Câmara Municipal de São Luís presta homenagem aos 76 anos da rádio Nova 1290 Timbira

Timbira-RobsonPazEm celebração aos 76 anos de fundação da rádio Nova 1290 Timbira, completados no mês de agosto, a Câmara Municipal de São Luís prestou homenagem, nesta segunda-feira (18), à emissora do Governo do Maranhão. A homenagem foi proposta pelo vereador Raimundo Penha (PDT) e aprovada por unanimidade pelos demais vereadores da casa.

Além da emissora, foram homenageados o diretor geral da rádio, Robson Paz; o coordenador de jornalismo, Ribamar Praseres; assim como os produtores, locutores e repórteres que integram a equipe de jornalismo da rádio mais antiga do Maranhão, que teve como primeiro nome Rádio Difusora.

Autor do requerimento que propôs a homenagem à Rádio Timbira, o vereador Raimundo Penha abriu a sessão destacando a importância da troca de informação entre o agente público e a população por meio do veículo radiofônico. “Estou muito feliz por ter tido a oportunidade de ir à Rádio Timbira e conhecer as instalações”, disse.

“As redes sociais e a Rádio Timbira têm se empenhado para que as pessoas tenham voz e vez. Essa é a forma que o cidadão tem de falar do hospital, da escola do filho, do bairro, levando sugestões aos gestores. Não há nada mais justo do que esta homenagem a quem garante ao cidadão o direito de expressão”, acrescentou Raimundo Penha.

Novo momento

Ao receber a placa de homenagem, o diretor geral da Rádio Timbira, Robson Paz, relatou o novo momento da emissora, atribuindo o desenvolvimento na comunicação aos investimentos realizados pelo governador Flávio Dino.

“É um momento de muita alegria para todos nós que fazemos parte da [Nova 1290] Timbira. A rádio já teve momentos mágicos, esplendorosos, e que hoje vêm sendo resgatado pela nossa gestão. É o momento da radiofonia maranhense, com a contratação de grandes profissionais e com investimentos importantes realizados durante o Governo Flávio Dino”, disse Robson Paz.

Ele frisou o caráter democrático da emissora que preza pela participação dos ouvintes. “Hoje existe um espaço de absoluta democracia, onde os ouvintes participam de forma livre, garantindo assim um direito importante e fundamental do ser humano, que é o direito de liberdade de expressão, dando o acesso às informações”, completou.

O diretor geral adiantou os próximos passos da Nova 1290 Timbira. “O próximo passo será o aproveitamento da convergência das mídias. Outro ponto é a implantação da TV Web, como também a soma das diversas plataformas das redes sociais, onde temos a presença muito forte e muita intensa da população”, informou.

Robson Paz também contou que a rádio vai entrar na frequência FM. “A ideia é cada vez mais levar informação, fazendo com que o Maranhão fale com o Maranhão”, disse.

Democratização

O presidente do Sindicato dos Jornalistas do Maranhão, Douglas Cunha, destacou a importância do jornalismo levado ao ar pela emissora. “Hoje a Rádio [Nova 1290] Timbira resgata a força da comunicação, levando a cada dia mais informação para o povo nos 217 municípios. Ela foi ameaçada, mas ressurgiu. Hoje a Rádio Timbira vive uma nova história e a gente fica muito feliz por essa recuperação e sua valorização”.

Para o presidente do Sindicato dos Radialistas do Maranhão, José dos Santos Freitas, conhecido como J. Kerly, os passos dados pela Timbira nos últimos três anos representam um grande avanço. “Essa luta de democratização dos meios de comunicação no Brasil é antiga, da qual o Maranhão faz parte, e isso é importante”, frisou.

Sobre a emissora

A rádio Nova 1290 Timbira opera no dial AM, na frequência 1290 kHz. A emissora foi fundada em 1941, sendo a primeira emissora de rádio do Maranhão.


Soluções para a Baixada

Robson PazROBSON PAZ

A Baixada Maranhense é uma das regiões mais belas e ricas naturalmente do nosso Estado. Contudo, a população constituída por quase meio milhão de habitantes foi por muito tempo abandonada. A dívida do Estado para com esta região remanesce do período colonial, quando os mais vulneráveis, notadamente índios e negros foram dizimados, açoitados e relegados à margem pelo poder dominante. O coronelismo e a exclusão se perpetuaram na maioria dos municípios até o início deste século.

