.

“Estamos na parte de estudo de solo, para ver qual vai ser a profundidade e a fundação mais apropriada, ou seja quais os tipos de estacas que nós vamos cravar. Ainda esta semana a gente termina este estudo na parte de Bequimão, para partir para o lado de Central. Posteriormente vamos para o leito do rio, que é a parte do meio. Além disso, já está sendo fabricado o aço, em São Paulo, para que a gente comece a confeccionar as camisas metálicas (tubos de aço com diâmetro de 1,2m e 1,6m que servem de sustentação da ponte) que vão ser cravadas”, explicou o engenheiro.

O investimento chega a R$ 68 mi. A Sinfra deve licitar em breve a pavimentação dos trechos de acesso à ponte. Serão seis quilômetros de asfalto tanto no município de Bequimão quanto no município de Central do Maranhão.

Os impactos da ponte, para todos os municípios das duas regiões, são os mais diversos, indo desde o escoamento mais rápido da pesca e produção agrícola, e diminuição de distância percorrida entre Bequimão e Central em aproximadamente 150 km, até o fortalecimento do turismo, ao tornar mais conhecidas as belezas do litoral ocidental do Maranhão, pela facilidade no acesso. Mas um benefício já sentido é a geração de emprego.

Morador de Bequimão, Basílio Neto, 36 anos, estava há algum tempo desempregado e agora está trabalhando como pedreiro nas obras de construção da ponte. “É muito bom para a população de Bequimão porque já está melhorando o emprego e vai melhorar a situação do povo da cidade, já que vai aproximar até para comprar comida e vai ter mais desenvolvimento”, contou Neto, que, pelas próprias mãos, está fazendo um sonho antigo de transformar em realidade.

Localizada na MA-211, a ponte dará melhor acesso para as cidades de Apicum-Açu, Bacuri, Serrano do Maranhão, Cururupu, Porto Rico, Cedral, Guimarães e Mirinzal, reduzindo o percurso e solucionando os entraves de mobilidade urbana para os moradores da região e ainda melhorando o acesso até o Pará.


Com maquinário especial, Ponte Central-Bequimão terá primeira etapa concluída

01577_terraplanagem_para_o_acesso_de_construcao_da_ponte_central_bequimao_fotos_mozart_magalhaes_3_7999485762917346282A Ponte Rodoviária sobre o Rio Pericumã, uma das obras mais aguardadas na Baixada, representa um dos grandes desafios para a engenharia maranhense. Uma ponte construída sobre um rio que tem interação de maré e cujos acessos até a chegada à margem são feitos sobre solo mole necessita de planejamento e maquinário especial para sua execução. Com investimentos de R$ 68 milhões, a construção da ponte requer complexa estrutura de engenharia.

São dois canteiros de obras e infraestrutura de deslocamento de equipamentos para fundação da ponte, além de máquinas especiais de grande porte, tais como guindastes de 170 toneladas, equipamentos náuticos, tratores, dentre outros equipamentos.

Mesmo com o período intenso de chuvas deste ano, as equipes técnicas do consórcio responsável pela obra estão concluindo a fundação em área seca da ponte, construída em estrutura mista, composta de concreto e aço, com vigas metálicas.

“As chuvas têm impacto sobre a obra porque se trata de terreno muito mole. Para ter uma ideia, a área de solo mole tem profundidade de 19 a 23 metros. Do ponto de vista prático, é bastante complexo avançar a obra nessas condições”, explica Samuel Rogério Gonçalves, secretário Adjunto de Obras Rodoviários da Secretaria de Infraestrutura (Sinfra).

“Mesmo assim, conseguimos manter o cronograma e evoluir na sondagem de confirmação das estacas e das fundações, etapa importante para a consolidação da obra”, acrescenta.

01577_terraplanagem_para_o_acesso_de_construcao_da_ponte_central_bequimao_fotos_mozart_magalhaes_1_5161371353460538049

A Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) adotou todas as medidas necessárias para que os entraves existentes em matéria de projeto, definição de método construtivo e de sondagem fossem superados. “Agora nós estamos avançando para o início mais efetivo da construção da ponte com as primeiras intervenções já sendo feitas inclusive às margens do Rio Pericumã. Então nós temos um plano de trabalho definido, vamos trabalhar intensamente agora no período de escassez de chuvas nesse segundo semestre, de modo que possamos avançar rapidamente, determinação do governador Flávio Dino para que essa obra seja realizada e entregue à população”, enfatiza, Clayton Noleto, secretário de Estado da Infraestrutura.

