Ponte Central-Bequimão: Ministério Público rejeita representação do MDB de Roseana

Estrutura-Ponte-Central-BequimãoO Ministério Público Eleitoral manifestou-se pela improcedência de uma representação protocolada pelo Diretório Estadual do MDB na Justiça Eleitoral contra o governador Flávio Dino, essa em virtude da divulgação da chegada das carretas com peças para a construção da Ponte Central-Bequimão.

O partido de Roseana Sarney alegou o “desvirtuamento da propaganda institucional do Estado do Maranhão em prol da pretensa promoção da figura do governador, candidato a reeleição, utilizando-se de carretas, equivalendo-se a outdoors ambulantes, para o fomento de obra que, supostamente, irá ocorrer”.

Na decisão, o procurador eleitoral José Raimundo Leite Filho foi bem claro ao definir a ausência de referência às eleições vindouras. “Retira do ato administrativo questionado qualquer capacidade de vir a configurar propaganda eleitoral, nos termos em que definida na Lei 9.504/97 e Resolução TSE nº 23.551/2017”.

“No caso, como bem registrou aquela decisão, a simples utilização de faixas com a inscrição “ESTRUTURA DA PONTE CENTRAL-BEQUIMÃO” seguida da expressão “GOVERNO DO ESTADO FAZ PARA TODOS”, slogam de identificação da administração estadual, em caminhões que transportam matéria-prima para a obra pública não configura propaganda eleitoral, tendo em vista seu caráter meramente informativo e institucional”, afirmou o procurador.

Essa é apenas mais uma derrota para a conta da oligarquia Sarney na Justiça Eleitoral.


Com estacas de até 40 metros, grande parte da ponte Central-Bequimão fica escondida no solo

ponte-estruturaBoa parte da estrutura da ponte Central-Bequimão que está sendo construída na Baixada Maranhense não é visível para quem passa pelo local. A complexa engenharia da obra inclui materiais instalados a até 40 metros de profundidade. Foi uma maneira de superar as dificuldades impostas pelo terreno instável na região do rio Pericumã.

Grande quantidade do solo que existe no local é considerado mole. Há pontos em que esse solo mole tem espessura de 26 metros. Se fossem colocadas, por exemplo, estacas com essa mesma altura no solo, elas “escorregariam”.

É por isso que, nesses pontos, as estacas tiveram que ir bem mais fundo. Há trechos em que a profundidade das estacas chegará a 40 metros. É mais ou menos a altura de um prédio de 20 andares.

Responsável técnico pelas obras da ponte construída pelo Governo do Maranhão, o engenheiro civil Fernando Navarro explica que o projeto tem duas grandes fases: a que fica do solo para cima; e a que fica do solo para baixo.

“Do solo para baixo, são as fundações, que são estacas de grande diâmetro e profundidade com execução bastante complexa”, afirma. As fundações precisam suportar as enormes cargas da estrutura da ponte.

“Hoje nós estamos com as estruturas metálicas 100% fabricadas. São estruturas especiais com aço especial anticorrosão, que não enferrujam.

Canteiro de obras

“Existem fases do projeto que são no solo, em muita profundidade. Para fabricar a estrutura metálica, nós precisamos de um ano. Para a parte de projetos, foram dois anos. Então são três anos de trabalho de desenvolvimento e de projeto sendo executado”, afirma o engenheiro Fernando Navarro.

Todas as estacas da obra estão prontas e no canteiro para serem cravadas no solo. De acordo com Navarro, já foi iniciada a execução das fundações do lado do rio que fica em Bequimão. Em seguida, será feito o mesmo trabalho na parte que fica na cidade de Central. E, por último, no meio do rio. A ponte vai ter 15 pilares de apoio. São sete em cada margem e um no centro.

Depois da fundação, começam a ser montados os 15 vãos – um para cada pilar. E aí vem a fase em que as vigas são unidas para fazer a estrutura superior, por onde vão circular os veículos.

Dez cidades interligadas

Com extensão de 589 metros, a ponte vai interligar 10 municípios da Baixada Maranhense e diminuir a distância de deslocamento dos moradores da região em 125 quilômetros. As cidades diretamente beneficiadas são Bequimão, Central, Apicum-Açu, Bacuri, Serrano do Maranhão, Cururupu, Porto Rico, Cedral, Guimarães e Mirinzal.

“Essa é uma obra de grande complexidade e que exige um planejamento que envolve diversas etapas e a participação do consórcio responsável pela construção. O Governo do Maranhão acompanha de maneira permanente o desenvolvimento da obra”, diz o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto.


