Vereador Fredson propõe audiência pública sobre transporte escolar em Bequimão

Do Blog do Jefferson Cantahede

Na sessão ordinária realizada pela Câmara Municipal de Bequimão, no dia 08/06, o Vereador Fredson (PCdoB) apresentou requerimento solicitando a realização de uma audiência pública para buscar soluções para os problemas do transporte escolar no município.

fredson-requerimento

Ao justificar seu requerimento, Fredson disse que são várias as reclamações que tem recebido quando a precariedade do transporte escolar ofertado pela prefeitura aos alunos da rede municipal e estadual e que ultimamente os ônibus escolares já não conseguem nem completar seu itinerário, pois quebram durante as viagens, numa clara demonstração de que a prefeitura não tem feito a manutenção da frota de ônibus escolares que possui. Essa falta de transporte tem prejudicado os estudantes, que perdem aulas, provas, ou seja, não participam com continuidade das atividades escolares, e também prejudica financeiramente os seus país que acabam tendo que transportar seus filhos até a escola ou pagar alguém que transporte, gerando mais gasto no seu orçamento familiar.

Transporte escolar

O vereador ainda relatou que recentemente acompanhou vários pais de alunos da região Jacioca e Mojó que foram até o Ministério Público denunciar a falta prestação de serviços de transporte escolar.

Fredson finalizou sua justificativa dizendo que espera que com a realização da audiência pública do transporte escolar os problemas sejam solucionados. “Objetivo da realização dessa audiência pública é a busca de forma conjunta da resolução dos problemas hoje existentes no transporte escolar com a maior brevidade possível”, disse  o vereador

Requerimento-Fredson

O requerimento apresentado por Fredson, até o momento, foi subscrito pelos vereadores Valdenor Abreu (PMDB), Danilo Gusmão (PDT), Raquel Paixão (PSDB), e Thiago Almeida (PRTB).

O presidente da Câmara, vereador Amarildo, deve colocar o requerimento para discussão e votação na pauta da ordem do dia para a próxima sessão ordinária que acontecerá na próxima sexta-feira, dia 15/06.


Governo Flávio Dino repassa R$ 134,4 mil para transporte escolar de Bequimão

O Governo do Estado repassou, nesta semana, mais de R$ 2 milhões para 66 municípios maranhenses, que aderiram ao Programa Estadual de Apoio ao Transporte Escolar no Estado do Maranhão (Peate/MA) e estão aptos a receber o recurso. A Prefeitura de Bequimão recebeu R$ 134,4 mil.

Com a medida, 26.062 estudantes do Ensino Médio da rede pública estadual, que residem nas zonas rurais do Estado, estão sendo beneficiados com os recursos. Em Bequimão, serão 672 alunos beneficiados.

peate1

Instituído pelo governador Flávio Dino no ano passado, por meio da Lei 10.231, o Peate tem como objetivo propiciar acesso a meios de transporte e transferir recursos financeiros diretamente aos municípios que realizam, nos seus respectivos territórios, o transporte escolar de alunos de ensino médio da rede pública estadual. O programa funciona em caráter complementar ao Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), por meio do qual o Estado repassa diretamente aos municípios que aderem ao programa, o equivalente a R$ 200 reais per capita aluno/ano.

De acordo com o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, o valor complementar repassado pelo Peate é superior ao transferido pelo Programa Nacional (Pnate), cujo valor per capita é de R$ 148,07 reais. “Atualmente o Estado repassa o equivalente a R$ 200 reais por aluno durante o ano, valor 25% superior ao que o Governo Federal transfere a cada município, por estudante. Este programa também está dentro das ações do ‘Escola Digna’, que visa o regime de colaboração com os municípios e demonstra o compromisso do governador Flávio Dino com a educação de nosso Estado, garantindo transporte digno e com segurança aos estudantes maranhenses”, destacou.

Os números válidos para o cálculo são do Censo Escolar do Inep/MEC, relativos ao ano anterior. Os recursos são transferidos diretamente aos municípios, em nove parcelas, podendo custear despesas com reforma, seguros, licenciamento, impostos e taxas, pneus, câmaras e serviços de mecânica em freio, suspensão, câmbio, motor, elétrica e funilaria, recuperação de assentos, combustível e lubrificantes do veículo.