Localizada na MA-211, a ponte tem extensão de 589 metros e interligará os municípios de Bequimão e Central do Maranhão, criando acesso para as cidades de Apicum-Açu, Bacuri, Serrano do Maranhão, Cururupu, Porto Rico, Cedral, Guimarães e Mirinzal, reduzindo em até 152 km o percurso e solucionando os entraves de mobilidade urbana para os moradores da região.

Além disso, garante escoamento da produção, alavancagem do turismo e mais rapidez no acesso à capital do Maranhão, São Luís, e ao estado do Pará.
01577_terraplanagem_para_o_acesso_de_construcao_da_ponte_central_bequimao_fotos_mozart_magalhaes_2_490311348289085943
“A Ponte sobre o Rio Pericumã é um sonho não apenas da cidade de Bequimão, mas de toda a região. Ela trará desenvolvimento econômico porque vai gerar movimentação no setor de comércio, serviços e trazer empregos”, disse o governador Flávio Dino ao lançar a obra em setembro do ano passado.

A Sinfra deve licitar em breve a pavimentação dos trechos de acesso à ponte. Serão seis quilômetros de asfalto tanto no município de Bequimão quanto no município de Central do Maranhão

Mais mobilidade para a Baixada Maranhense

Obra historicamente aguardada pela população da Baixada Maranhense, a Ponte Sobre o Rio Pericumã é uma das muitas obras rodoviárias do Governo do Maranhão.   No trecho que liga o município de Governador Nunes Freire a Cujupe, foram 186 quilômetros de asfalto, com investimentos de R$ 3,7 milhões.

Para melhorar o acesso que liga Serrano do Maranhão a Bacuri, a Sinfra recuperou ponte de concreto, investindo R$ 78 mil na obra.  Também foram recuperadas as pontes Liconde e Santa Maria em Cururupu, com investimentos de quase R$ 200 mil.

O Governo também investe mais de R$ 10 milhões em obras do Programa Mais Asfalto com serviços na entrada das MAs 106, em Pinheiro, e 304, em Mirinzal, totalizando 60 quilômetros; na MA-014, na altura do povoado Três Marias, em São Bento até São Vicente Férrer, com serviços  mais de 102 km de extensão, além de 22 quilômetros de asfalto em vias nos municípios de Pinheiro, Santa Helena, Turiaçu, Apicum Açu, Serrano e Bacuri.


Governo cumpre cronograma e inicia preparativos para obras de fundação da ponte sobre Rio Pericumã

foto-4-construcao-de-ponte-sobre-o-rio-pericuma-segue-em-ritmo-normal-e-o-trabalho-de-fundacao-deve-ser-iniciado-em-janeiroAs obras de construção da ponte sobre o Rio Pericumã, que ligará os municípios de Central do Maranhão e Bequimão, estão dentro do cronograma estabelecido, que prevê a conclusão da obra em 18 meses. Com isso, as máquinas para a execução dos serviços de sondagem e fundação chegaram ao canteiro de obras e serão transferidas, em janeiro, para a margem do rio, depois de construído o acesso ao local, possibilitando no primeiro mês de 2017 o início dos serviços de fundação.

Fernando Navarro, diretor executivo da obra, destacou como de fundamental importância o andamento dos trabalhos, uma vez que o projeto de execução da ponte é considerado complexo e de extrema dificuldade técnica. “Temos uma ponte de 26 metros de espessura, de solo mole e, além do rio, temos a influência das marés, uma obra em grau de dificuldade comparada a ponte do Rio Negro, no Amazonas”, exemplificou.

Ele acrescentou que graças ao ritmo dos trabalhos realizados, apesar das exigências técnicas, o avanço da obra tem superado as expectativas. “Os trabalhos de sondagem de confirmação estão sendo realizados com sucesso, definimos todo o histograma dos serviços com a definição de máquinas e recursos, portanto estamos preparados para chegar à margem do Rio Pericumã e dar início a mais uma fase da obra”, afirmou.foto-3-construcao-de-ponte-sobre-o-rio-pericuma-segue-em-ritmo-normal-e-o-trabalho-de-fundacao-deve-ser-iniciado-em-janeiro

As obras exigirão máquinas especiais e adaptação de equipamentos à realidade técnica do projeto. Martelos vibratórios, guindastes de 170 toneladas, fábrica de estaca e equipamentos náuticos estão sendo mobilizados aos que já se encontram no local para cumprir o cronograma estabelecido para os trabalhos.