Com chegada de nova leva de materiais, Ponte Central–Bequimão continua cronograma de avanços

Estrutura-Ponte-Central-BequimãoA Ponte Central-Bequimão, localizada sobre o Rio Pericumã, é uma das maiores obras em execução no Maranhão. Com investimento de aproximadamente R$ 70 milhões, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura (Sinfra), vai encerrando mais um longo período de espera pela solução da mobilidade, escoamento de produção e rota turística da Baixada Maranhense.

“Essa é uma obra de grande complexidade e que exige um planejamento que envolve diversas etapas e a participação do consórcio responsável pela construção, a Sinfra acompanha de maneira permanente o desenvolvimento da obra”, disse o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto.

O secretário explicou ainda que a Sinfra auxilia no que compete à Secretaria, como é o caso do chamado Aterro de Conquista, que é a construção do aterro para chegar até às margens do rio também sobre solo mole. “Lá nós tivemos que fazer camadas de aterro com geodreno para que todas as cargas consigam chegar ao canteiro de obra e acelerar o desenvolvimento da Ponte”, contou Clayton Noleto.

Canteiro de Obras

São dois canteiros de obras e infraestrutura de deslocamento de equipamentos montados nas cidades de Bequimão e Central, onde a ponte já começa a tomar forma depois da conclusão da fase de fundação, do início da colocação dos primeiros três dos 15 pilares de sustentação e da chegada das peças que compõem a estrutura mista da ponte que é composta de concreto e aço, com vigas metálicas.

“Também é papel da Sinfra providenciar os acessos à ponte. Ao todo, são 12 km de um lado e 13 km de outro, a construção da fundação que exige alcançar rocha com 27 metros de profundidade e todos esses desafios têm sido gradual e progressivamente atendidos e alcançados”, destacou Noleto.

“Nós temos muita responsabilidade, sabemos que não podemos fazer uma obra de grande magnitude de qualquer jeito, então o Governo do Maranhão tem feito um grande esforço, sob o comando governador Flávio Dino, para alcançar esses objetivos”, afirmou o titular da Sinfra.

Ligação terrestre

Localizada na MA-211, a ponte tem extensão de 589 metros e interligará os municípios de Bequimão e Central do Maranhão, criando acesso para as cidades de Apicum-Açu, Bacuri, Serrano do Maranhão, Cururupu, Porto Rico, Cedral, Guimarães e Mirinzal, reduzindo em até 152 km o percurso e solucionando os entraves de mobilidade urbana para os moradores da região. Além disso, garante escoamento da produção de pescado, alavanca o turismo e possibilita mais rapidez no acesso à capital do Maranhão e ao estado do Pará.

“A Ponte sobre o Rio Pericumã é um sonho não apenas da cidade de Bequimão, mas de toda a região. Ela trará desenvolvimento econômico porque vai gerar movimentação no setor de comércio do pescado, de serviços e trazer empregos,” afirma o governador Flávio Dino.

Chegada de materiais

Caminhões carregados com materiais e peças de aço para a construção da nova etapa da ponte chegaram na última semana ao Maranhão e vão ajudar a iniciar a etapa de colocação das vigas de sustentação.

“Podemos assegurar à população do Maranhão, principalmente da região da Baixada, que espera essa obra há muitas décadas, que a obra está sendo executada com qualidade, com precisão técnica e é o nosso compromisso cumprir as etapas seguintes para concluir a obra e alcançar mais esse grande êxito da engenharia maranhense”, completa Noleto.


Construção da ponte Central-Bequimão sobre o Rio Pericumã se torna realidade

Do Blog do John Cutrim

Um sonho antigo deixa o papel para mudar a vida da população da Baixada Maranhense. O governador Flávio Dino deu a largada, nesta terça-feira (27), em Bequimão, na construção da ponte sobre o Rio Pericumã. Ela ligará Bequimão à Central do Maranhão, beneficiando, além das duas cidades, mais de 10 municípios da região, gerando empregos durante a obras e garantindo renda a pelo menos 450 famílias.

Ao assinar a ordem de serviço, que autoriza o início da construção, o governador lembrou os impactos que a ponte trará. “Acredito muito nessa região. É um investimento de quase R$ 70 milhões, que vai gerar imediatamente 400 empregos, é uma ponte que vai beneficiar diretamente 10 municípios e dinamizar atividades econômicas, como a agricultara familiar, a pesca, o turismo. É uma obra esperada há cinco décadas, que vai integrar os municípios à capital do Maranhão, acima de tudo gerando oportunidade às pessoas antes esquecidas, porque essa obra nunca foi prioridade, mas no nosso Governo é”, enfatizou o governador, lembrando que será um passo importante até para tornar mais conhecidas as belezas do litoral ocidental do Maranhão, garantida a facilidade no acesso.

