VÍDEO | Avançam as obras da ponte Central-Bequimão

A Ponte Central-Bequimão está sendo construída para interligar 10 cidades da Baixada e reduzir viagens em até 125 km. Após a construção do aterro de conquista para o canteiro de obras, foram cravadas as estacas de aço e estão sendo construídos os primeiros blocos de concreto da ponte, que terá 600 metros de extensão.


Obras do novo Terminal do Cujupe são vistoriadas por comitiva do governo Flávio Dino

Vistoria CujupeCom a primeira etapa de obras concluída desde março, o novo Terminal do Cujupe recebeu a visita, nesta quarta-feira (25), de uma comitiva do Governo do Maranhão formada pelo vice-governador Carlos Brandão; o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP), Ted Lago; e o presidente da Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana (MOB), Lawrence Melo.

A nova estrutura para embarque multimodal de passageiros amplia a infraestrutura de um serviço que movimenta, a cada ano, quase 2 milhões de pessoas e cerca de 350 mil veículos. O grupo, acompanhado das equipes técnicas da EMAP e da construtora responsável pela obra, foi ver de perto a Ala Sul do novo terminal, que conta com guichês para comercialização de passagens, boxes para lanches, banheiros e hall, dentre outros espaços.

Os representantes da gestão estadual também conversaram com os comerciantes da Associação de Vendedores do Terminal do Cujupe. Assim que a segunda etapa das obras for concluída, até o final deste semestre, todos estarão em seus novos boxes, equipados com geladeira, estufa e chapa. Uma realidade bem diferente do que havia antes de iniciada a construção e, junto com ela, o projeto de Desenvolvimento Local a partir do Terminal do Cujupe, para beneficiar os moradores da região que tiram o seu sustento da comercialização de produtos no terminal.

“Essa obra é muito importante para o Maranhão”, disse o vice-governador Carlos Brandão. “Precisávamos garantir conforto e segurança para essa população que se desloca diariamente entre São Luís e a Baixada Maranhense”, completou.

Segundo o presidente da EMAP, Ted Lago, as obras do Terminal do Cujupe marca um novo momento para a região, gerando mais negócios, mais investimentos e mais desenvolvimento. “Estamos mostrando ao vice-governador toda a infraestrutura e o trabalho que vem sendo feito e, principalmente, a dimensão desse projeto que vai devolver o respeito à população do Maranhão, que agora terá uma estrutura adequada”, afirmou Ted Lago.

O presidente da MOB, Lawrence Melo, destacou o fato de que, ainda com as obras em fase de conclusão, já foi transformado o panorama da prestação de serviço continuado para o usuário de transporte público, tanto no modal rodoviário quando no aquaviário. “Com o novo terminal poderemos colocar em operação alguns projetos, entre eles o Expresso Metropolitano, de integração entre esses dois modais ligando a Baixada a São Luís e também à região do Munim com bilhetagem integrada”, disse Lawrence Melo.

O novo terminal, orçado em R$ 12,6 milhões, contará com estrutura para embarque e desembarque de passageiros, terminal rodoviário, alojamento e posto da Polícia Militar


Maranhão em Obras

Por Flávio Dino

FD-PaisNo mês passado, a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (FIRJAN) divulgou ranking nacional de qualidade de gestão e colocou o Maranhão em 2º lugar. Devemos esse ótimo resultado à seriedade, transparência e responsabilidade fiscal. Mesmo em meio à queda real de repasses federais, temos conseguido manter as contas em ordem e ampliar as obras em nosso estado, garantindo a geração de empregos, a movimentação da economia e a ampliação de serviços públicos.

Estamos investindo mais de R$ 1,8 bilhão no asfaltamento de estradas e vias urbanas no estado. E ainda serão aplicados R$ 400 milhões no programa Mais Asfalto este ano, abrangendo as rodovias estaduais (as MAs) e a ajuda aos municípios para que estes melhorem suas ruas e avenidas.

Temos muitos êxitos a apresentar. É o caso da Estrada do Arroz, que tiramos do papel depois de 40 anos de espera, com R$ 46 milhões investidos em 57 km de extensão. Para além do ganho econômico que representa, para a logística da região, a obra melhora a vida de milhares de pessoas, garantindo um acesso mais seguro a serviços públicos como educação e saúde.

