Governador Flávio Dino investe na ampliação e recuperação de rodovias na Baixada Maranhense

ma_014_vitoria_do_mearim_a_vianaCom o objetivo de oferecer caminhos produtivos que impulsionem o progresso social e econômico na Baixada Maranhense, o Governo do Estado tem investido na ampliação, melhoria e recuperação da malha viária nesta região.

O Governo está investindo R$ 1,5 milhão na construção de 16 quilômetros da Estrada do Peixe, que liga Itans a Matinha, facilitando o escoamento de produção do peixe na Baixada Maranhense, a principal renda econômica da região. Com a nova estrada, os 74 produtores de peixe de Itans poderão aumentar a produção. Eles enfrentaram por décadas dificuldades no transporte de ração para o município e também no escoamento da produção para as demais cidades, principalmente no período chuvoso.

Outra obra emblemática em andamento é a construção de 859 metros de extensão da Ponte Central/Bequimão, chegando a ter 26 metros de espessura de solo mole, e influência do rio e da maré. O investimento chega a R$ 68 milhões. Essa obra vai ampliar o desenvolvimento social e econômico da Baixada Maranhense, desde o escoamento mais rápido da pesca e produção agrícola, com uma rota 150 quilômetros mais curta entre Bequimão e Central, até o fortalecimento do turismo, ao tornar mais conhecidas as belezas do litoral ocidental do Maranhão, pela facilidade no acesso.

Atualmente, a Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra) está com obras em andamento em 529 quilômetros de rodovias da Baixada Maranhense. “Investir na qualidade e maior capilaridade das rodovias do estado é garantir mobilidade à população e movimentar a economia, com o tráfego seguro e ágil entre os municípios, levando e trazendo bens. Este é um compromisso reafirmado pelo governador Flávio Dino em todo o Maranhão”, afirma o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto.

Nos serviços de manutenção, desde 2015 foram recuperados 1.207 quilômetros em 26 trechos rodoviários da Baixada Maranhense, com um investimento total de R$ 39,1 milhões. Com esses serviços, mais de 80% das rodovias que cortam a Baixada Maranhense estarão com malha viária restaurada para o tráfego rodoviário.

Na MA-106, as obras estão seguindo em duas frentes de serviço para a recuperação de 186 quilômetros, entre o povoado Cujupe e o município Nunes Freires. Nesse trecho, mais três municípios – Turilândia, Santa Helena e Pinheiro – estão sendo contemplados com os serviços. Essa rota facilita ainda o acesso ao município de Bequimão.

Em Vitória do Mearim até o povoado Três Marias, na MA-014, estão sendo investidos R$ 9,2 milhões na recuperação e melhoramento de 151 quilômetros de extensão da rodovia. Outros cinco municípios – Viana, Matinha, Olinda Nova do Maranhão e São Vicente Ferrer – são beneficiados com esta obra. Essa recuperação também melhora o acesso às cidades de Bacurituta e Palmeirândia. Ainda na MA-014, estão sendo realizados investimentos de Palmeirândia até o entroncamento da MA-106, em Peri-Mirim.

Futuros investimentos

Para manter a qualidade das estradas na Baixada Maranhense, o Estado trabalha com ações preventivas e emergenciais constantemente. Até o final do ano poderão ser licitados mais de 200 quilômetros para serem pavimentados, com uma média de R$ 30 milhões para a recuperação de malha viária e para sinalização vertical, horizontal e turística.


Investimentos em políticas sociais

untitledROBSON PAZ*

Nas últimas décadas, prevaleceu em São Luís e no Maranhão a cultura de que governante “bom” é aquele que constrói obras suntuosas – viadutos, pontes, estádios, hospitais… Um equívoco, pois no mais das vezes estas “grandes obras” passam ao largo das reais necessidades da população.

Casos de desperdício e mesmo de desvio de recursos públicos com projetos monumentais e ditos redentores pululam no país. Um modelo de gestão socialmente fracassado.

Dos gestores esperam-se práticas inovadoras, que elevem os interesses coletivos e a qualidade de vida nas cidades. Investimentos corretos em educação, saúde, segurança, infraestrutura, que resultem em melhores indicadores sociais e promovam desenvolvimento.

Soluções simples, mas de resultados impactantes.

Um olhar mais atento sobre nossa São Luís verá uma série de bons exemplos executados pelo governo do Estado.

Iniciativas com foco na inclusão social, como o projeto Travessia, o programa Bolsa Escola (Mais Bolsa Família). O primeiro garante cidadania e dignidade às pessoas com deficiência, que tem acesso a transporte gratuito com conforto e segurança.

O segundo oportuniza a milhares de alunos direito à compra de material escolar e ainda incrementa a economia da cidade ao investir recursos no mercado local.

O Pacto pela Paz, que assegura remuneração extra aos policiais militares e civis por arma apreendida. Mais que reconhecimento ao trabalho de policiais, se traduz em redução dos índices de violência. Os conselhos comunitários de segurança promovem integração entre poder público e sociedade na luta contra a violência.

A democratização das escolas com eleições diretas para gestores. Medida que aproxima a escola com seus diretores e professores dos pais e alunos em busca de educação com mais qualidade. A reconstrução de escolas, que por décadas foram abandonadas. O programa Cidadão do Mundo, que leva estudantes de escolas públicas para fazer intercâmbio em outros países.

O transporte a preço justo com conforto e segurança para a população. Aquilo que parecia utópico tornou-se realidade com a criação do Expresso Metropolitano, hoje, um dos serviços públicos mais bem avaliados em nossa cidade.