Com 589 metros de extensão, a ponte tem um projeto de engenharia de complexidade técnica. O engenheiro responsável pela obra, Luís Calil, explicou que na região onde será construída a ponte há 26 metros de espessura de solo mole, e além do rio, também existe a influência de marés. “Essa obra só se compara a ponte do Rio Negro, no Amazonas, com fundações de características iguais a essa. É uma obra de um grau de dificuldade técnica muito grande, porque é uma obra de execução sobre lâmina d’água de 17 metros e no subsolo tem uma coluna de solo mole. Mas nós temos técnicas apuradas e vamos executar com dignidade, como o governador espera”, destacou o engenheiro.

08-a-ponte-central-bequimao-e-uma-antiga-reivindicacao-da-populacao-da-baixada-maranhense-que-ansiava-pela-obra-ha-mais-de-40-anos
Para a mão de obra, o governador solicitou que fosse dada prioridade à população local, o que animou os moradores, como Lúcia Cristina, que vê uma grande oportunidade se abrindo. “Vai gerar emprego e aqui precisa muito. Além disso, vai ficar mais perto para quem precisa viajar entre os dois municípios. É um sonho muito antigo”, pontuou.

O canteiro de obras já começou a ser instalado e todos os equipamentos já estão no local. A ordem é que corram em ritmo acelerado. “Já assinamos a ordem de serviço, já começamos a obra do acesso, e muito em breve, no máximo em um mês, vamos começar a trabalhar dentro do rio. Pretendemos, no prazo de um ano e meio, inaugurar essa obra para todo o Maranhão”, destacou o governador.

Paralela à construção da ponte, será realizada pavimentação dos dois acessos, tanto do lado de Bequimão, quanto do lado de Central, com mais 30 km ao todo. José Maria Cantanhede, 31 anos, mora próximo de onde será construída a ponte, às margens da estrada que hoje é de terra e ficou contente com a novidade. “Antes mesmo de eu nascer já existia a promessa de construir essa ponte. Agora vai sair e trazer muitas coisas boas inclusive o asfalto para essa estrada, diminuindo a poeira que incomoda muito”, relatou.


Obras da ponte Central-Bequimão serão iniciadas na próxima terça (27)

Ponte-Pericumã-1024x576O governador Flávio Dino anunciou, nesta manhã (22), que a construção da Ponte Rodoviária sobre o Rio Pericumã, localizada na MA-211, no trecho Bequimão – Central do Maranhão, começa na próxima semana. “A ponte interessa diretamente a dez municípios e vai dinamizar atividades econômicas como pesca e turismo”, destacou o governador.

Há mais de 40 anos a população de dez municípios da região da Baixada Maranhense reivindica a construção da ponte, que facilitará o acesso da capital aos municípios de Bequimão; Central do Maranhão; Mirinzal; Guimarães; Cedral; Cururupu; Porto Rico; Serrano do Maranhão; Bacuri e Apicum-Açu. A obra tem 600 metros de extensão e reduzirá em 125 km a distância para chegar a MA-106, que dá acesso ao Cujupe.

O município de Serrano do Maranhão é uma das cidades beneficiadas com o Plano de Ação ‘Mais IDH’ e a ponte como acesso à capital constitui incentivo importante para as atividades comerciais no município. O governador Flávio Dino considerou a construção da ponte como o início de um conjunto de ações que elevará a qualidade de vida no município. “Serrano do Maranhão possui baixo índice de desenvolvimento econômico, temos que desenvolver diversas ações sociais nesta região e a ponte Central Bequimão é uma delas, que dará luz à economia municipal, gerando emprego e renda aos moradores”, garantiu o governador.

O secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, ressalta que a construção da ponte permitirá a integração do desenvolvimento econômico e social, gerando riquezas e oportunidades de trabalho aos moradores. “A ponte é um desejo da maioria da população da baixada que precisa ter as mesmas chances sociais dos ludovicenses. O projeto está sendo elaborado com técnicas precisas, depois em ato contínuo vamos licitá-lo e, em seguida, darmos prosseguimento a concretização da obra. A ponte representa um novo momento para o estado, é uma verdadeira virada de página na história do Maranhão”, afirmou o secretário.

Processo licitatório

O Governo do Estado, por meio da Comissão Especial de Licitação (CEL), finalizou, no dia 30 de agosto, a licitação para contratação de empresa para a construção. O Consórcio Epeng/ FN Sondagens foi a licitante vencedora do certame com a proposta mais vantajosa de R$ 68.342.637,42.