Nos últimos dois anos e oito meses, a Baixada Maranhense experimenta virtuoso ciclo de investimentos em políticas públicas realizado pelo governador Flávio Dino. Resgate social e histórico. As ações e projetos contemplam áreas essenciais, como saúde, infraestrutura, educação e produção. A conclusão e funcionamento do hospital regional Dr. Jackson Lago, na cidade de Pinheiro assegura atendimento de média e alta complexidade, que beneficia a população de dezenas de municípios da região. Outra unidade hospitalar está em construção na cidade de Viana. Acesso adequado e célere à saúde. Municípios com baixo IDH, como Cajari e Pedro do Rosário recebem também profissionais da Força Estadual de Saúde, que com equipe multidisciplinar realizam atendimento domiciliar oferecendo atenção básica à saúde daqueles que mais precisam. Programas de largo alcance social, como o Bolsa Escola, para aquisição de material escolar; Escola Digna, que substitui escolas de taipa e palha por espaços onde as crianças podem aprender com dignidade, bem como a reforma, reconstrução de escolas.

A região receberá unidades plenas do IEMA (Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia), nos municípios de Santa Helena e São Vicente de Ferrer. São Bento já conta com escola em tempo integral. O ensino superior também recebe investimentos no polo da Uema.

As principais rodovias da região estão sendo reconstruídas. A MA-014, no trecho que liga Vitória do Mearim a Três Marias e a MA-106, do porto do Cujupe até Governador Nunes Freire. A rodovia, que liga Pedro do Rosário à BR-316 (Cocalinho), está sendo concluída, bem como a Estrada do Peixe, de Matinha a Itans. A reforma e ampliação dos terminais do Cujupe e Ponta da Espera. O Mais Asfalto apoia os municípios na tarefa de melhorar as vias urbanas das cidades, garantindo escoamento da produção e mobilidade, além de gerar emprego e renda.

Ainda este ano, o governo Flávio Dino vai começar intervenções para melhorar a qualidade de vida dos baixadeiros. Sobretudo, aqueles que tiram seu sustento dos campos inundáveis da região. É o Programa Diques da Produção. Construção de canais e barragens, que visam perenizar o máximo possível as águas nos campos para assegurar a criação de peixes, animais e cultivo de frutas e hortaliças em mais de 30 municípios. O programa Água para Todos retira milhares de pessoas do sofrimento com a falta d’água.

Todo este conjunto de obras e serviços cuida de reparar em grande medida décadas, séculos, de exclusão de um povo, cuja história é marcada pela luta em defesa dos seus direitos. Antes, suprimidos. Agora, garantidos para todos.

Radialista, jornalista. Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM.


Bem-vindo, Lula! Parabéns, São Luís!

Robson PazROBSON PAZ

Em meio às comemorações pelos 405 anos, São Luís recebe o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Visita de elevada simbologia da luta e resistência contra o modelo de dominação, que marca a história do Brasil e do Maranhão.

São Luís fundada por franceses, invadida por holandeses e colonizada por portugueses teve sua construção, como de resto quase todo o país, sob a égide da exclusão social. Sobretudo, da população indígena e negra. A despeito da invisibilidade imposta pelos privilegiados, estes são protagonistas de nosso rico patrimônio sociocultural.

A presença de Lula em São Luís, neste momento, é simbólica. De retirante nordestino a presidente da República, Lula é um misto de sobrevivente e exemplo de superação, êxito sobre a política elitista e excludente do país, cuja principal característica é a negação de direitos. Como nenhum outro na história, este operário representou e realizou em grande medida o sonho de inclusão da maioria da população brasileira no orçamento da União.

Após experimentar crescimento com inclusão social nos governos Lula, o golpe, que retirou a ex-presidente Dilma Rousseff do poder, fez o Brasil retroceder sob uma agenda draconiana, patrocinada pelo grande capital e por interesses internacionais na exploração das riquezas e entrega do patrimônio nacional. A semelhança com o período colonial não é mera coincidência.

Não foi sem luta, suor e sangue dos povos indígenas e negros, que a bela São Luís foi erigida a partir do Forte de São Luís, em 1612. A capital de todos os maranhenses tem sua história marcada pela luta por direitos e liberdade. Na história recente, as greves de 1951 e 1979. A primeira, um movimento social contra o sistema de fraudulento e opressor; enquanto a outra se fez contra aumento abusivo e pelo direito à meia passagem levaram ludovicenses às ruas contra o poder dominante. Rebeldia política de quem jamais elegeu um prefeito apoiado pela dinastia Sarney, que dominou o estado por cinco décadas.