Em Balsas, estamos asfaltando 85 quilômetros da MA-007 com investimento de R$ 105 milhões. Essa obra compõe a primeira etapa de uma série de intervenções que estamos fazendo na região para formar o Anel da Soja. Grande pólo do agronegócio de nosso estado, a Região Sul merece esse investimento para garantir a sequência de desenvolvimento do setor. Ressalto que estamos lutando muito para viabilizar os recursos para recuperar plenamente a MA-006, que de tão abandonada, por tanto tempo, precisa ser refeita.

Na região de Coelho Neto, além de estarmos recuperando o trecho até o Descanso, recentemente entregamos 42 km de asfalto na MA-123 que vai até Afonso Cunha. Outra obra que tenho orgulho de fazermos é o asfaltamento da MA-012, que liga o município de Barra do Corda a São Raimundo Doca Bezerra. São 54 km de extensão que estão recebendo R$ 35,6 milhões em investimentos. Menciono também a ligação entre São João dos Patos e Caxias, passando por Passagem Franca e Buriti Bravo, velho sonho do sertão maranhense que está em fase avançada de execução.

O segredo de manter essas obras não é nenhuma mágica. Trata-se da aplicação criteriosa de uma severa disciplina fiscal, em que cortamos desperdícios herdados da gestão passada e cuidamos da receita com profissionalismo e respeito à legalidade. Com isso, temos conseguido o feito de pagar em dia os servidores, dentro do próprio mês de trabalho, enquanto outros têm parcelado salários.

Em vez de cortar serviços, como algumas administrações têm feito, o Governo do Maranhão está ampliando a oferta de políticas públicas que melhoram a vida das pessoas. É o caso dos Restaurantes Populares, que dobramos para 14, colocando unidades também no interior, oferecendo refeições a 2 reais. Vamos chegar a 20 unidades ainda neste ano, formando uma inédita rede de segurança alimentar.

Também investimos para criar a Rede Ninar, composta das maternidades estaduais, da Casa da Gestante em Imperatriz, e da primeira Unidade de Tratamento Intensivo exclusiva para mães do Maranhão. Estamos trabalhando agora para entregar o Centro de Referência em Neurodesenvolvimento, Assistência e Reabilitação de Crianças, em São Luís, que irá funcionar na antiga Casa de Veraneio do governador e que passará a atender crianças com microcefalia e outros problemas.

Outro investimento importante são as 574 escolas que estamos reformando ou reconstruindo, representando quase metade das unidades estaduais de ensino. Quer dizer que entregamos uma escola reformada a cada dois dias de governo. Outras 300 unidades totalmente novas estão sendo progressivamente entregues, substituindo antigos galpões ou escolas de taipa.

São obras de cimento e tijolo, contudo significam muito mais que isso. É dignidade para a nossa população, que sempre foi esquecida nas cinco décadas anteriores. São obras que geram empregos e ajudam a ativar a economia. Mas que principalmente fazem o que nosso governo faz de melhor, que é cuidar das pessoas.

Advogado, 49 anos, Governador do Maranhão. Foi presidente da Embratur, deputado federal e juiz federal.


Obras no Terminal do Cujupe geram emprego a moradores e conforto a comerciantes

CujupePrevistas para serem entregues à população no primeiro semestre de 2018, as obras do Terminal do Cujupe já avançam para a segunda etapa e vêm movimentando tanto a economia local assim como a vida dos moradores e comerciantes da região. A nova fase inclui a construção de uma nova estrutura para embarque multimodal de passageiros. Ou seja, engloba tanto o transporte aquaviário quanto o rodoviário. São transportados anualmente 1,7 milhão de pessoas e mais de 300 mil veículos.

Com a expansão, dezenas de comerciantes informais que trabalham na área serão contemplados com boxes padronizados. Além disso, a obra gera oportunidade de emprego e renda para as mais de mil famílias residentes na área. “Essa é a primeira vez que eu trabalho numa obra e estou achando ótimo. Essa oportunidade é rara, principalmente para gente que mora aqui. Essa experiência vai ser muito válida para o meu currículo”, diz Mauro Alves Coelho, de 24 anos, morador do Cujupe.