A construção da ponte sobre o Rio Pericumã é um sonho antigo dos moradores de vários municípios da região e vai mudar para melhor a vida da população da Baixada Maranhense. Um dos efeitos positivos já está ocorrendo, com a obra houve a gerando de emprego e renda para 450 famílias da região.

Segundo o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto, a construção da ponte representa uma virada de página na história do Maranhão. “A obra é um grande desafio da engenharia maranhense, executada com técnicas precisas respeitando a concretização de um sonho de mais de quatro décadas que permitirá a integração do desenvolvimento econômico e social, gerando riquezas e mais oportunidades à Baixada Maranhense garantindo mais justiça social a todos”, explicou. Ele frisou que a construção da ponte é a quebra de mais uma lenda regional que gerou tantas expectativas frustradas e, agora, se torna realidade com a gestão realizada pelo governador Flávio Dino.

foto-1-construcao-de-ponte-sobre-o-rio-pericuma-segue-em-ritmo-normal-e-o-trabalho-de-fundacao-deve-ser-iniciado-em-janeiro-575x1024Com um investimento de quase R$ 70 milhões, favorecendo a mudança no cenário econômico e social da Baixada Maranhense, a ponte terá 89 metros de extensão. Além dos demais caminhos regionais que serão encurtados o trajeto com a conclusão da obra, a ponte possibilitará um deslocamento mais rápido ao Porto do Cujupe, com um trecho de 32 km a menos para ligação com a MA-106. Assim, moradores de Bequimão, Central do Maranhão, Mirinzal, Guimarães, Cedral, Cururupu, Porto Rico, Serrano do Maranhão, Bacuri e Apicum-Açu poderão fazer o trajeto até São Luís se deslocando 125 km.


Concluída licitação da ponte Central/Bequimão

Ponte-Pericumã-1024x576O Governo do Estado, por meio da Comissão Especial de Licitação (CEL), finalizou a licitação para contratação de empresa para construção da Ponte Rodoviária sobre o Rio Pericumã, localizada na MA-211, no trecho Bequimão – Central do Maranhão. O Consórcio Epeng/ FN Sondagens foi a licitante vencedora do certame com a proposta mais vantajosa de R$ 68.342.637,42.

Com a publicação do aviso de resultado final, o início da construção da ponte só depende dos trâmites finais, previstos no edital, para a contratação da vencedora. “Estamos dando mais um passo para ver concretizado um dos objetivos da gestão do governador Flávio Dino para a região da baixada, que visa melhorar as condições de infraestrutura rodoviária e facilitar a mobilidade da população”, destacou o presidente da CEL, Odair José Neves.

Licitação

A licitação para contratação de empresa especializada para construção da Ponte foi lançada em abril desse ano, com valor total estimado em R$ 75.759.094,32. Na primeira sessão pública, foram credenciadas as empresas Sultepa Construções e Comércio Ltda, o Consórcio Epeng-FN Sondagens e a Construtora Gaspar S/A.

Durante a análise dos documentos de habilitação, foi habilitada o Consórcio, que também apresentou a proposta de preço mais vantajosa e dentro dos critérios estabelecidos no edital de licitação.

Ponte

O projeto prevê a construção de uma Ponte com vigamento em aço e laje em concreto armado sobre o Rio Pericumã, com extensão de 589 m, interligando os municípios de Bequimão e Central do Maranhão, viabilizando o acesso das cidades de Mirinzal, Guimarães, Cedral, Cururupu, Porto Rico, Serrano do Maranhão, Bacuri e Apicum-Açu.

A Ponte sobre o Rio Pericumã que terá estrutura mista, composta de concreto e aço, com vigas metálicas, além de encurtar outros caminhos da Baixada, diminui em 32 km o trecho até a MA-106, que leva ao Cujupe. Assim, moradores dos municípios de Bequimão, Central do Maranhão, Mirinzal, Guimarães, Cedral, Cururupu, Porto Rico, Serrano do Maranhão, Bacuri e Apicum-Açu terão o trajeto até à capital reduzido.