É esta São Luís que abraça o ex-presidente Lula na sua caravana da cidadania e justiça. Estarão juntos dois expoentes da política brasileira. Lula um dos melhores presidentes do nosso país. Idealizador e executor de políticas inclusivas, como Bolsa Família, Luz Para Todos, Prouni, Minha Casa Minha Vida, PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), das UPAs, das universidades públicas, que deram oportunidade aos mais pobres; Flávio Dino, que realiza uma gestão transformadora e inclusiva com programas, como Escola Digna, ampliação da rede de atendimento à saúde construção de hospitais regionais e da Força Estadual de Saúde, do Bolsa Escola, do Mais Asfalto, que urbaniza cidades e constrói estradas e pavimenta sonhos; do Pacto pela Paz, que investe como nunca antes na segurança pública; do olhar para aqueles que mais precisam.

Que a força e a rebeldia de nossa brava gente lance luz e esperança no reencontro do Brasil com a justiça social, a soberania e direitos para todos os brasileiros. Bem-vindo, Lula! Parabéns, São Luís!

Radialista, jornalista. Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM.


Flávio Dino entrega ponte em Bequimão e encerra décadas de espera dos moradores

O governador Flávio Dino entregou na manhã desta terça-feira (29) a Ponte do Balandro, em Bequimão. A inauguração encerra uma espera de décadas por parte dos moradores.

Toda em concreto armado e construída sobre o Rio Itapetininga, a ponte recebeu investimentos do Governo do Maranhão de mais de R$ 2,9 milhões. A nova estrutura mede 72 metros de comprimento e 12 metros de largura, com duas pistas para veículos e uma passarela de cada lado para pedestres.

Além dos moradores da sede, a construção beneficia também os povoados Santa Vitória, Barroso, Floresta, Santana, Centrinho de Santana, Juraraitá, Beirada, Cai-Cai, Iribuí, Itaputíua, Calhau, Ponta do Soares, Carrapicho e Sassuí A ponte também encurta a distância para quem mora na região de Jacioca, alcançando milhares de pessoas. “Essa ponte vai ajudar toda a Baixada aqui de Bequimão”, diz Elivan Pereira, pescador e morador do povoado Marinho.

DIZlxmmXYAArS0V


Marcar crianças é indigno. É injusto. É desumano

Robson PazROBSON PAZ

Na semana passada, conversava com um primo e lembrávamos os tempos da escola. Entre as reminiscências a hora do lanche e quão saborosa era a merenda escolar, em meados dos anos 80, no pacato povoado Jacioca, em Bequimão. Do cardápio, o item mais lembrado era um delicioso mingau lácteo sabor baunilha. Relembramos também as almôndegas, a sopa…

– Nunca mais saboreei um arroz com macarrão tão gostoso como aquele! Disse o primo.

– Os lanches eram realmente muito saborosos. Concordei.

– Acho que era nossa fome também que fazia a comida ainda mais deliciosa. Nós íamos para a escola, muitas vezes, para nos alimentarmos melhor. Concluiu ele.

Fiz questão de relatar o rápido diálogo para mostrar a importância da merenda escolar no ambiente da escola pública. Nenhuma criança pode ter bom rendimento escolar sem estar bem alimentada. Disto, por certo, poucos haverão de discordar.

Mas, nestes tempos obscuros do nosso país, acontecem coisas capazes de fazer corar de vergonha até as mais inoxidáveis panelas. Há poucos dias, São Paulo, maior cidade da América Latina, protagonizou uma das cenas mais vexatórias de nossa história recente. Alunos marcados nas mãos para não repetir o lanche escolar. Isso mesmo!

Na cidade mais rica e desenvolvida do Brasil, alunos de escolas públicas são proibidos de repetir a merenda escolar. Imagem degradante, bizarra, vergonhosa para a humanidade. Pior, isto ocorreu no estado, onde administradores festejam o deus mercado.

O Brasil vivencia a estranha experiência RobinHoodiana às avessas. O governante de plantão Michel Temer retira dos pobres para dar aos ricos. Fez isso ao anistiar bilionária dívida dos ruralistas e das grandes empresas com dívidas astronômicas, enquanto penaliza os mais pobres a pagarem a conta, seja com desconto de dez reais no salário mínimo ou com abusivo e ilegal reajuste nos preços dos combustíveis. Os poderosos parecem decididos a perpetuar e ampliar a desigualdade social no país. Mas, chegar ao cúmulo do absurdo de “ferrar” alunos nas escolas… Crianças não podem, nem devem ser tratadas como gado. É indigno! É injusto! É desumano!