Os mais experientes também comemoram a absorção da mão de obra local no empreendimento. Edimilson Pereira, de 33 anos, oficial de carpinteiro, afirma que a rotina de trabalho tem gerado novas expectativas em sua carreira profissional. “Estou muito feliz em ter sido chamado para trabalhar nesta obra, até mesmo por saber que esse é um momento de crise no país. Estou aqui ajudando a construir esse novo terminal, que tem sido tão esperado por todos”, afirmou.

Além da mão de obra local, o empreendimento tem gerado expectativas em quem precisa usar o ferry, como é o caso do advogado Willame Almeida, morador de São Luís. Toda semana, para chegar até o trabalho, no município de Cururupu, ele utiliza o transporte aquaviário. O advogado ressalta as melhorias que já identificou no terminal devido à obra. “A passarela na área norte já é uma grande vantagem, pois a gente não se molha para percorrer o caminho que fica entre a base do terminal e o ferry”, observou. “Outro ponto que deve melhorar é o do restaurante, pois com a padronização tudo deixará de ser jogado”, acrescentou.

Comércio

O ordenamento dos ambulantes dará ao consumidor um espaço revitalizado e seguro no que se refere ao consumo de alimentos. Já os empreendedores passarão a enxergar a atividade como um negócio que gera renda e pode melhorar continuamente a qualidade de vida da população que reside no entorno do terminal. Haverá reflexos positivos também no estímulo à produção local.

José Martins Pereira, de 59 anos, morador do Porto de Baixo, localidade próxima à cidade de Bequimão, é um dos beneficiados pela obra realizada pelo Governo do Maranhão. Responsável pela família com seis pessoas, ele é o vice-presidente da Associação dos Vendedores do Porto e diz que houve sensibilidade do governador Flávio Dino com a comunidade. “Esse governo foi o que deu mais visibilidade para nós, que trabalhamos no porto. Eles estão pensando na gente, desenvolvendo obras e querendo colocar a gente num local adequado para trabalhar”, disse.

Oportunidades

Numa barraca centralizada, dentro da área do porto, dona Regina Pedra Azevedo, de 55 anos, que trabalha há mais de 18 anos no terminal com as vendas de camarões, caranguejos, azeite de coco babaçu, água mineral, cerveja, refrigerantes e biscoitos, conta da felicidade em saber que terá um espaço padronizado. “Estou muito feliz em ter a barraca da gente toda bonitinha e com segurança”, respondeu. Ela comentou que em um dia de movimento intenso de passageiros chega a vender cerca de R$ 700.Secap-Obras Terminal Cujupe (7)

Com a venda de biscoito de tapioca, castanhas, azeite de babaçu e bebidas, Josiane Alfândega, de 33 anos, conta que já estava ansiosa pela reforma e pela expansão do terminal, pois o período chuvoso sempre deixa os comerciantes em uma situação delicada. “A nova estrutura vai trazer muita melhoria para gente, pois teremos um espaço digno e que até mesmo o cliente vai gostar de vir comprar. Quando chove, ninguém sai debaixo da estrutura do terminal para vir até a banca. O terminal vai ficar muito valorizado”, afirmou.

Readequação dos espaços

O investimento para readequação e construção dos terminais é de R$ 12,6 milhões, empenhados pelo Governo do Maranhão por meio da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap). “Essa obra representa um novo momento para a população da Baixada Maranhense, gerando mais negócios, mais investimentos e mais desenvolvimento para essa região tão importante”, afirmou o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária, Ted Lago.

A nova estrutura contará com um posto da Polícia Militar, lojas de conveniências, alojamento para funcionários, um sistema de reaproveitamento de águas de chuva, pátio de espera, com a reorganização do comércio ambulante, auditório e estacionamentos privativos. Ainda na primeira etapa, em 2016, foram instalados 365 metros de passarelas cobertas, sendo uma no sentido Sul e outra no sentido Norte. Todas as áreas serão sinalizadas e adaptadas para receber pessoas com deficiências.