Caminhos de um Maranhão melhor

Por Flávio Dino

13177251_565568113603966_688585296626136669_nO desenvolvimento de nosso estado passa também pela criação de condições logísticas que ampliem nossa força econômica. Esse é um dos principais papéis do Governo do Estado para gerar crescimento, estimulando áreas que já são pujantes de nossa economia. Para isso, temos feito investimentos pesados na melhoria de nossas rodovias. E tenho reiteradamente pleiteado junto ao governo federal obras nas rodovias federais que cortam nosso estado, como o fiz mais uma vez esta semana em encontro com o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella.

Estive com o novo ministro para debater especialmente a recuperação, manutenção e duplicação da BR-135. Atualmente, a difícil situação desta rodovia federal aumenta custos para o escoamento de produtos ao Porto de Itaqui. Mais que isso, é um drama social para milhares de pessoas que precisam deslocar-se por ela em nosso estado. O governo federal há havia retomado as obras na BR e tenho certeza que o novo ministro dará o mesmo empenho. Também falei sobre todas as demais rodovias federais, uma a uma, sempre destacando o que é mais emergencial.

Nesse campo do diálogo político, não atuo como os que governaram este estado por 50 anos. Deram apoio a todos os governos federais que existiram, contudo com pouquíssimos benefícios para o nosso estado, uma vez que sempre priorizaram ganhos pessoais, tanto que hoje são milionários. Em sentido diverso desse oportunismo visando o acúmulo de poder familiar, faço questão de expressar de modo transparente meu posicionamento político, pois acredito que a Política ganha com isso. O que não me impede de dialogar com quem quer que seja em benefício do nosso estado, sempre mirando conquistas coletivas, para todos.

A busca de ajuda federal não exclui o esforço próprio, do Governo Estadual. No que tange à logística, são mais de 1 mil quilômetros de rodovias em construção ou com obras de recuperação. É o caso da MA-386, a Estrada do Arroz, que liga as cidades de Imperatriz e Cidelândia, na Região Tocantina, que estamos concluindo, após décadas de espera. Mais de 35 mil pessoas, de 25 comunidades rurais estão sendo beneficiadas com o investimento do Governo do Estado em 47 quilômetros de asfalto, 11 quilômetros de recuperação e construção de nove pontes. Em paralelo, estão sendo recuperados cerca de 72 quilômetros de estradas vicinais que ligam as comunidades à Estrada do Arroz.

Também estamos construindo a rodovia até Santo Amaro e a MA 315, ligação rodoviária entre Barreirinhas e Paulino Neves. Com essas duas obras iremos ampliar o potencial turístico do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, uma de nossas atrações de renome mundial. Teremos inédito dinamismo econômico e um grande crescimento do turismo na Rota das Emoções, que nos une ao litoral do Piauí e do Ceará.

Ao mesmo tempo, temos feito importantes obras no sertão maranhense, alcançando cidades como São Francisco, Barão de Grajaú, São João dos Patos, Passagem Franca, Buriti Bravo, Matões, e outras. Estamos concluindo a histórica licitação da Ponte Central Bequimão, na Baixada Maranhense, e recuperamos as rodovias estaduais que dão acesso aos vários municípios da Ilha.

Esses investimentos convertem-se em desenvolvimento para todas regiões de nosso estado. Primeiro, porque geram empregos durante a realização das obras. Depois, pelo aumento de nossa capacidade de desenvolvimento. Esses são os caminhos para fazer um Maranhão melhor para todos nós.

Advogado, 48 anos, Governador do Maranhão. Foi presidente da Embratur, deputado federal e juiz federal


Licitação da ponte Central – Bequimão começa na segunda (22)

mapaO Governo do Estado, por meio da Comissão Central Permanente de Licitação (CCL), realiza, na segunda-feira (22), a primeira sessão pública da licitação para a contratação de empresa objetivando a construção de uma ponte rodoviária sobre o Rio Pericumã, no trecho que liga a cidade de Bequimão à Central do Maranhão. A ponte é um dos compromissos de campanha do governador Flávio Dino com a região Litoral Ocidental Maranhense.

Serão aproximadamente 589 metros de extensão de ponte com vigamento de aço e laje em concreto armado sobre a travessia do Rio Pericumã a Rodovia MA-211, no trecho Bequimão-Central do Maranhão. A licitação será na modalidade concorrência do tipo menor preço. Na sessão de abertura serão entregues os envelopes contendo os documentos de habilitação e propostas de preço das licitantes.

Leia mais

Governador Flávio Dino apresenta projeto da ponte Central/Bequimão