A garantia de mobilidade urbana também com projetos criativos, como as vias Interbairros, intervenções na rotatória do aeroporto e na Forquilha, o Mais Asfalto em parceria com a Prefeitura de São Luís.

A garantia de alimentação nutritiva, saudável e a preço simbólico, com a entrega de novos restaurantes populares e inclusão de jantar nas unidades antes existentes. Os Sisteminhas, que garantem assistência técnica e apoio financeiro a pequenos produtores da zona rural.

O apoio às famílias com a criação do Centro de Referência em Neurodesenvolvimento, Assistência e Reabilitação de Crianças (Ninar), hoje, referência nacional.

Trata-se de um conjunto de políticas públicas importantes, que demonstram a preocupação com o ser humano. Em melhorar verdadeiramente a vida das pessoas que mais precisam, sem, contudo, descuidar dos grandes investimentos. Não mais como mera política de pão e circo, mas com o olhar voltado para o desenvolvimento, com distribuição de renda e oportunidade para todos.

*Radialista, jornalista. Subsecretário de Comunicação Social e Assuntos Políticos


Codevasf anuncia investimentos de R$ 127 milhões no Maranhão

Ribamar Santana / Agência Assembleia

A Assembleia Legislativa realizou audiência pública, no Plenarinho, na tarde desta quarta-feira (21), com o superintendente da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf), João Batista Martins, sobre as ações a serem realizadas por esse órgão nos municípios que integram as Bacias dos Rios Parnaíba, Itapecuru e Mearim, no Estado do Maranhão. O trabalho vai beneficiar 149 municípios, o que corresponde a 77,6% ou dois terços do território maranhense, e contará com investimentos estimados em R$ 127 milhões.

O objetivo foi oportunizar o debate dos programas e projetos realizados por essa empresa pública, vinculada ao Ministério da Integração, no Estado, assim como conhecer sua metodologia de trabalho e estrutura organizacional.

A audiência foi coordenada pelo presidente da Comissão de Assuntos Municipais e de Desenvolvimento Regional da Assembleia, deputado Carlinhos Florêncio (PHS), autor da proposição, juntamente com o deputado Fábio Braga (PMDB). “A atuação da Codevasf no Maranhão é a realização de um sonho de todos nós maranhenses, em virtude do competente trabalho de desenvolvimento e revitalização das Bacias do Rio São Francisco e Parnaíba que esse órgão desenvolve ao longo de sua existência”, reconheceu Carlinhos Florêncio.

Carlinhos Florêncio fez questão de ressaltar a iniciativa do deputado federal Carlos Brandão (PSDB), que é o autor do projeto de lei que ampliou a atuação da Codevasf para as Bacias dos Rios Itapecuru e Mearim, transformado na Lei Nº 12.196, sancionada em 14 de janeiro de 2010.

Na oportunidade, o secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), Cláudio Azevedo, disse que, se a Codevasf estivesse no Maranhão há mais tempo, a história do Maranhão seria diferente, em razão do impressionante trabalho que desenvolve nas Bacias do Rio São Francisco e Parnaíba. Ele anunciou a inauguração, nos próximos dias, no município de Santa Luzia do Paruá, da indústria de processamento de mel Prodape, que vai processar e comercializar a produção de mel da região do Alto Turi, hoje estimada em 1.500 toneladas.

AÇÕES

O superintendente da Codevasf no Maranhão, João Batista Martins, apresentou o trabalho que a Codevasf já desenvolve em vários Estados da Federação nas áreas de revitalização, irrigação e infraestrutura como, por exemplo, o de apoio ao Arranjo Produtivo Local (APL) da cadeia produtiva do mel, no Piauí, dentre outros. Ele também apresentou as ações em execução e as previstas para o estado do Maranhão.

Como meta da Codevasf, para o ano de 2012, consta a construção de 4.302 cisternas, sendo que só foram entregues, até agora, 1.302 devido à maioria das casas incluídas no projeto ser cobertas de palha, o que impossibilita tecnicamente a implementação do projeto. Para 2013, estão previstas a instalação de 22.621 cisternas de consumo, a construção de 100 sistemas simplificados de abastecimento de água, obras de esgotamento sanitário, arranjos produtivos locais e o projeto Diques da Baixada, num total estimado de R$ 127 milhões de investimentos.

DEBATE

Os deputados Eduardo Braide (PMN), Raimundo Louro (PR) e Neto Evangelista (PSDB) indagaram o superintendente da Codevasf a respeito dos procedimentos que os prefeitos devem adotar para encaminhar os projetos e do nível de amplitude do trabalho da empresa no território maranhense. O deputado Fábio Braga sugeriu que a Bacia do Rio Munim seja também incluída na área de atuação da Codevasf.

Bastante concorrida, a audiência pública contou com a presença dos deputados Eduardo Braide (PMN), Rogério Cafeteira (PMN), Léo Cunha (PSC), Raimundo Louro (PR), Jota Pinto (sem partido), Neto Evangelista (PSDB), Vianey Bringel (PMDB), André Fufuca (PSD), Carlinhos Amorim (PDT), Sérgio Vieira (PTB), os prefeitos dos municípios de Anajatuba, Monção, Olinda Nova, Vargem Grande, Esperantinópolis, Itapecuru Mirim, São João Batista, Santa Filomena, Buriti Bravo e Senador Alexandre Costa e representantes de vários outros municípios.