O novo terminal está sendo estruturado dentro de uma logística que atenderá as necessidades da população, possibilitando a garantia de um acesso seguro e confortável aos milhares de usuários. O novo terminal de passageiros contará ainda com salas para a administração, posto do Juizado de Menores, boxes de comércio, lanchonete, salão de embarque com TVs e telas de informação sobre embarque e desembarque.

Haverá também um sistema de iluminação e de combate a incêndio (hidrante, extintor e sinalização de emergência). O projeto engloba ainda o plantio de árvores de grande porte – espécies adaptadas ao clima e ao solo da região com um sistema de irrigação para manutenção da vegetação.


Obras no Terminal do Cujupe priorizam mão-de-obra local

Foto 3_Divulgação_Emap_17022017 - EMBARGADA - Obra do Cujupe prioriza mão-de-obra localCom grande parte da mão-de-obra formada por trabalhadores da região, começa nos próximos dias a obra de reconstrução do novo Terminal do Cujupe, em Alcântara, que marca a segunda etapa do projeto de melhorias do Governo do Maranhão no local. A primeira etapa, de instalação de 365 metros de passarelas cobertas, foi entregue no final de 2016, antecipando-se ao período de chuvas. Agora, logo depois do carnaval, começa a construção de uma nova estrutura para embarque multimodal de passageiros, beneficiando tanto o transporte aquaviário quanto o rodoviário, que movimenta, a cada ano, 1,7 milhão de pessoas e cerca de 300 mil veículos.

“Essa obra representa um novo momento para a população da Baixada Maranhense, gerando mais negócios, mais investimentos e mais desenvolvimento para essa região tão importante”, disse o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Ted Lago.

O novo terminal, orçado em R$ 12,6 milhões, além da concepção multimodal, contará com um sistema de reaproveitamento de águas de chuvas, reformulação de pátio de espera e estacionamento, reforma estrutural da área do entorno, reorganização do comércio ambulante e pavimentação de toda a área do terminal.cujup

Segundo o representante da construtora responsável pela obra, Francisco Alves Junior, contratar mão-de-obra local é vantajoso para todos. Para a empresa, significa redução de custo (alojamento e transporte, por exemplo) e tempo. “De fora da região vamos trazer somente o corpo administrativo. A maioria dos trabalhadores vai ser daqui mesmo do Cujupe e da região. Fizemos uma pré-seleção no terminal e conseguimos, com apoio do Sine – Sistema Nacional de Emprego -, direcionar, de acordo com as nossas necessidades, oficial de obra, carpinteiro, pedreiro e também vigia, almoxarife, assistente de RH. Todo esse pessoal a gente conseguiu aqui na comunidade”, disse.

Força-tarefa

O governador Flávio Dino determinou atenção especial à comunidade do Cujupe durante todo o processo de implantação do novo terminal e desde o início da gestão, em 2015, um trabalho multidisciplinar vem sendo desenvolvido, sob a coordenação da área de Responsabilidade Social da Emap, com apoio de diversos órgãos estaduais. O objetivo é preparar os membros da Associação dos Vendedores Ambulantes do Terminal do Cujupe para atuar na nova estrutura.

Na noite da última sexta, 16, o Governo do Maranhão apresentou o projeto do Novo Terminal do Cujupe à Associação. O encontro, dentro do terminal, contou com a presença da equipe técnica da Emap e representantes das secretarias de Emprego Trabalho e Economia Solidária (Setres), Agricultura Familiar (SAF), do Sebrae e da empresa responsável pela obra. A gerente de Responsabilidade Social da Emap, Deborah Baesse, representando a presidência da Emap, convocou os comerciantes a enfrentar o período de obras com tranquilidade e foco nos resultados que virão para todos. Importante destacar que a obra será realizada em duas etapas, com o cuidado de manter as operações.

“Os empreendedores que tiram seu sustento da atividade no terminal serão capacitados para trabalhar em boxes dentro do novo Cujupe. Para isso a Emap contratou o Sebrae-MA, que inicia nesta segunda-feira um trabalho que prevê análise de viabilidade econômica e das necessidades de adaptação, melhoria dos micro e pequenos empreendimentos instalados no local”, afirma Deborah Baesse.


Governador Flávio Dino assina Ordem de Serviço para início das obras da ponte Central/Bequimão

Ponte-Pericumã-1024x576O governador Flávio Dino realiza a assinatura da Ordem de Serviço para início das obras de construção da ponte sobre o Rio Pericumã, que vai ligar os municípios de Central do Maranhão a Bequimão. A solenidade de assinatura da OS será nesta terça-feira (27), a partir das 9h, na Ilha do Vaquejador, região às margens do Rio Pericumã e terá a presença de representantes da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra).

Com extensão de 589 metros, a ponte vai interligar 10 municípios da Baixada Maranhense e diminuir a distância de deslocamento aos moradores da região em 125 quilômetros. A nova ponte vai combater a exclusão social e regional, tirando do isolamento os municípios daquela região estimulando, também, o turismo e a economia destas cidades.

Serão beneficiados diretamente os municípios de Bequimão, Central do Maranhão, Mirinzal, Guimarães, Cedral, Cururupu, Porto Rico, Serrano do Maranhão, Bacuri e Apicum-Açu. A obra vai garantir, ainda, mais facilidade no acesso à capital, pois, reduzirá em 32 km a distância para chegar a MA-106, que dá acesso ao Cujupe. Os serviços terão recursos de R$ 68.342.637,42.

O Rio Pericumã possui 25 metros de profundidade de solo mole, que requer maior resistência para as armações de concreto. Há 40 anos a população reivindica a construção da ponte.

Serviço:

O QUÊ: Assinatura da Ordem de Serviço para as obras da ponte Central do Maranhão – Bequimão;

QUANDO: Nesta terça-feira (27), às 9h;

 ONDE: Povoado Mafra


Obras da ponte Central-Bequimão serão iniciadas na próxima terça (27)

Ponte-Pericumã-1024x576O governador Flávio Dino anunciou, nesta manhã (22), que a construção da Ponte Rodoviária sobre o Rio Pericumã, localizada na MA-211, no trecho Bequimão – Central do Maranhão, começa na próxima semana. “A ponte interessa diretamente a dez municípios e vai dinamizar atividades econômicas como pesca e turismo”, destacou o governador.

Há mais de 40 anos a população de dez municípios da região da Baixada Maranhense reivindica a construção da ponte, que facilitará o acesso da capital aos municípios de Bequimão; Central do Maranhão; Mirinzal; Guimarães; Cedral; Cururupu; Porto Rico; Serrano do Maranhão; Bacuri e Apicum-Açu. A obra tem 600 metros de extensão e reduzirá em 125 km a distância para chegar a MA-106, que dá acesso ao Cujupe.

O município de Serrano do Maranhão é uma das cidades beneficiadas com o Plano de Ação ‘Mais IDH’ e a ponte como acesso à capital constitui incentivo importante para as atividades comerciais no município. O governador Flávio Dino considerou a construção da ponte como o início de um conjunto de ações que elevará a qualidade de vida no município. “Serrano do Maranhão possui baixo índice de desenvolvimento econômico, temos que desenvolver diversas ações sociais nesta região e a ponte Central Bequimão é uma delas, que dará luz à economia municipal, gerando emprego e renda aos moradores”, garantiu o governador.

O secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, ressalta que a construção da ponte permitirá a integração do desenvolvimento econômico e social, gerando riquezas e oportunidades de trabalho aos moradores. “A ponte é um desejo da maioria da população da baixada que precisa ter as mesmas chances sociais dos ludovicenses. O projeto está sendo elaborado com técnicas precisas, depois em ato contínuo vamos licitá-lo e, em seguida, darmos prosseguimento a concretização da obra. A ponte representa um novo momento para o estado, é uma verdadeira virada de página na história do Maranhão”, afirmou o secretário.

Processo licitatório

O Governo do Estado, por meio da Comissão Especial de Licitação (CEL), finalizou, no dia 30 de agosto, a licitação para contratação de empresa para a construção. O Consórcio Epeng/ FN Sondagens foi a licitante vencedora do certame com a proposta mais vantajosa de R$ 68.342.637,42.