Antes, deveriam ser marcados os contumazes corruptos, que pegos em tenebrosas transações são capazes de escapar e se reinventar. Basta ver indigitados dirigentes de empresas públicas do passado, hoje travestidos de gestores bem-sucedidos e modernos empreendedores. Estes, sim, deveriam não apenas ser marcados, mas banidos da vida pública para que nossas crianças não tenham que passar pelo constrangimento de estudar em condições degradantes e sem merenda escolar.

Por experiência própria, sempre sonhei com o dia em que a merenda escolar fosse também estendida para alunos de ensino médio. Hoje, alegra-me ver que o Maranhão acessa, com décadas, talvez séculos de atraso, o patamar de oferecer a estudantes de ensino médio escolas em tempo integral e profissionalizante, que aliam a oferta de conhecimento, ambientes dignos, com café, lanches, almoço e jantar para os jovens alunos. Escolas dignas, que servem de inspiração para nosso país.

Radialista, jornalista. Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM


A força do celular e das redes sociais

untitledROBSON PAZ

A cena é comum. Por onde passamos vemos pessoas zapeando celular. Nas casas, escritórios, shoppings, feiras, consultórios… Nos principais centros urbanos, mas também nos lugares mais remotos lá está o pequeno dispositivo presente.

Uma força de comunicação incalculável. Pois, nele, estão reunidas várias mídias: TV, internet, rádio, jornal e redes sociais com aplicativos, que viraram febres como o WhatsApp conquistando a atenção das mais variadas faixas etárias.

Pesquisa realizada pelo Instituto Reuters para o Estudo do Jornalismo, da Universidade de Oxford, na Inglaterra, divulgada na semana passada, mostrou que pela primeira vez, o celular ultrapassou o computador como o principal dispositivo utilizado para acessar notícias no Brasil.

Nas regiões urbanas do país, esse índice chegou a 65%, contra 62% dos computadores. Índices acima da média registrada nos países pesquisados, onde as taxas são de 56% e 58%, respectivamente. Resultado que demonstra clara mudança no modo de consumir notícias pela internet.

O estudo constata outra tendência no Brasil. O crescimento do WhatsApp. Exatos 46% dos entrevistados afirmaram usar o aplicativo para acessar e compartilhar notícias, o que representa um aumento de sete pontos percentuais em relação ao ano passado, segundo o levantamento.

No mesmo intervalo de tempo, o Facebook teve queda de 12 pontos na comparação com o ano anterior. O Face é utilizado por 57% das pessoas ouvidas. Já o Youtube aparece como a escolha de 36%, enquanto Instagram e Twitter por 12% dos entrevistados, cada um.

A pesquisa mostra pertinente preocupação dos brasileiros no que diz respeito às notícias falsas disseminadas por estas mídias. As redes sociais têm sentido o impacto da veiculação de notícias falsas, conforme o estudo.

A avalanche de notícias falsas nas redes sociais fortalece os meios de comunicação tradicionais na relação com o público. Neste quesito, 40% dos brasileiros consideram que as empresas de comunicação realizam um bom trabalho em separar fatos de boatos. Quando a mesma pergunta se refere ao esforço nas redes sociais, o número cai para 24%.

Contudo, a despeito do rápido crescimento da internet, a popularidade da web não é hegemônica. A expansão das redes sociais também sofre com a crise econômica. Em meio ao crescente desemprego e mudanças no mercado, mais de 36 milhões de linhas móveis foram desconectadas pelos operadores de telecomunicações nos últimos dois anos, de acordo com a pesquisa.

Ainda assim, as plataformas on-line já são a principal fonte de informação para pessoas em áreas urbanas, especialmente aquelas com maior renda e níveis de educação.

A mídia digital é uma realidade. Também na última semana a Nova 1290 Timbira AM alcançou a marca de 10 mil curtidas em sua fanpage. É a rádio maranhense em amplitude modulada mais curtida no Facebook. Conquistou ainda a segunda maior audiência entre as emissoras de rádio do Estado no aplicativo RadiosNet. Indicativos concretos da mudança porque passa a emissora pública. Parabéns a toda equipe da Rádio de Todos Nós!

Radialista, jornalista. Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM